Skins 6x10: Everyone

sábado, março 31, 2012


Mesmo com algumas tramas repetitivas e conclusões forçadas, o ultimo episódio dessa temporada reforça que essa de fato foi uma grande geração da série.


Esse episódio é metódico, querendo oferecer conclusões felizes para todas as suas tramas e esse talvez seja o maior ponto fraco. Enquanto para alguns personagens isso funciona de uma maneira natural, para outros parece algo jogado apenas para dar um funal feliz aos personagens.

Nick continua extremamente obcecado por Franky, a tal ponto de rastrear o telefone da namorada. A disputa entre ele e Matty para saber quem irá ficar com Franky é boa e tem uma conclusão coerente, já que nenhum deles jamais conseguirá tê-la enquanto ela não resolver seus problemas, assim ao fazerem com que nenhum dos dois fique com ela e acabem o episódio em paz, os roteiristas mantém uma coerência com o resto da temporada.

E essa resolução é aquela que, no inicio, poderia ser a melhor de todas. Quando descobrimos que a mãe de Franky morreu, isso cria uma idéia interessante de que ela jamais poderá resolver seus problemas através da mãe, ela mesmo deveria encontrar uma solução para seus conflitos internos. Diante disso, quando vemos sua mãe surgir na tela apenas para que ela tenha um final feliz, soa deslocado. 

Até o momento em que Franky entra no taxi novamente com irmã, o final esta perfeito: ela havia estabelecido uma relação com a irmã mas jamais resolveria facilmente seus problemas de abandono. Seria mais coerente com a trajetória da personagem se ela simplesmente não conseguisse uma solução fácil para seus problemas.

Rich, que parecia ser o personagem mais equilibrado diante da morte de Grace, se revelou como o mais afetado de todos, pois ele a via constantemente e achava isso normal. Pare ele, era como se ela não estivesse morta. É romântico, mas também repetitivo já que essa é a terceira vez que Grace aparece em visões para alguns dos personagens. O que há de errado se ele apenas aceitasse a morte da namorada, sem visões?

Liv e Mini novamente amigas era um final esperado para as duas. Assim que a primeira lidou com a morte de Grace e a outra deixou de ser a personagem desequilibrada que havia se tornado ao longo da sexta temporada — um bom exemplo disso é que ela impede a briga de Franky e Liv, mostrando um amadurecimento dela —, era apenas natural que elas se reaproximassem.

Além disso, novamente Alex sai de cena quando Liv retorna para seu antigo grupo de amigos. Ele funcionou muito bem como um novo personagem, com trama própria e sendo fiel a sua personalidade até fim — ele tem eu ir embora por ele aprecia sua liberdade — e também teve um papel essencial para Liv no momento que ela se isolou de todos.

Não posso encerrar os comentários sobre essa temporada sem mencionar Grace. Mesmo morta, a personagem teve uma grande importância nos conflitos mostrados aqui. Ela esteve presente, mas não como um fantasma que assombra uma casa abandonada em um filme de terror, mas como uma idéia, perturbando o pensamento de seus amigos que sentem sua falta. Diante disso, quando Rich olha para cima e diz ‘adeus’, ele não apenas se despede do publico, mas de Grace, que, com todos os problemas resolvidos, não atormenta mais seus amigos e agora pode ir embora.

Skins termina em sua sexta temporada como uma grande série, não perfeita graças a mediana segunda geração, mas com certeza uma que sempre será lembrada como uma referencia para séries sobre adolescentes.

Skins foi cancelada e terá apenas mais três episódios especiais de duas horas com exibição prevista para 2013 que encerrarão a série.

Talvez Você Curta

1 comentários

  1. Boa review Hadriel. Concordo plenamente com o que vc falou. O episodio foi bom, mas o final feliz para todos tambem me soou um pouco forçado e novelesco, mas valeu por ter sido o encerramento da serie. E Skins realmente uma das melhores series, nao so das adolescentes mas do geral! Primeira e terceira gerações foram excelentes e a 2 foi boa.

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe