Person Of Interest 4x20: Terra Incognita

terça-feira, abril 21, 2015


Terra Incognita divaga das tramas principais de Person. Faltando apenas dois episódios para fim da temporada, a série já deixou claro que o problema a ser resolvido pelos protagonistas no season finale será a busca do Samaritano pela Máquina. Apesar de termos uma ideia sobre o que veremos, não há a construção narrativa crescente que leve ao clímax desse quarto ano.

Ainda que o mais recente episódio seja mais um exemplo dessa falta de ritmo, ele conta uma excelente história que se sustenta por si só. Ela se relaciona com a constante antecipação por algo ruim que esta por vir, com os personagens que sempre fazem questão de lembrar o quanto tudo está mais perigoso agora e que provavelmente nem todos chegaram vivos ao fim da guerra contra o Samaritano, mas o faz de uma forma muito pessoal, se concentrando em Reese, um personagem que parece sempre inabalável.

O tipo de anti-herói silencioso que define Reese torna difícil explorar um lado sentimental do personagem. A série resolve bem esse problema ao usar as alucinações dele com Carter como uma forma de humanizá-lo. Durante toda aquela conversa que John apenas imagina, é possível rever as características recorrentes do personagem, a culpa que sente pela morte de Jessica e a necessidade de se manter isolado de todos. A luz que surge na estrada no fim do episódio funciona como a “luz no fim do túnel”, simbolizando a chance que de um final melhor que aquele sombrio que ele espera para alguém como ele.

O caso da semana pouco importa, se mostrando apenas uma desculpa para colocar Reese numa situação de vida ou morte enquanto Finch, Fusco e Root estão distraídos com outro problema que existe apenas para mantê-los ocupados e desatentos com o companheiro que precisa de ajuda. O trio aparece nas cenas necessárias para reforçar a ideia de que Reese não está sozinho, e que há pessoas que se importam com ele. Ao remover todos os elementos não essenciais para a história que estava sendo contada, os roteiristas estiveram livres para criar um episódio que se divide entre tempos diferentes e entre realidade e alucinações, sendo um dos mais distintos capítulos da série até aqui, junto com aquele que mostra variadas iterações do processo de tomada de decisão da Máquina.

Se naquele episódio vimos a “morte” de Shaw, agora temos Reese e a realização de que talvez haja uma chance de final feliz para ele. Fugir do óbvio foi uma decisão acertada nos dois casos, o que me faz olhar para todos aqueles outros momentos dessa temporada em que a série poderia ter sido ótima, livre das limitações do seu formato que pareciam quase esquecidas na terceira temporada, mas optou por ser medíocre, presa ao passado, e me perguntar “Por que?”.

Talvez Você Curta

6 comentários

  1. Sher (#forçandointimidade), se não era alguma coisa muito datada, que por não ter opinado na época não ia ter muito o que ajudar depois, é possível que tenha se perdido no formulário sim, pq acho que nesse programa foram todas as que estavam arquivadas que não tinham ido ao ar ainda. Mas manda de novo que teremos o maior prazer em discutir!

    Fico feliz que de alguma forma, entre nossas troladas e jeitinho de às vezes não levar todos os problemas a sério, fique essa sensação de "não estou sozinho", eu mesmo tiro várias lições de algumas das discordâncias nos conselhos das barras e de ouvir a opinião no melhor estilo "deixa de drama" dos coleguinhas doutores. Obrigado pelo comentário cabeça!

    ResponderExcluir
  2. Enviei! Duas vezes dessa vez, por garantia. Enviei com outro pseudônimo, se descobrir qual barra é a minha, favor não associar ela a mim.

    Dica-sugestão: teria como colocar um campo "email" lá onde cria a "barra" pra você poder dar um retorno do tipo "recebi sua barra"?

    Fui!

    ResponderExcluir
  3. Então, até dá, mas aí tira o sentido da anonimidade formulário. Por e-mail, você pode enviar pro seriadores@gmail.com

    ResponderExcluir
  4. OK, excelente você ter comentado isso sobre privacidade. O que vem a seguir não tem NADA a ver com o S.A.D. mas acredito ser útil á todos: "ser anônimo" só existe hoje no nível "ralé", popular "povão". Você não sabe quem eu sou, eu não sei quem é o AzBats MAS...todas as grandes nações do globo, se quiserem saber, tem recursos para tal. Incluo aí, grandes empresas e empresários que assim o queiram, pois possuem recursos(grana) pra contratar hackers pra descobrir quem você é, mesmo que tenha sido "postado" lá pelo formulário. Todas as operações deixam logs por tudo quanto é canto, sei porque já trabalhei em empresas de banda larga e telefonia.

    Meu motivo pra estar aqui como #Sher :-) é porque infelizmente, não vai ser a geração dos meus pais, e muita gente da minha, que vai respeitar e entender minha sexualidade. Talvez seja covardia da minha parte, ou apesar de tudo, respeito da minha parte aos meus "parentes" e alguns amigos, não sei... Bom essa é apenas UMA das razões por eu defender tanto a liberdade de expressão e a privacidade. Por isso não engulo essas desculpas esfarrapadas dos governos de "é pra proteger as criancinhas" visando acabar com a privacidade, porque eles SABEM que privacidade de verdade não existe já como estão as coisas HOJE. Talvez isso seja lobby das empresas menores que também desejam esse poder, ou apenas distração pro povão, tipo #gamergate, assim a galera fica discutindo essas besteiras e não vê o que está rolando entre os grandes players mundiais e suas agendas. Modo conspiração detectado...eject! eject!

    Mandei minha treta como Max, mas pode trocar pra #Sher se quiser. Quanto ao email, beleza... só quero citar que em 1 minuto você cria uma conta anonima se quiser. Eu mesmo tenho uma só pra spams e ofertas.

    Pra encerrar, hoje, a NSA por exemplo, se assim quiser, não só sabe quem eu sou, como tem condições de acessar meu pc ou smartphone, ENTUPIR ele de sei lá...pornografia infantil, criar logs mundo afora disso, esconder isso de mim, e fazer uma denúncia á PF anonimamente e gentilmente "me foder". Obviamente isso não vai acontecer no meu caso, afinal, eu sou só um zé ruela qualquer, mas seria bom as pessoas tomarem muito cuidado ao julgarem "famosos ou poderesos" magicamente "pegos" nesses crimes de supostas "lavagens de dinheiro". Num mundo onde quase tudo é eletrônico, quem tem poder e dinheiro pode manipulá-lo a seu bel prazer.

    É isso, beijos na bochecha(de cima ou de baixo?) de todos vocês meus queridos.

    ResponderExcluir
  5. Bacana o seu discurso, muitas reflexões a fazer se o assunto tiver em debate, mas eu só tava falando que, ao invés de colocar o campo e-mail no formulário, você pode escolher enviar por e-mail mesmo, seja com o seu e-mail de verdade ou conta anônima criada em 1 minuto :D

    ResponderExcluir
  6. Ops, "que burro! dá zero pra ele!" huahuahua

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe