Fringe 4x02: One Night in October

sábado, outubro 01, 2011


Ah, todas essas possibilidades!

E começamos a trabalhar em ambos universos, toda a trama sobre as escolhas contra circunstancias trouxeram ótimos momentos. A história de um cara qualquer ser um professor aqui e acabar virando um Serial Killer lá foi algo que me irritou um pouco, claro que eles são as mesmas pessoas, por isso toda a similaridade, mas sempre que vejo que vemos em séries qualquer pessoa que se interessa por Serial Killers, rapidamente já vemos que ele está há alguns animais mortos de se tornar um. Também confesso que não gostei de como tudo foi resolvido, me pareceu um pouco fácil e desleixado o Serial Killer se matar após se arrepender, não foi algo tão emocionante quanto estava pensando que viria. Claro que todo aquele final onde ele se lembra do que Marjorie havia o ensinado mas não de quem ela era foi algo que sem duvidas deve voltar, já que Peter e Olivia compartilham uma relação parecida, já que mesmo ele nunca tendo existido, ela sabe que algo está faltando.

Mas tirando esses pequenos problemas o episódio em si foi magnifico! Acho que muitos devem estar meio irritados com este rumo mais lento que Fringe está se encaminhando, mas admito que estou adorando, eles além de estarem apresentando estes novos universos, estão nos mostrando como as coisas se encaminharam sem Peter, mas não de uma forma irritantemente didática, mas leve e em alguns diálogos já absolvemos muito, como que BOlivia ainda está com Frank ou que Olivia não tem muitos relacionamentos, já que “seu tipo não existe”, por falar em ambas, não tenho palavras para o que foi ver as duas juntas! Anna Torv mais uma vez arrebentando com atriz plural, e o incrível é que mesmo vendo ambas, lado a lado, com a mesma roupa é impossível as achar iguais, nem estou falando do cabelo bagunçado de BOlivia, mas sim de toda a expressão, tanto facial quanto corporal, de Anna Torv ao interpretar cada uma das duas. E tão incrível quanto isso é ver ambas aprendendo mais uma sobre a outra, não vou dizer que espero ambas sendo BFF logo de cara e nem mesmo no futuro, mas que uma aceite melhor a existência e motivações da outra.

Walter como sempre esteve magnifico, é impossível não abrir um sorriso cada vez que Astrid o ajuda com algo totalmente surreal, como ouvir Mozart em 50 caixas de som. Claro que ele tapando qualquer coisa reluzente em seu laboratória também foi divertido assim como ele falando a Lincon sobre o lado de lá. Também achei estranho Peter o chamar de “Walter” e não pai, claro que Peter tendo existido ou não nesta timeline seria estranho um “fantasma” o chamando de Pai, mas sem duvidas seria menos assustador e estranho.

E não tivemos somente isso, o AltBroyles ainda está vivo e Charlie se casou com a garota dos insetos, sinto falta dele e bem que ele poderia voltar logo, não concordam?

Se você não não encontrou o Observer, ele apareceu nos minutos finais do episódio, antes e depois de Olivia falar com John...




E os glyph codes da semana foram:
  L                         I                          M                          N                         B                          S


Limbus” seria um pequeno contraste, borda ou variação em uma área muito pequena, também se refere ao Limbo, o local onde vão as boas almas que não podem ir para o céu, muitas as pessoas o confundem com o purgatório, basicamente, no limbo as pessoas até que vivem felizes e contentes, mas não tanto quanto seriam no céu. Isso deve ser uma boa pista de onde Peter está, entre os dois mundos, vazando... Ele não “foi para o céu” mas também não está em lugar nenhum, o que trás novamente a pergunta... Where is Peter?

Talvez Você Curta

3 comentários

  1. Peter podia ter pedido ajuda quando tava todo mundo, de dia, no laboratorio.Agora ele me espera ta de noite, com o Walter sozinho e no escuro pra começar a susurrar. Ahhh... sai pra lá assombração. Volta pra encruzilhada, macumba estragada. Tipo, Peter fazendo falta NENHUMAAA! Ah, a nessa nova realidade, a Olivia matou o padastro, sendo q antes ela tinha atirado nele mas ele tinha sobrevivido e mandava postais pra ela uma vez ao ano.

    ResponderExcluir
  2. Não lembrava essa que o padrasto dela ainda estava vivo... Outra, o Peter não chamava o Walter de pai...eu nunca gostei disso..parecia que ele não queria proximidade com o Walter... Para o Peter, ele não sabe o que está acontecendo, certo? Ele não sabe que pras pessoas ele 'não existiu', ele acha que estah tudo normal. então, pra ele, eh normal chamar o Walter de...walter... certo?

    ResponderExcluir
  3. Rayssa, o Peter pediu ajuda, então ele sabe q tem coisa errada. Ele chamou o Walter pelo nome pq ele sempre fez isso.

    ResponderExcluir

Fala aí, seuslindos!

Disqus for Seriadores Anônimos

Subscribe