Parks and Recreation 4x20: The Debate

domingo, abril 29, 2012



Tem como um episódio escrito e dirigido pela Amy Poehler não ser fantástico?

Numa semana com ótimos episódios de comédia, Parks and Recreation consegue se manter no topo com um episódio sensacional. Não poderia ser diferente uma vez que a gênia Amy Poehler escreveu e dirigiu o episódio. Assim, como “Telethon”, episódio escrito pela Amy na segunda temporada (e um dos meus favoritos de toda a série), “The Debate” conseguiu ser épico com 3 tramas muito engraçadas e divertidas e com a história principal se desenvolvendo de forma excelente.

Nossa, é impressionante como o episódio conseguiu atender as minhas expectativas, que eram enormes, e ao mesmo tempo ser completamente diferente do que eu imaginava. Ponto para o roteiro, que fugiu do óbvio e ao invés de explorar momentos retardados de Bobby Newport fez dele um grande oponente à Leslie. Eu sei que a gente está falando de um série de comédia, mas eu adoro como Parks consegue aliar o humor a uma ótima história que ainda é capaz de  explorar questões tão importantes. Impossível não amar o discurso de fechamento de Leslie e torcer ainda mais para a sua vitória. Sem dizer que foi engraçado demais o Bobby assumindo que foi incrível e utilizando palavras de baixo calão. Paul Rudd esteve muito bem mais uma vez sem deixar o personagem babaca demais e se fazendo muito bem de vítima.

Para mim, o melhor do episódio foram os coadjuvantes do debate, que conseguiram ser mega bizarros e divertidos, levando o episódio a um excelente nível cômico. É sempre maravilhoso ver estas criaturas que só existem em Pawnee e tenho que confessar que estava sentindo falta dos cidadãos loucos da cidade nesta temporada. O mais engraçado foi o cara pró armas defendendo vending machines de revólveres, armas automáticas que atirariam nas pessoas que tentassem roubar carros e lança granadas. A atriz pornô também estava hilária falando sempre por ela e Leslie, dizendo que tem experiência em ser a única mulher no meio de um monte de homens, produzindo e estrelando 400 filmes adultos em um ano e plagiando até mesmo o figurino de sua oponente. O cara dos animais foi o mais fraquinho mas ao mesmo tempo o mais autêntico, ou vai me dizer que na sua cidade nenhum vereador conseguiu se eleger facilmente com um discurso muito parecido com o dele? Outro ponto de destaque foi a sempre ótima apresentação da lendária jornalista solteira, Joan Callamezo. Eu adoro esta mulher, ainda mais lendo perguntas tão perspicazes e sendo mega parcial na condução do debate.

Chris com certeza estava foda como enrolador, só podia mesmo, mas achei que o personagem poderia ter sido melhor explorado tentando contornar  situações a favor de Leslie. Continuo achando que Ann e Tom não funcionam muito como casal e provavelmente é justamente esta intenção do roteiro fazendo uma grande piada, mas, apesar de ter sido a parte menos boa do episódio, acabou sendo engraçado e até mesmo bonitinho. A declaração no rádio foi coisa de outro mundo, um momento que só o Tom consegue propiciar. Só estou com um pouco de saudade dele no bar e do Jean Ralphio.

E o que dizer de April e Andy levando os patrocinadores da campanha para assistir o debate na casa deles? Putz, foi animal. O Andy estava um pouco over sendo um completo idiota, mas mesmo assim eu adorei tudo. Suas encenações de seus filmes favoritos foram foda e me fizeram pausar várias vezes o episódio para rir sem parar. Muito legal a sua interpretação de Rambo e melhor ainda a Donna super envolvida com “Babe, o Porquinho”. Jerry quase nem apareceu, mas mesmo assim foi engraçado como sempre assistindo ao debate com um monte de freiras. E ainda teve o Ron fazendo um gato na TV a Cabo e cantando, este cara consegue ser engraçado fazendo qualquer coisa.

Acho que o melhor do episódio foi a sua simplicidade sem cometer grandes exageros e reviravoltas, sem falar na lealdade do roteiro com os personagens, traço característico da série e da fenomenal Amy Poehler. Ao mesmo tempo parece meio fácil, como se o trabalho louvável tenha sido a criação destes excelentes personagens, que ganharam vida própria e  fazem das piadas a coisa mais natural do mundo. Eu sei que eu só puxo o saco, mas não tenho nada de mal para falar mesmo.

Mais dois episódios para a temporada terminar e eu entrar em processo de abstinência de Parks and Recreation.

Talvez Você Curta

3 comentários

  1. Episódio fantástico, e a review também, muito boa.
    Foi super engraçado esse episódio, a parte que eu mais dei risada, n ei porque, é depois que o Andy encena “Babe, o Porquinho”, e aparece a Donna chorando, "Sinto como se o tivesse visto". AEHUEHAUHEAUEHUEHUEHUEHUE

    ResponderExcluir
  2. A Donna é sensacional. Faz miséria td episódio mesmo aparecendo por 3 segundos.

    ResponderExcluir
  3. eu amo demais parks and rec. essa comédia é a minha favorita e é simplesmente sensacional. april só não é minha personagem favorita porque existe a musa leslie knope. as 2 são simplesmente perfeitas e as facetas delas durante a série são únicas. minha meta: comprar boxes de p&r ASAP

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe