Mad Men 5x04: Mystery Date

sábado, abril 14, 2012


Awkward!

Quando o episódio se iniciou achei que seria mais um episódio de meio de temporada, muito parecido com o anterior, porém me enganei, pois o episódio foi simplesmente magnifico em todos os seus aspectos. 

Se "Awkward" fosse o episódio cairia como uma pluma nas cenas que seguiram durante o episódio, talvez até mais do "Mystery Date".

Não sei se foram os acontecimentos que provavelmente terão consequências futuras ou apenas estava desacostumado com a capacidade dos autores de Mad Men. 

O episódio, claramente, se apoiou em dois assuntos principais, mas que culminaram em histórias parecidas, pois não foi por acaso que Don, supostamente, assassina a mulher com quem havia encontrado no mesmo dia e que, também supostamente, havia traído sua esposa. 

Eu usei o “supostamente”, pois de acordo com os acontecimentos da manhã seguinte, aquele “incidente” nunca aconteceu, acho difícil, mas nunca se sabe o que se passa na mente de um produtor de séries de TV. 

E acredito sim, na possibilidade de que Megan tenha dado um “jeito” na defunta enquanto Don ainda queimava em febre, será? 

Porque, sinceramente, aquele – eu estava aqui à noite inteira – não me convenceu nem um pouco e a vocês convenceu? 

Está certo que fugiria um pouco do foco da série, mas realmente acredito na possibilidade.


Enquanto Don estava doente que só ele, o restante dos personagens estava mais preocupado com o serial killer que fazia as páginas de todos os jornais e bocas da época, e nada mais interessante do que tornar isso em um plot para alinhar certos personagens. 

Fui apenas eu que fiquei de boca aberta com as histórias de infância da avó de Sally em relação ao seu pai, juro que quando ela terminou de contar eu soltei um “nossa!”. 

Desde o início da série a garota foi bem problemática, tendo que, em certo ponto, frequentar uma psicóloga, e sempre foi mais ligada ao pai do que a mãe, talvez por não ter respeito ou até pela ausência do pai. 

Mas, o que quero dizer é o seguinte foi uma bela lição para ela, uma vez que a avó a quis poupar e mesmo assim a garota foi atrás para ler sobre a história do serial killer é, obviamente, não conseguiu mais dormir, pelo menos não até “a velha cheia de perfume” a acalmar, bem que a senhora estava, também, bem apavorada, diga-se de passagem.


Já Joan estava mais preocupada ansiosa com o retorno de Greg, que estava voltando da guerra, mas este não pareceu querer ficar, ou pelo menos estava mais interessado no exército do que em sua família. 

Eu adorei que Joan não deixou barato e tratou de jogar da cara dele tudo que ele fez a ela, como se fosse algo que se esquece de uma hora para outra. Ainda que a mãe da garota a tenha incentivado para que não o fizesse, não sei se ela sabe o que aconteceu, mas mesmo que soubesse duvido muito que aprovaria a separação da filha. 

Se até mesmo a havia aconselhado para relevar se Greg a tivesse traído durante a guerra, mas acho que a maior traição e possivelmente inescusável foi Greg ter feito o que fez e ainda mentido para Joan, mas ainda acho que muitas águas vão rolar, espero pelo menos.

E, sem dúvida, esse momento na mesa foi mais um momento "awkward"!


E se Don já não tivesse problemas o suficiente ainda apareceu mais um fedelho querendo botar as asinhas de fora, e concordo com o Cosgrove – esse estava sumido – o rapaz por pouco que não foi demitido, acho que a sorte estava do lado dele e Don estava sem condições, físicas ou psicológicas, de pensar mais afundo no assunto porque senão já o teria feito.

Apesar de Ginsberg querer mostrar serviço e que é realmente bom no que faz – o que ele é – não será pisando no pé de Don que o rapaz conseguirá subir na vida, Pete que o diga, já que depois que o cara resolveu parar de ser uma pedra no sapato de Don, ele só prosperou.

E como de costume Peggy conseguiu mostrar que estava além do seu tempo, quando chama Dawn para passar a noite em sua casa, mesmo a menina sendo negra, o que para época era muito raro de se acontecer.


Mesmo Peggy sendo tão "evoluida" tivemos o que foi mais uma das situações "awkward" do episódio quando Peggy se despede para ir dormir e fica com vontade de levar sua bolsa para o quarto.

Claro que aí estava mais um momento de crítica, e com toda a razão, para com a sociedade da época que, simplesmente, por Dawn ser negra ela seria ladra, pois é espero que esse pensamento esteja realmente no passado. 

Foi tanto que deu para ver o quanto "awkward" foi o momento que a mesma Dawn deixa o bilhete justamente em cima da bolsa, impossível ser mais "awkward" do que isso.

Além disso, impossivel não comentar que Peggy sempre dá vexame sempre que bebe uma e outras.

Por último, mas não menos importante, tivemos Roger correndo contra o tempo para entregar a campanha para a Mohawk e pagamento caro por isso, literalmente.

Talvez Você Curta

2 comentários

  1. Adorei o episódio.. e to adorando essa temporada... não sei se era a falta de "Mad Men", mas os episódios estão passando super rápidos e to adorando tudo!

    Sobre o Don ter ou não sonhado que matou a mulher lá, achei muito legal, porque acho que nunca vamos saber se aquilo aconteceu ou não - porque realmente a cara da Megan quando o Don acordou estava muito estranha!

    Adorei que a Joan mandou o Greg embora! Como assim o cara prefere ficar no exército do que com a família? É como a mãe dele disse.. "ele é pai agora!" (mesmo que o filho não seja dele... mas ele não sabe!) Sem contar que ele parece não ter nenhum sentimento pelo filho... aquela hora que ele foi embora, ele nem disse tchau pra criança.. achei estranho..!

    Como já disse, to adorando a temporada.. e já to triste de saber que daqui a pouco acaba! (e depois só ano que vem!)

    ResponderExcluir
  2. pois é Carina também to adorando e achei esse episódio super especial..
    e também acho que a temporada tá rápida ... vamos lançar a campanha
    #MADMENcom22EpisódioJá!

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe