White Collar 4x05: Honor Among Thieves

sábado, agosto 18, 2012



White Collar e a maestria dos casos semanais.

Atualmente, poucas series tem a capacidade de criar arcos interessantíssimos que são desenvolvidos por casos semanais indiretamente ligados a principal história da temporada. White Collar é uma delas. Os roteiristas mostram essa qualidade desde a primeira temporada, interligando todos os fatos e, principalmente, conseguindo prender a audiência através de ganchos muitíssimo bem elaborados, como foi no final do último episodio (4x04) com o ataque a Ellen Parker.

Honor Among Thieves começa com Neal, inconformado, se despedindo da ex-policial no cemitério, mas sem esquecer-se dos problemas e focando na busca de Sam (pessoa que Ellen disse que se poderia confiar). Importante ressaltar que mesmo fragilizado emocionalmente com a morte de uma pessoa querida, Neal preferiu continuar no trabalho, sabendo que ficar em casa remoendo não o ajudaria a encontrar o homem de confiança de Ellen, que mostrou não querer ser encontrado.

A este ponto do episodio, o caso da semana nos é apresentado. Mostrando um caso de possível roubo de um museu, a divisão de Crimes de Colarinho Branco do FBI logo descobre que a suspeita é uma britânica ruiva chamada Abigail, que se mostra não só interessada na arte como na Agente Diana. Um interessante personagem é criado do caso da semana, trazendo o que muitos podem dizer como sendo “o Neal do sexo feminino”.

E é exatamente no encontro da personalidade dos golpistas que o episodio é focado. Uma oferta indecente de Abigail atrai a atenção. Uma troca, visando o interesse de ambos. Oferta que Neal, por querer que o parceiro Peter confie nele, recusa inutilmente, pois a golpista o obriga a roubar por meio de uma chantagem bem elaborada.

Tentando ao máximo manter a confiança de Peter, Neal se vê num beco sem saída e planeja um roubo perfeito com Mozzie. Eu me considero suspeito para falar das cenas que os dois criam os planos a serem usados, pois é fascinante como o golpista dentro de Caffrey ainda existe e é alimentado pela natureza do carismático Mozzie. E mesmo com todas as tentativas de se tornar um homem dentro da lei, Neal ainda não abandonou sua personalidade de golpista.

E se Caffrey ainda possui suas espetaculares habilidades, Peter não deixou de ser o mesmo agente astuto que capturou o exímio golpista Neal Caffrey no passado. E essa inteligência que Burke possui o leva a, mesmo querendo ao máximo confiar no parceiro, manter um pé atrás.

Num ponto que todos se surpreenderam com o personagem principal, a intenção do mesmo ficou vaga. Pode-se dizer que Caffrey disse a verdade para Abigail. É cabível que ele considerava aquela troca como um preço muito alto a se pagar, mas é possível que ele tenha premeditado tudo isso, como Peter dá a impressão de acreditar.

Mesmo com tudo nos levando a crer que no ato de entregar uma copia do arquivo a Neal e o pedindo para lhe falar tudo que encontrasse, Burke mantem o pé atrás quando grava uma cópia daquilo que foi entregue ao parceiro. Muitos podem considerar isso como um ato de desconfiança sem motivo, mas o próprio Caffrey deu uma quantidade enorme de motivos para o agente que tem que seguir todas as normas para resolver os crimes desconfiar das intenções de seus atos.

E numa relação como a dos dois, onde aparentemente sempre se busca a confiança, mantendo um pé atrás, a parceria se tornou uma amizade que os faz defender um ao outro quando necessário.

Essa é uma história de confiança.

PS: Destaco em segundo plano a relação entre Diana e Neal, que pode ser de imensa importância para os próximos episódios.

@alvarobpjr

Talvez Você Curta

0 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe