Glee 4x04: The Break-Up

segunda-feira, outubro 08, 2012


Se eu fosse sensível, até choraria no final deste episódio.

Glee tem muitos colhões. Por enquanto, na verdade. Titia Murphy é conhecida por seus tributos, seus plots que acabam rapidinhos, mas Glee está bem, por enquanto. Quando descobri que teríamos um grande break-up, pensei que seria SOMENTE um break-up, só que a briga seria tão escrota que por isso que foi chamada de ‘grande’.

Claramente, estava errado. Sinceramente, dei umas risadas básicas ao perceber que TODOS, TODOS os casais, até os menos importantes (Kitty e Jake) terminaram em um só episódio. Pelo menos, a maioria foi coerente. Finn e Rachel, tipo assim... Porque vocês estavam juntos até hoje? Brittana foi provavelmente o mais desenvolvido desde o começo da temporada, porque Brittany reclamou do namoro desde o primeiro dia.

O mais fútil foi o término do Will e da Emma, sendo que nem possuíamos certeza que eles tinham de fato, terminado. Outro término fútil foi Blaine e Kurt – desnecessário colocar o primeiro para trair. Se bem que Blaine sempre quis dar uma escapadinha porque ele nunca ganhava quando Kurt estava perto, imagina longe. Skype não faz milagres.

Vamos por parte, porém. Dois personagens queridos do público estavam de volta. Tenho que comentar primeiro da linda, DIVA Santana, toda reformulada só que não após se mudar para a faculdade. Confesso que a música que Santana cantou para Brittany, “Mine”, foi tenso, já que Naya sabe expressar muito bem as emoções, tornando tudo muito triste e verdadeiro. Porém, não foi o casal que fiquei mais triste pelo fim. E Santana tava terminando porque a menina sorriu pra ela, sério?

Finnalizado também estava de volta. Adoro que ele tentou fazer algo no exército, mas nem conseguia manter a arma travada. Já sabíamos que não ia rolar Finn em New York, por motivos de: Brody e a Nova Rachel, mas pensei que eles iriam demorar no mínimo uns dois episódios para separar os dois de vez.

Porém, Finn é burro também, deixa a mulher dele cantar com o outro que tem mais química com a namorada. Estava pedindo para levar fora, sério. Mas o pior também foi Rachel querendo tentar fazer Finn entrar na NYADA. Não tem como certas pessoas realmente acham que isso é uma opção. Devo comentar que esse término devia ter acontecido há muito tempo. 

Na verdade, achava que quando Finn a mandou embora, era um tchau, mas Loucura da Rachel falando que Finn é um homem, sendo que ele não consegue mexer com uma espingarda. O que pesou mesmo no relacionamento dois sempre foi o brilho da Rachel que sempre ofusca qualquer coisa que Finn faz. Muito sério isso, porque é ÓBVIO que ia ofuscar tudo que ele faz, sendo que ele faz muitas coisas: nada.

Kurt não tem tempo para Blaine, e o pior é que o macho dele está trabalhando, e ele fica se entregando na balada. Só o fato de Kurt não ter tempo para o namorado já era motivo máximo para a separação e agora Kurt pode finalmente se entregar também na balada de New York!

A questão é que já foi difícil aguentar Blaine dançando a musica e agora ele esperneando no meio dela pfvr né, tenho outras coisas para fazer. Perceba, porém, que todo mundo falou que ia só dar um tempo, menos Kurt e Blaine, que não sabem o que eles querem da vida.

Agora, faltou uma coisa no episódio: Santana metendo seu calor latino em Kitty, que estava pregando o evangélico para todo mundo, mas parecia mais um plot de ficção científica, todo mundo sumindo sem explicação do restaurante, trollando com a cara da asiática só porque quando ela está feliz ou triste, a expressão é a mesma.

“The Scientist” é, literalmente, minha música preferida. Vê-la sendo eternizada por Glee foi lindo.

P.S: Ryan Murphy realmente não gosta do Obama, colocou todo mundo de The New Normal pra votar contra ele e agora até a Kitty, que obviamente vê o futuro, sabe que ele vai perder.

P.S: Alguém tem dúvida que o ‘lugar no mundo’ do Finn é dentro do Glee Club, no lugar do Cabelo Seboso?

Músicas no episódio: 

“Barely Breathing” – Duncan Sheik: Blaine (Darren Criss) e Finn (Cory Monteith)
“Give Your Heart a Break” – Demi Lovato: Rachel (Lea Michele) e Brody (Dean Geyer)
“Teenage Dream (Acoustic Version)” – Katy Perry: Blaine (Darren Criss)
“Don’t Speak” – No Doubt: Kurt (Chris Colfer), Blaine (Darren Criss), Rachel (Lea Michele) e Finn (Cory Monteith)
“Mine” – Taylor Swift: Santana (Naya Rivera)
“The Scientist” – Coldplay: Finn (Cory Monteith), Rachel (Lea Michele), Kurt (Chris Colfer), Blaine (Darren Criss), Santana (Naya Rivera), Brittany (Heather Morris), Will (Matthew Morrison) e Emma (Jayma Mays)

Talvez Você Curta

11 comentários

  1. Eu não concordo que a Santana quis a separação somente por causa do sorriso. Isso foi um motivo que mostra claramente que ter um namoro a distância não funciona, assim como acabou sendo o do Kurt com Blaine. Mas gostei muito da review. Você parece ter escrito logo após o episódio foi? Rsrs esta meio bravo! hahaha

    PS: O Finn é apagado por natureza, não só se ofusca com o brilho da Rachel. E sim, eles deviam ter terminado a tempo. Ele é muito sem sal.
    PS2: Emma e Will é outro casal chato.

    ResponderExcluir
  2. Gostei de todas as músicas do episódio, destaque para Don't Speak , Mine e The Scientist ( uma das melhores perfomances do show, in my opinion). Titia Murphy fez uma de Grim Reaper nos casais.
    Em Teenage Dream, eu não sei se ficava com pena do Blaine ou constrangido com as caretas.
    Também queria muito que a Santana fosse all Lima Heights na idosa.Não suporto aquela garota.

    ResponderExcluir
  3. Não sei se você não gostou mesmo do episódio ou se tá de mau humor porque né. O episódio, na minha opinião, foi bem oval, digamos assim, tinha algumas coisas que poderiam ter sido melhores mas em geral foi ótimo com ótimas performances. Ao contrário do que você falou, a separação dos casais e os monólogos de Rachel e Santana estavam impecáveis. Wemma foi a única coisa que eu achei perdida junto com a traição desnecessária do Blaine visto que ele tinha motivos suficientes pra terminar a relação. Outra coisa que estranhei foi ninguém nem ter feito festinha porque Santanão tava de volta no McKinley, porque entre Finn e Santana, plmdds, por mim ele ficava no exército e não voltava nem morto.

    Mas entrando nos términos... Santana não terminou a relação por causa de um sorriso, na verdade, ela foi madura nessa situação, porque todo mundo sabe que manter um relacionamento à distância serve só pra iludir o casal, todo mundo tem necessidades e principalmente nessa fase onde ela está muito ocupada com treinos e faculdade, ela não estava sendo a melhor das namoradas pra Britt e pra evitar que a tentação que mora ao lado arruinasse o sentimento de carinho que elas têm uma pela outra, ela preferiu dar um tempo pra que as duas repensem a relação à trair/ser traída, o que foi o caso precoce de Klaine. Nesse caso, o fim era iminente com ou sem traição, a relação estava afundando e Kurt não soube equilibrar sua vida nova e seu namorico. Porém, isso não dá motivos pro Blaine (que há três semanas cantou pro Kurt dizendo que nada ia mudar entre eles) trair na cara dura. Foi uma atitude impensada do Ryan.

    Finchel, nunca gostei, nunca voi gostar. Mas que o fim teve sentido, teve. Rachel está mudada e em sua nova fase, numa faculdade renomada, em NY, SOLTEIRA (muito importante lembrar), encontrou um cara bonito, charmoso, que gosta dela, que a atrai e está no mesmo caminho que ela. Faz todo sentido ela ter se sentido balançada pelo Brody. Com a chegada de Finn, ela viu uma chance de retomar de onde parou com o seu primeiro amor. Nada mais justo do que tentar voltar atrás, apesar do cara ter sumido por 4 meses. Finn, por outro lado, volta inseguro, incerto e com muitas dúvidas. Claro, nem no exército ele conseguiu ser alguém na vida. Ele é um adolescente, supostamente, ele tem que ter essa carga emocional de não ter nada em suas mãos e ser um fracassado em tudo na sua vida. E ele busca por conforto e segurança nos braços de sua amada, mas ele não contava que ela já estava afim de outro, gerando ciúmes, muito bem justificados e um inevitável fim. Rachel, por outro lado, não aguenta ver seu namorado fugir (outra vez) e vai atrás dele pra tirar satisfações. Pra mim, essa cena, o monólogo, a atuação, tudo, Lea Michele estava perfeita e entregou incrivelmente as falas, fazendo crível seu sofrimento. No momento que ela diz que percebeu que Finn tinha sido homem de verdade por ter acabado com ela no dia do seu suposto casamento, é como se fosse o Ryan falando através de Lea para os fãs que naquele momento, era a coisa certa a se fazer, seria egoísmo pedir pra Rachel ficar em Lima, sabendo que ela tinha ingressado numa das melhores faculdades, que ela tinha uma carreira pela frente e seus sonhos estavam finalmente se concretizando. Então, sim, ela finalmente tinha entedido o que ele fez mas que a maneira que ele largou ela em NY foi tão imatura que ela percebeu que ela estava cansada, sua nova vida não tinha tempo pra uma relação instável como essa e que finalmente o fim tinha chegado.

    Percebi que Santana estava fazendo muito falta!! Só ela pra colocar essa idosa no lugar dela, pena que essa cena não aconteceu. Mas ela vai estar presente no 4x05, então pode ser que aconteça.

    P.S: Menções honrosas para Mine e The Scientist que estilhaçaram meu coração.
    P.S.2: Desculpem pelo comentário longo.
    P.S.3: Próximo episódio tem Blake Jenner, vem gnt.

    ResponderExcluir
  4. Nossa, geralmente eu gosto de suas críticas masdessa vez ela está completamente insonsa....a sensação que eu tive foi que você sequer quis escrever algo coerente.

    O episódio não foi perfeito, mas foi muito bom. Santana se comportou como uma pessoa madura ao terminar o relacionamento e não foi por causa de um sorriso. Ela apenas analisou que não ia funcionar o relacionamento a distância, pra nem um das duas.

    Rachel e Finn também tiveram seus motivos, todos bem claros na conversa final dos dois no auditório (ponto pra Lea Michele, que passou muita sinceridade naquela cena). Ela finalmente havia percebido que do jeito que tava nãos eria possível manter Finn em sua vida, da mesma forma que Finn entendeu que do jeito que tá com sua própria vida (mais perdido que cego em tiroteio) não seria possível ter Rachel. Lembrando que Rachel ainda sofria por Finn nos dois primeiros episódios e em grande parte do 3º, decidindo seguir em frente apenas mais pro final do 3º.

    Concordo plenamente que Blaine não precisava trair, mas isso foi usado apenas para demonstrar a solidão do personagem e o quanto ele se sente de fora da vida de Kurt (coisa que ja vinha sendo mostrada desde o episódio passado com suas tentativas de se manter ocupado pra não pensar em Kurt).

    Outra coisa, que não faz sentido é você dizer que tanto New Normal quanto Glee estavam "contra" o Obama. Indiferente de quem vai ganhar as eleições ou não, nas duas séries eles deixaram as coisas extremamente neutras ao falar de política..sem "puxar saco de ninguém". Coisa que já havia aocntecido antes em Glee (vide episódio 2x03 de Glee)

    Sinceramente, me decepcionei com essa crítica... não porque você falou mal da serie ou algo assim...mas sim porque a sensação que deu é que você sequer tentou escrever a critica com alguma coerência.

    ResponderExcluir
  5. Desculpa, mais é uma critica construtiva para a equipe, acho que Marcos C. Pontes não se da muito bem escrevendo sobre Glee, não sei cara, Glee é uma serie que arranca risos e é ironicamente criticada por vcs do seriadores, acho que ele se encaixa melhor em outras séries, deixem Glee pra alguém com o espirito do Leo Oliveira, da Camis...

    ResponderExcluir
  6. Lembrando que não tenho nada contra o Marcos acho ele simpático e atencioso e não desmereço suas reviews porem acho isso.

    ResponderExcluir
  7. Adorei a review Marco, e não sei mesmo o que o povo tá achando. Seus textos sempre são os mais engraçados, seu sarcasmo e ironia são ASTRONÔMICOS, mas isso é o que torna tão legal. Você não está aqui para falar sério, Glee é uma comédia e realmente é assim que deveria ser tratada.

    ResponderExcluir
  8. Acho que o nome é Marco, né? E agora.... de onde que você tirou que ele não trata Glee com ironia?? É o que ele mais faz!

    ResponderExcluir
  9. Glee pode ser uma série de comédia, mas o episódio The Break-Up sequer teve mais de duas cenas de comédia... O episódio inteiro teve uma carga dramática e acho que algumas coisas que ele disse, ele provavelmente sabe que não fazem nem sentido. Eu cheguei a ler várias vezes pra ter certeza que ele tinha escrito que a Santana tinha terminado por causa do sorriso e por mais irônico que ele tenha tentado soar nessa frase, pra mim, ficou forçado, não tem ser no mundo que tenha entendido que elas terminaram por isso. Eu adoro as reviews dele e concordo que ele tem um humor bem sarcástico e irônico e combina com a série. Eu só gostaria que ele tivesse feito a review desse episódio com a seriedade que merecia.

    ResponderExcluir
  10. Isso, é Marco o nome dele, me desculpe Marco ( e não sofia ), bom já vi outras reviews dele de outras séries e achei fantastico ! Mas o trabalho dele com Glee não esta me cativando, acho que muitos gleeks e outros que assistem a serie sentiram isso, uma vez que poucos comentam e avaliam agora aqui. É só uma critica construtiva tanto pro Marco quanto para os demais da equipe seriadores,as reviews de glee perderam a essencia.

    PS: Sofia que bom que vc gosta da ''ironia'' dele, mais todos tem o direito de expressar o que pensa.

    ResponderExcluir
  11. Alguns coments básicos:
    1) O lance de todo mundo ter sumido não tem nada a ver com ficção científica, e sim com fé. Uma das teorias surgidas no meio pentecostal nos últimos tempos, é o chamado arrebatamento, no qual os verdadeiros cristão simplesmente desaparecerão (serão elevados ao céu) e então quem ficou teria um tempinho pra se arrepender, e então ser salvo e ir aos céus! Sobre o tema dois autores americanos escreveram uma série de livros (interminável) chamada "Deixados pra trás" que também virou uma série de filmes (interminável, chata e mal filmado)!!! E no caso em Glee, a Kitty começou um grupo de estudo sobre os livros! E ela como "má" que é, fingiu um arrebatamento pra judiar da mocinha lá.
    2) Eu amo Finchel, sou super defensor! Achei coerente o fim do relacionamento, apesar de não concordar. O Brody é muito estranho e tem cara de "womanizer" pelo menos senti isso nas falas da professora de dança no "Britney 2.0"!!!
    3) Klaine acabou #ALELUIA!!! numa aguento esses dois desde quanto começou, o Blaine é um chato de galocha. Já achava ele chato quando eram amigos (ou sou só eu que me lembro como o Blaine se sentia superior pra cima do Kurt por estudar numa escolha inclusiva?), piorou quando começaram a namorar e agora terminaram. #ALELUIA!!!² Pena que os solos dele continuaram (shit!). O Kurt merece um namorado legal...
    4) Britanna super faz sentido também. Mas a cena delas terminando PQP se fosse sensivel ia chorar litros, deu até um nó na garganta, as atuações em Glee tem hora que me surpreendem!
    5) Fim de Wemma? o que? hã? #NONSENSE

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe