(fdp) 1x01: Juiz X Juiz

segunda-feira, agosto 27, 2012

UM BANDO DE...

Fdp é o mais novo projeto nacional produzido para a HBO tendo desta vez como base a história de um árbitro de futebol. Criada por José Roberto Torero e Marcus Aurelius Pimenta, com base nas ideias de Adriano Civita e Giuliano Cedroni, a trama explora através de uma nova perspectiva o universo do futebol brasileiro mostrando sem medo todas suas polêmicas, qualidades e defeitos através da imagem de Juarez Gomes da Silva (Eucir de Souza).

A ideia tão quanto o criativo e comercial título da série em primeiro tempo soa positivamente aos curiosos e amantes do tema. Com uma linguagem persuasiva, todos os personagens apresentados ao público neste curto primeiro episódio convence ao telespectador de que fdp ao menos se consagra como uma dramaturgia diferente e com uma estrutura viva.

Logo de cara somos apresentados ao grande sonho de Juarez: Apitar a um jogo da Copa do Mundo. Em contra partida, seu pesadelo rapidamente ganha força quando a bióloga Manu (Cynthia Falabella), é introduzida a trama mostrando ao público o fim de seu relacionamento com Juarez e as consequências que este rompimento pode e traz para o filho do casal, Vini (Vitor Moretti). Sem perder tempo o drama do protagonista se dilui muito bem pelo episódio, o que me chama a atenção.

O roteiro brinca ao explorar a confusão de opiniões e mensagens que surgem na cabeça do pequeno Vini. Ao tempo em que ele transmite dúvidas e se nega a relacionar-se bem com seu pai, o jovem idolatra seu herói e encontra o momento certo para baixar a bola. Sua personalidade é de fato definida quando contracena com sua avó Rosali (Maria Cecília Audi), mãe de Juarez. A personagem que sem dúvidas carregará junto com o filho o peso do título da série promete ser a peça mais bem desenvolvida do show.

A estreia consegue ficar ainda melhor quando curiosamente uma interessante ideia consegue andar em sincronia com o tema da série. A separação entre Juarez e Manu leva o casal a disputar a guarda do filho na justiça. O coringa da audiência é justamente o “juiz” que tomará a decisão final no caso. Na trama a imagem do personagem é apresentada de forma caricata colocando seu (talvez) machismo em destaque.

Ao confirmar a presença de um conhecido árbitro de futebol em sua audiência, o juiz se deixa levar por seu ego favorecendo Juarez na conquista pelos direitos do filho. Surpreendendo a mim ainda mais, esta mesma figura coincidentemente é o diretor jurídico do clube Paulicéia, um dos protagonistas do jogo em que Juarez apita em uma final de Paulistão. A atuação do árbitro dentro de campo levanta questionamentos entre os torcedores ao titular o time 18 de abril como real campeão.

Com isso Juarez perde a vantagem conquistada dentro do tribunal onde as regras são levantadas pelo juiz como forma de retrucar a perda de seu time na final do Paulistão 2012. Com um texto muito bem escrito somos presenteados com uma cena repleta de ironia e ataques pessoais onde “o mais forte derrota o mais fraco”, colocando em prática o que podemos esperar em fdp nos próximos episódios.

Ainda é cedo e desonesto da minha parte dizer que fdp bateu um bolão em sua estreia. Mas posso confirmar de fato que nenhuma falta foi cometida. A ideia, o roteiro, a direção e todo o elenco me convenceram facilmente em sua primeira tentativa. Talvez pela emissora em que está sendo exibida, a produção possui o espaço e o aval para atrair sem medo seu público. Com um humor negro e usando sem receio de palavrões, fdp possui seus méritos para no mínimo conquistar o respeito do público brasileiro.

Observações Finais:
  •     Para quem não se ligou, a interprete de Manu (Cynthia Falabella) é irmã de Débora Falabella, a “Me Serve Vadia” de Avenida Brasil, novela da Globo.
  •     O episódio ainda nos apresentou Rui Zwiebel (Gustavo Machado), advogado e novo interesse amoroso de Manu. Além dos melhores amigos de Juarez, Carvalhosa (Paulo Tiefenthaler) e Serjão (Saulo Vasconcelos), os bandeirinhas.
  •     Apesar de aproveitar dois times reais (Redbull e Juventus) para a gravação deste episódio, os times Pauliceia e 18 de Abril, foram obras ficcionais. Ao que parece a série manterá esta opção por toda a temporada.
Sigam-me os bons: @cavalcanteartur

Talvez Você Curta

2 comentários

  1. Parabéns Arthur, belo texto, me convenceu a ver pelo menos o piloto.

    ResponderExcluir
  2. Estava curiosa a respeito dessa série, obrigada pela review. Vou conferir.

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe