Fringe 4x11: Making Angels

sábado, fevereiro 04, 2012


 Chegou a hora de Astro brilhar!

Fato é que desde o começo da série, Asterisk sempre foi uma personagem interessante, com um ar doce e sarcástico, desde o piloto eu já fui com a cara da mocinha que aparecia de fundo e ficava pasma com tudo o que acontecia, quatro temporadas depois Astrid teve um destaque maior e muito merecido, como já Jasika Nicole não fez feio.

Fato é que a a antiga Criptologa nunca foi uma parte realmente importante de Fringe. Claro que ela estava ali vez ou outra, mas nunca realmente teve uma trama ou algo mais importante a ser feito. Making Angels veio novamente para provar que Asteroid realmente é uma pessoa comum, que foi pega no meio disso tudo, ela tenta viver uma vida normal, mas é difícil. Normalmente eu simplesmente nem sequer ligaria para ela, porém Jasika Nicole é simplesmente uma atriz tão simpática e adorável em suas entrevistas e em seu twitter, que assim que soube teria um episódio com maior destaque fiquei atônimo.

O melhor é que não foi um episódio simplesmente focado totalmente em Adstringent, mas sim teve ela como centro. Primeiramente falando dela, devo dizer que amei ver D-Astral vindo para o lado C e a reação de C-Aspirin foi ótima, a interação entre as duas também foi incrível, meio estranha no começo e logo após já ficaram mais próximas... Afinal, a morte do pai no lado D foi algo bem chocante para a pobrezinha e a interação com sua cópia C, foi bem interessante, amei coisas pequenas como ambas tomando café e falando exatamente as mesmas palavras.

Então, ao final do episódio temos a incrível cena de D-Asterix falando sobre seu pai e dizendo que achava que ele não a amava por ela ser diferente, confesso que fiquei muito emocionado com a cena, e tenho que admitir, que na cena final, em que Astricks chega em casa e vemos um pai incrivelmente amoroso eu deixei uma lagrimazinha cair aqui... Ostrich teve sem duvidas uma trama muito bem feita e emocionante, não foi algo loucamente dramático, mas algo mais calmo, singelo e leve, como Ashram, quase sempre, se mostrou durante a série...

E ai temos o caso da semana, que teve uma incrível conexão com tanto a outra trama do episódio, quanto com a trama principal da série. A trama do homem que havia “descoberto” o segredo dos Observers através de contas matemáticas e de um estranho bastão azul, pertencente a September. Achei interessante ele usar a onisciência adquirida para matar pessoas antes delas danificarem a vida de mais pessoas. E ainda teve a ligação com o fato de que assim como Claire do lado D, a mãe dele não tinha grande afeto por ele, inclusive dizendo que preferia que ele tivesse morrido no lugar do irmão...

Devo confessar que amei cada cena entre Walter e D-Olivia, primeiro Walter com raiva dela e a mesma o provocando, e no final ambos ficando mais próximos foi ótimo... Também fiquei até que tenso com os Observers entrando na casa da velha e roubando o bastão azul, e descobrindo que Peter está vivo, vou dizer que fiquei “encucado” com isso, mas penso que September escondeu o fato dos outros, mas o que mais me deixa tenso é não saber se ele está vivo ou não, já disse que simpatizo com o moço e não quero que ele morre não!

O(s) Observer(s) aparece(ram) várias vezes, mas nenhuma delas de forma mais “oculta” como o usual, se você não viu está precisando de óculos!! Já o Glyph Code da semana foi:


“Empath” (Empata, em português), que é uma pessoa que pode assimilar e se identificar com os sentimentos de outras pessoas. Penso que se refere principalmente a relação entre ambas Astrids, e o fato da Agente Farnsworth do lado D ter Asperger (ou algo parecido), e assim não conseguir se conectar sentimentalmente com outras pessoas do modo “normal”.

Algumas considerações finais: Primeiro que espero que vejamos mais de Astrid futuramente. Segundo que durante o texto tentei usar as várias formas de como Walter já chamou Astrid durante a série (espero que tenham gostado), Ainda sobre ela, caso não saibam, o sobrenome Farnsworth é o mesmo de Philo Farnsworth, inventor da Televisão! Para quem vê Warehouse 13 já sabia do fato, já que na série os personagens usam aparelhos chamados “Farnsworth” para se comunicarem.

E aqui um apelozinho. Como a maioria dos fãs de Fringe no Brasil baixam a série pela internet, ou veem online, fica meio difícil quando vemos que a série está indo de mal a pior e não podemos fazer nada, pois bem, agora você também pode ajudar. O site “Fringe Television” tem uma campanha onde eles pegam todos os comerciais que passaram durante o episódio e colocam em seu site, assim você pode procurar o twitter das empresas ou até mesmo o site delas e mandar uma mensagem dizendo que você viu a propaganda deles durante Fringe, pode até dizer que comprou ou se interessou pelo produto ;)

Talvez Você Curta

5 comentários

  1. Gostei muito do episodio, sempre adorei Astro e ela realmente mereceu um episodio especial. Dolivia veio como um alivio cômico no episodio e adorei o walter trollando ela no final.

    P.S: Sempre fiz a mesma pergunta que olivia fez quando Astrid encontrou sua copia, eles sempre reagem como muita naturalidade quando encontram suas copias.

    ResponderExcluir
  2. Genial o artigo ter chamado a Astrid de todos os jeitos possíveis! Fiquei lendo com um sorriso besta na cara o tempo inteiro! Hahaha

    ResponderExcluir
  3. Astro não é o cachorro dos Jetsons ? Isso quer dizer que Astrid vem do futuro ? BOOOMM !

    ResponderExcluir
  4. ótima review, Gravena! Adoro a Astrid e estava faltando esse destaque para ela. Uma coisa ta na minha cabeça é o comportamento da AstridD; acho q ela é autista soh pelo jeito dela de se comunicar e olhar para as pessoas.

    ResponderExcluir
  5. Adorei Bolivia, morri de rir com ela. Ela é ótima, bem humorada, adoro! E Farnsworth tb é o sobrenome do Professor de Futurama. Adoro esse desenho.

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe