Homeland 2x01/2x02: The Smile/Beirut Is Back

terça-feira, outubro 16, 2012



2 x 01

O novo cenário criado nessa season premiere é intrigante nesse primeiro momento. Não seria possível descartar os acontecimentos da temporada passada — essa não é a idéia de Homeland —, mas a passagem de tempo mostrada nesse primeiro episódio é o bastante para inserir alguns elementos que alteram um pouco a dinâmica da série, dando um ar de novidade a trama.

Carrie, sem o seu trabalho na CIA, vive agora em uma realidade completamente distante do seu passado recente. Felizmente não levou muito tempo para que ela voltasse a se envolver com o mundo da espionagem, e a justificativa usada para isso é natural, jamais parecendo forçada.

A construção desse novo momento da vida de Carrie é eficiente, mostrando com alguns detalhes que ela não tem mais a mesma agilidade de pensamento (não decora números, incapaz de lembrar detalhes do seu disfarce) e demonstrando uma excitação quase infantil, como uma criança que recebe um brinquedo novo, ao se ver perseguida em Beirute.

Brody também apresentado em um momento bastante diferente. Agora, sem a determinação que mostrava até a primeira season finale, o sargento parece acomodado com a idéia de poder vingar a morte de Issa sem necessariamente ser visto como um terrorista, uma vingança sem sacrifício, minando a política americana de dentro para fora sem jamais se expor.

Um mistério deixado na temporada passada ressurgiu discretamente nesse episódio: o traidor infiltrado na CIA. Quem é? Como tem acesso ao cofre de Estes? Poderia ele mesmo ser o traidor? Seria sem dúvida um plot twist interessante.

Outro detalhe bastante interessante do episódio é a relação com eventos do mundo real dentro da ficção, como os protestos árabes contra o governo americano e a crise entre Israel e Irã, que na série toma proporções muito maiores. Homeland nunca tentou ser primariamente uma série com um forte elemento político, mas nunca se negou em fazer pequenos comentários sobre o assunto, e isso também parece ter evoluído nessa segunda temporada.

The Smile foi uma mistura interessante de novos elementos e continuidade, exibindo a capacidade de seus criadores de acrescentar algumas tramas que certamente se conectarão com o que já vimos para, espero, criar outra excelente temporada.

2 x 02

O segundo episódio dessa temporada de Homeland foi excelente em dar continuidade ao clima de novidade misturado com o conhecido apresentado em The Smile.

Há a evolução do tormento que é para Carrie ter que novamente se ver trabalhando para CIA. Em cada um desses momentos Claire Danes consegue mostrar, cena após cena, por que ganhou o Emmy de melhor atriz na ultima premiação. A seqüência em que ela apenas escuta a conversa de Saul com Estes e tem um ataque de pânico é facilmente a melhor desse episódio. Sem uma palavra sequer fica clara toda a confusão vivenciada por ela.

A inconseqüência exibida na estréia também continua aqui, mas agora é muito mais interessante vê-la agindo de maneiras inesperadas — invadindo o apartamento do cúmplice de Abu Nazir, por exemplo — pois há uma compreensão muito mais ampla das suas motivações. Ela pode acreditar que estava errada sobre Brody, mas não perdeu a motivação em capturar o terrorista que ela tanto perseguiu, mesmo que não trabalhe mais na CIA.

A acomodação de Brody na sua posição como deputado e futuro vice-presidente também foi aprofundada. Embora ele se mostre resistente a seguir os planos de Abu Nazir, ele ao mesmo tempo ainda mantém um enorme desprezo pelas pessoas que o cercam, o que cria um grande conflito com o deslumbre de Jessica pelo mundo de festas e eventos de caridade que se encontra. Será que o fascínio dela fará com que acoberte os atos do marido quando os descobrir, tentando ela mesma lidar com o problema, convencendo-o a abandonar seus planos contra os EUA apenas para manter a nova vida alcançada?

Além de toda a complexidade mostrada, ainda há o bombástico cliffhanger. Como a descoberta de que estava certa durante todo o tempo vai afetar Carrie? E Brody? O que acontece com ele agora? Certamente algo impedirá que o conteúdo do vídeo seja usado contra ele ou a série acabaria no terceiro episódio e duvido que alguém ache que isso vai acontecer

Talvez Você Curta

1 comentários

  1. Fiquei com uma dúvida, quando Carrie foi falar com a filha do Brody, ele ele disse que ela tinha apenas 16 anos. Agora depois que ele já é deputado, ele fala para a mulher dele, ela já tem16 anos... E a passagem de tempo, não conta na idade dela?!?

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe