Person Of Interest 4x05/06: Prophets/Pretenders

segunda-feira, novembro 03, 2014


Após seguidos episódios que pouco contribuíram para suas tramas principais, Person Of Interest parece ter reencontrado seu ritmo nessas duas últimas semanas. Prophets e Pretenders conseguem aliar de diferentes formas o caso da semana com o arco que vem sendo desenvolvido nessa temporada.

Em Prophets, onde vemos o Samaritano agindo de forma direta para controlar o resultado de uma eleição, a série constrói ao mesmo tempo uma boa trama para o episódio em si, como também se aprofunda um pouco nas emoções de Finch e Root. Pela primeira vez a existência do Samaritano parece de fato um problema quase intransponível nas tentativas do grupo de salvar Simon, cobrando um preço para ser superado que Finch se mostra desconfortável em pagar, quando ele tem que mentir para Simon, fazendo ele acreditar que errou.

Os flashbacks detalham melhor o envolvimento emocional de Finch nessa briga de inteligências artificiais. Os padrões de comportamento que ele observou na sua criação no passado agora se manifestam de forma assustadora no Samaritano, tornando o medo dele compreensível. Por outro lado, a devoção de Root a Máquina oferece um contraponto ao pessimismo dele. Mesmo que ela sequer consiga se comunicar com a sua deusa – os momentos em que ela deixa transparecer como é cansativo mudar de identidade a cada dois dias se destacam –, ela permanece fiel a sua ideia de que Finch criou algo perfeito, e que se importa com pessoas.

Há alguns deslizes no episódio infelizmente. Ele levanta propostas interessantes e recorrentes na ficção científica, mas que são deixadas de lado por uma necessidade de manter o formato da série. As cenas de ação também deixam a desejar, não por serem mal produzidas ou dirigidas, mas pelas atitudes improváveis de Root e da sua semelhante que trabalha para o Samaritano. Que as máquinas sejam capazes de calcular com precisão os ângulos e direções de cada tiro não me surpreende, mas os movimentos robóticos das agentes humanas de cada máquina, como se obedecessem cada comando com a mesma precisão, jamais parecem realistas.

Pretenders é um episódio infantil – ou o mais próximo disso que uma série como Person pode ser – ao apresentar um protagonista que parece viver num mundo de fantasia e que olha para ações de Reese como o Homem de Terno da mesma forma que uma criança enxerga um herói numa história em quadrinhos. Até a forma como ele se veste evoca a ficção, já que o sobretudo e o chapéu trazem a memória a imagem de um detetive de filmes Noir.

Numa série que é habitualmente tão realista – na medida do possível, considerando a sua premissa –, até pessimista em certos momentos, e que enxerga as ações de Reese e companhia como algo que não se encaixa exatamente no bem, mas tampouco no mal, é interessante essa mudança de tom. Chega a ser cômico ver como ele não sabe agir como um policial, mas é sempre bem-intencionado.

Nesse clima mais leve, até a história das disputas de gangues em New York se tornou melhor. Mesmo que diante de uma disputa entre duas máquinas superinteligentes essas brigas de bairro pareçam menores, elas podem funcionar como um problema que deve ser resolvido enquanto os protagonistas tentam se esconder do Samaritano.

Os planos de Finch a essa altura ainda são misteriosos, mas o que foi visto dele nesse episódio foi o suficiente para me deixar intrigado sobre essa nova postura mais ativa dele. Qual o plano dele? Como ele sabia sobre a importância daquela mulher para o Samaritano? Ainda não sabemos a resposta para essa pergunta, mas finalmente a série esta voltando a despertar a curiosidade.

Talvez Você Curta

0 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe