The Voice UK 2x09: Super Battle Saturday

quarta-feira, maio 29, 2013


"She'll get a hold on you believe it" ou "A enrolada segunda temporada do The Voice UK

Se eu disser para vocês que o The Voice UK começou a exatamente dois meses atrás e ainda não conseguiu sair da segunda fase da competição vocês não acreditariam. E pior, se você soubesse que todas as outras franquias que começaram na mesma época já estão quase nas suas finais, vocês surtaria né?! Pois é, esse é claramente o meu caso, não aguento mais, não sei como a produção do programa britânico conseguiu enrolar tanto essa temporada. Hiatus, horas reduzidas, enrolação nas blinds, programas compactados, samba nos dias e nos horários do programa, um festival de cagadas, simplesmente não consegue-se segurar um público fixo desse jeito. Meteram tanto os pés pelas mãos que considero até darmos adeus à franquia do programa na terra da rainha. Não que vamos sentir alguma falta, porque está dando um belo de um sono.

Claramente o "Super Battle Saturday" exibido nesse sábado era para ser divido também em dois programas como no final de semana passada, mas como ia ficar muito sem graça, levar o programa ao ar nos mesmos moldes da outra semana, e a moda é sambar nos horários, a produção do show resolveu nos presentear com duas cansativas horas, de "Battles" mornas e extremamente sem graça que deixaria com sono até o mais ávido dos fãs do programa. Cagadas nas decisões, escolhas musicais ridículas, falta de treinamento adequado, muito drama e pouca música de qualidade, foi o que vimos neste fatídico sábado que completou o marco de dois meses de enrolação programa no ar. Vamos logo as apresentações.


A noite começou com Danny O'donoghue fazendo o favor de estragar uma das minhas músicas favoritas de uma das bandas mais fodas de todos os tempos. "Are You Gonna Be My Girl" é rock, e não uma disputa de vocal, e o que pareceu é que os candidatos estavam se importando muito mais em gritar do que sentir à música, que claramente foi uma péssima escolha para o alcance vocal deles. Não gostei de nada, não consegui curtir, mas ainda acho que Ricardo Afonso era sim um melhor cantor, e que Mitchel Emms, ainda tem muita farinha para comer. Ele me cansa e não gostei da decisão do treinador.


Em seguida vimos o country meia boca de Emma Jade Garbutt e Mike Ward, que vamos ser francos né, não representam o estilo, e nem deveriam chamar eles de tal. Sério, ninguém fez o dever de casa? Não assistiram a tape de Karise Eden no The Voice Austrália ano passado? Primeiro, a voz de Emma me irrita desde às "Blinds", todos sabem disso, segundo quem é Mike Ward? O programa enrola tanto que já nem me lembrava mais do candidato, corri atrás e vi que a "blind" dele realmente tinha sido muito boa, mas não consegui ver nem vestígios dela nessa "battle". O cantor parece que estava com algum problema estomacal. Mas enfim, acho ele melhor mesmo em um panorama geral e a escolha de tom foi sensata, como sempre.


Eis que Jessie J então me pareia uma das melhores candidatas de seu time, contra a piada da temporada, beleza! A escolha musical foi sensata, Marie J. Blige, claramente favoreceu Letitia Grant-Brown (nossa nova marron). Na apresentação tudo como já prevíamos, ela divou e ele foi um ridículo, enquanto a voz da cantora era toda soul e encorpada Alex Buchanan só fazia gritar no palco e pular feito uma gazela, não aguentava mais ouvir a voz dele de tão irritante. Letitia, claro, ganhou, até aí tudo bem. Mas para a grande surpresa de todos, no momento do "steal", ao qual o cantor não deveria ter tido direito, dois coaches apertaram o botão, isso, os mesmos dois que tinham tirado com a cara dele porque ele tinha desafinado na sua "blind". Danny burro, com um time fraco ao invés de usar o benefício decentemente,vem e me faz isso. 


A primeira "battle" descente da noite claro que tinha que ser do time campeão. #TEAMJONES que sempre apostou em grande vozes, sempre nos proporciona também grandes momentos nos "Battle Rounds". A escolha de Elton John claro que foi perfeita, os cantores estavam bem sintonizados com a música, e devo confessar que Diva me surpreendeu, tinha achado eles boas, mas nem de perto o que eu vi, as harmonias delas na música foram incríveis, elas tem muita química, deram um show em Carla and Barbara. A pena é que do outro lado estava a grande voz de Joseph Apostol que detonou a música do início ao fim, e no fim das contas não tinha como Tom Jones tomar outra decisão. Essa sim foi uma "battle" que valeu apena assistir.


O pareamento de Abi Sampa e Laura Oakes achei bem sensato, afinal as duas possuem estilos alternativos e a ideia era ver quem se sobressaía mais no seu estilo, e conseguia uma conexão maior com o público. O resultado? Nenhuma das duas conseguiu e foi tudo bem mais do mesmo. Nunca ouvi essa música da Emeli Sandé, mas tenho certeza que deve ser melhor do que isso. Tudo foi muito fraco para mim, Abi apesar das firulas indianas que fazia, perdeu o fôlego diversas vezes durante a música, mas como tem um timbre mais diferenciado conseguiu se sobressair à também comum apresentação de Laura.


Na última e fatídica "battle" da primeira etapa, não poderíamos esperar outra coisa, afinal quando coloca-se duas "Drama Queens" no palco, o mínimo que você pode esperar é "lots of drama". A apresentação foi desastrosa, uma gritaria sem fim, não consegui ver nem 20% do Liam Tamne que eu vi nas "Blind Auditions", acho que ele acabou entrando muito na onda de gritar da amigue e acabou se fudendo. No final, na hora da decisão, ninguém tinha ido bem, mas era bem óbvio que Liam era uma cantor melhor que John Pritchard, porém para a nossa surpresa, foi o segundo que Will I Am escolheu. As gurias choraram no palco, a favorita porque tinha perdido, e a outra porque a amigue ia para casa, foi um drama sem fim. E Jessie J que não pode nunca deixar ninguém ser mais dramática do que ela, fez toda uma cena porque adorava o menino, mas não tinha mais "steal". Só sei que consegui dar muita risada com a situação toda, ri muito quando Will vira e fala: "Jessie is just being Jessie". Muito bom!


Continuando os trabalhos, o domingo a segunda etapa da noite começou com a ótima "battle" de Jessie J, aqui é o momento em que eu que critico tanto o personagem da cantora no show devo tirar o meu chapéu para as suas escolhas musicais. Olhando para trás ela foi a que fez menos cagadas e só errou mesmo na "battle" de Cassidy e Benbow. A escolha de "Soulman" não poderia ter sido mais incrível, explorou o que os dois rapazes tinham de melhor, e vimos uma apresentação ótima, apesar de Lem Knights continuar fazendo aquelas coisas exageradas que eu não gosto e que a treinadora pedir para ela não fazer. No final, Trevor Francis foi bem mais completo e mais superior, bem na medida e mereceu ganhar. O que não impediu do menino ocupar o último "steal" restante do jogo no #TEAMWILL, aonde acho que ele não irá muito à frente. 


A battle de Alys Williams e Lareena Mitchell foi bem previsível, a escolha de Laura Marling com certeza favoreceu à cantora que além de favorita, já havia cantado folk na sua "blind audition". Isso além do fato de Alys ter todo um controle técnico muito superior na preparação da música e na própria apresentação. Acho a voz de Lareena muito boa também, mas aqui claramente a veterana de The Voice foi melhor. Gostei muito da puxadinha que que ela fez no erre quando cantou "Rambling Man", muito bom. 


Teve também a "battle" do quem eu detestava menos. Lembro que nas "Blind Auditions", a voz de Paul Carden foi uma coisa que me irritou muito, acho que de todas as versões ruins de "Locked Out of Heaven" ruins que tivemos pelos The Voice esse ano, a dele foi disparada a pior. Em contra partida Sean Rumsey desafinou bastante também na sua versão do Maroon 5 e não esperava que ninguém fosse virar para ele. Achei a música bem escolhida, a "battle" foi bem mais do mesmo, afinal #TEAMDANNY já havia tido uma igual no começo do programa, mas como o treinador já havia escolhido o seu vocalista de rock na outra "battle", aqui ele então optou pela menos pior melhor voz e Paul acabou rodando


A última "battle" do #TEAMWILL foi realmente divertida de assistir. Acho que entretenimento não faltou no embate entre Moni Tivony e Emily Worton. A música foi muito bem escolhida e claramente favorecia o estilo musical da menina, Tivony não se intimidou, foi para o confronto, e fez umas voltinhas com a música que ninguém em nenhum The Voice até hoje, nem Cassadee Pope, teve coragem de fazer. Dominou a menina na zona de conforto dela, mereceu continuar, e pelo menos dessa vez Will foi sensato.


Não! Para mundo! Me deixa descer! É sério que Tom Jones colocou Laura Marling e Muse para os seus candidatos essa semana? Agora ele conhece indie? Quer ser amado mais do que já é? Não, sem contar que colocou Muse para a sua dupla veterana, achei inventivo, achei debochado da parte dele. Sério, acho a voz de Colin Chisholm muito boa, ele ficava fazendo aquela dancinha travessa no palco, acho Ragsy meio songa, mas voz dele também é bacaninha. A "battle" no geral ficou bem surpreendente e com um resultado muito legal mesmo de se ver. No final eu tomaria a decisão oposta, mas "Tom has a plan!"   



Com um time de merda Danny O'donogue conseguiu ganhar mais um "pimp spot" nas "Battles", e devo dizer que os dois foram bem merecidos. Fruto do fator surpresa dos candidatos? Foi o bom treinamento do coache? Não sei, só sei que as duas foram regadas à muito drama, ótimas apresentações, e fortíssimas eliminações. Karl Michael e Nadeem Leigh sempre foram os dois melhores do #TEAMDANNY para mim, quando vi eles pareados fiquei com a mesma cara dos outros coaches... Por que Danny? Mas se valeu de alguma coisa, foi para nos presentear com um grande espetáculo, e acho que Karl Michael tem grandes chances de colocar a mão no caneco nessa fraca temporada do programa.


Depois do cansativo "Super Battle Saturday" vamos ver como os times se organizaram para os K.O.s...

#TEAMDANNY fez uma boa peneira, conseguiu ser bem sensato nas suas escolhas, afinal precisava, e incrivelmente conseguiu tirar leite de pedra. Ele conseguiu levar os nomes fortíssimos de Andrea Begley e Karl Michael adiante, e o "teen hit sensation" Conor Scott. Eu apostaria nesses três nomes emergindo da próxima etapa e seguindo direto rumo as finais. Completando à equipe ainda temos Mitchel gritaria Emmstrilha sonora de sexo tântrico Abi Sampa, cantor de youtube Sean Rumsey, e o ótimo "steal", só que não, de Alex Buchanan, eta lambança hein! Ér... Acho que não está tão bom assim como eu disse...

#TEAMJESSIE pintou e bordou, fez o que até Deus duvida, e de doze candidatos da formação original, conseguiu levar nove para a próxima etapa. Só saiu mesmo quem era muito genérico, afinal, até Alex Buchanan continuou na competição. No time mesmo continuam as poderosas vozes de Ash MorganLetitia Grant-Brown, Trevor Francis e Sarah Cassidy, os ótimos Danny County e Lovely Hill, e ainda o grande "steal" da temporada Matt Henry, que ao contrário dos outros, esse sim tem chances de ir à frente. Dado o panorama acima, não sei o que Jessie J vai fazer nos K.O., mas vão ser momentos agonizantes, ela conseguiu levar um time muito bom, quase igual ao #TEAMWILL.

#TEAMJONES chega ao final das "Battles" como o time mais apagado, e até agora não consguiu construir grandes front-runners como tínhamos ano passado. Em destaque temos Alys Williams, que foi bem normal nessa fase, Joseph Apostol e Jamie Bruce, que ainda é uma das vozes mais fortes do jogo. Ainda temos na equipe RagsyCherelle Basquine e Mike Warde, que pode se recuperar e surpreender. Completando a equipe temos o ótimo "steal" de Adam Barron, que pode sim conseguir ir adiante.

#TEAMWILL continua aqui no posto de liderança simplesmente pelo fato de ainda deter o trio de divas mais poderoso que eu já vi passar pelo programa, mas seu time já não tem mais toda a pompa de antes, depois de algumas cagadinhas que ele fez nas "Battles". Com a grande decisão de escolher entre Cleo Higgins, Leanne Jarvis e Leah McFall para acompanhar Moni Tivony nos "lives", não vejo mesmo aonde Jordan Lee DaviesJohn Pritchard se encaixam nesse panorama. Temos ainda o roubado Lem Knights, que pode até surpreender, mas duvido que ele consiga ir adiante.

No mais é isso meus caros, uma bela enxugada foi feita nessas "Battles", semana que vem teremos mais uma, que eliminará mais uma metade dos candidatos, e finalmente os grandes nomes da competição estão brotando. Parece que o The Voice UK está disposto mesmo a correr atrás do tempo perdido. Não sei direito como vão funcionar os "Knockouts" semana que vêm, afinal temos um número ímpar de candidatos, mas espero que o show seja bacana, afinal restaram nomes bastante interessantes na competição. Até lá!

Talvez Você Curta

5 comentários

  1. Nossa quanto amargor nesse coração curitibano nego, diferente de voce eu adorei as battles e nem as achei cansativas, achei tudo maravilhoso, menos os comentarios idiotas de Will.I.am que eu ficava revirando os olhos.

    ResponderExcluir
  2. kkkkkkkkkkkkk Não é amargor é cansaço msm! Uó! BTW nd de curitibano hein! Carioca! rsrs apenas resido aqui em CWB

    ResponderExcluir
  3. O Will é tão ruim que eliminou a Judith, kkkkk

    ResponderExcluir
  4. Mil desculpas pelas meras palavras,creio que você foi mais uma daqueles bobos estudantes que passou anos estudando jornalismo ,ou não,kkkk Com o intuito de criar algo envolvido a mídia como se evidencia essa mísera página,posso lhe dizer que essas esplendorosas "opiniãozinhas"sem argumentos não atrairá nem um público como não me atraiu
    Amigo seja mais criativo nas palavras
    Obs:não ligue com erros ortográficos em minhas palavras nao pois terar mais tempo para estudar aquela matéria que n prestou atenção na aula

    ResponderExcluir

Fala aí, seuslindos!

Disqus for Seriadores Anônimos

Subscribe