The Good Wife 4x20: Rape: A Modern Perspective

segunda-feira, abril 15, 2013


Tinha como não ser bom?

Uma das características mais fortes de The Good Wife é a sua capacidade de tratar com maturidade temas polêmicos que a sociedade vive. Seja para bem ou para mal, os roteiristas da série não economizam na hora de escrever sobre aquilo que acham que está em destaque no cenário atual. O episódio dessa semana pode não ser um exemplo de continuidade, mas conseguiu preparar o terreno para a Season Finale e ainda tratar de um tema extremamente atual que são os assim chamados Hackers Anônimos, que causam o terror em vários sites governamentais ao redor do mundo, como irei comentar. Mas antes de tudo gostaria de começar pedindo desculpas pela minha ignorância no âmbito computacional. Não sei se foi ignorância minha chama-los de hackers, provavelmente existem aqueles que não concordam com o termo, isso já não me diz respeito.

A volta de Dylan Stack foi uma surpresa para muita gente e devo confessar o meu descontentamento com os roteiristas por não se esforçarem mais para lembrar os seus telespectadores sobre o personagem. Para aqueles que não se lembram, Dylan foi um cliente da Lockhart/Gardner que foi introduzido no episódio “Bitcoin for Dummies” e naquela época alegava que estava representando o cliente que criou o Bitcoin. Enfim, ele recorre a Alicia necessitando novamente da ajuda dela. Enquanto isso, Will está tendo problemas para encerrar um caso no tribunal sobre uma garota que estava processando um rapaz que supostamente a estuprou. Confesso que primeiro fiquei com cara de quem não está nem aí na hora que ela começou a se rebelar contra todo o sistema, mas depois admirei a sua coragem, afinal, quem iria conseguir manter a sua palavra mesmo ameaçada de ficar presa durante várias semanas ou até mesmo meses?

O caso foi até bem construído, e me lembrou de um julgamento muito polêmico anos atrás aqui em Santa Catarina. Sobre um garoto de 14 anos, classe média alta que estudava em um dos colégios mais prestigiados do estado, filho do dono da maior empresa de comunicações do sul do país e que estuprou uma garota no seu apartamento e até mesmo enfiando objetos na coitada da moça. Para vocês verem como a natureza humana é estranha e às vezes perturbadora, nesse exato momento em alguns estados americanos está tendo debates sobre se o aborto em caso de estupro deve ser legalizado. A impunidade nesses tipos de caso não é exclusividade do Brasil, tanto que a série fez questão de mostrar esse lado do Anonymous, que ajuda a desmascarar as hipocrisias da sociedade e trazer justiça aos cidadãos de bem. Por outro lado, não devemos deixar de comentar que a série mostrou os 2 lados da moeda. Se a organização ajuda a mostrar essa face da sociedade, ela também pode prejudicar as pessoas que não tem nada haver com isso, pegando o exemplo da menina, que poderia ter sido presa por até mesmo anos por causa do radicalismo que eles usam.

Já falando sobre o outro arco do episódio, o winter is coming Cary, é melhor ficar de olho porque eu não acho que vai dar certa essa ideia de sair da firma. Embora bem no fundo da minha mente eu torça por uma parceria Alicia & Cary, eu duvido muito que os roteiristas irão por esse caminho. E, aliás, eu não quero mais nem um ruído sobre falência, se os associados de 4º ano saírem problema é deles, diga não ao #MiMiMi!

E o resto do episódio foi ocupado pela Diane em sua escalada para o topo da montanha. Foi difícil e ela sabe que provavelmente nunca mais irá ter a mesma oportunidade novamente, e acreditem, indicações para a Suprema Corte do estado não acontecem o tempo todo. Então será obrigada a tomar algumas decisões difíceis, como se desligar totalmente da figura do Will em sua vida e não deixar que o seu lado advogada interfira no seu lado juíza.

Observações:

- David Lee soltando a franga em reuniões esporádicas, quem não ama?

- Apenas amei o fato que menina Robyn veio pra ficar!

- Sono profundo da cena da Grace com a Alicia.


Talvez Você Curta

3 comentários

  1. Adorei o episódio, acho que já são mais de 10 episódios nesse ritmo e criatividade. Adorei a participação do Jason Biggs, só esperava mais destaque do John Glover, mas novamente ofuscaram ele kkkkk

    Adoraria ver Florick, Agos & Associates.

    ResponderExcluir
  2. Todas as cenas de Grace trazem sono prodfndo para todos os telespectadores.

    ResponderExcluir
  3. Tem episódios de TGW que dão dor de cabeça de tanto que tem pra gente pensar. Esse foi um deles. Toda essa coisa "V for Vendetta", em que eles acabaram atrapalhando quando tentaram ajudar, a hipocrisia da sociedade, que deixa criminosos sórdidos soltos por causa de tecnicalidades. E Diane, que vai ter que abandonar totalmente quem ela é - parceira de Will na L&G - pra talvez conseguir ser quem ela quer - juíza da Suprema Corte. Fico intrigada com essa visão que os roteiristas vendem sobre Will. Todo mundo, menos Alicia, Diane e Kalinda, acha que ele é um canalha. Será mesmo? Cary sai ou não sai? Adoro ele onde está, mas acho que uma firma rival "sangue no zóio" (mais uma) faria bem à série.


    PS: deveria ser obrigatório ter um momento David Lee em todos os episódios, com suas falas babacas e afetadas deliciosas, sambando na cara de quem quer que esteja no seu caminho!

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe