S.A.D. 86 | Estranhos no Ninho

domingo, maio 05, 2019


Esse podcast é para quem está com dificuldades para aceitar uma presença diferente no domicílio, seja da nova namorada do pai viúvo ou da Marcinha, colega de apartamento que só quer falar em paz de suas paixões não-correspondidas e olhar profundamente nos olhos das amigas, mesmo quando elas estão com a genitália pra cima. Tem ainda gente disposta a mexer nas economias pra garantir a FGTS, ex-trouxa e uma comovente história sobre homossexualidade e culpa construída pela religião, com identificação garantida pra muitos LGBTs.



Siga o SAD como um verdadeiro stalker: iTunes | Android | Spotify | Grupo no Telegram

Quer nos ajudar a produzir cada vez mais e melhor? Seja nosso PADRIM.


Envie SUAS HISTÓRIAS anonimamente pelo formulário para os próximos programas.

Nessa sessão:

As Namoradas do Papai”
Dois anos após a perda da mãe, esses irmãos estão contrários à ideia do pai trazer outra mulher para dentro de casa. Ele está de olho em três mulheres e a candidata mais forte morta em outro estado.

“Pagando Pau”
Preocupado com a falta de FGTS, rapaz se envolveu com o “clássico hétero com namorada que adora um sexo gay”, fez A3 com um amigo dele e agora quer repetir a experiência sem o hétero, mas aparentemente terá que pagar um preço alto pelo replay.

Bate-Volta
Saito, do caso “Obrigada, Em Dobro Pra Você, Te Amo?” (SAD 43, BV no 45 e 49)

“Presença de Marcinha”
Saturadas com a personalidade efusiva da colega de apartamento, essas mulheres muito trabalhadoras, avessas a fechar a porta e sem tempo para conversas insignificantes não sabem mais como evitar os olhares significativos da garotinha com quem aceitaram morar.

“A Cruz que Carrego”
Doutrinado desde a infância a acreditar que sua sexualidade é obra de demônios, Nathan conta a sua trajetória com muitos momentos de pesar, e mesmo que hoje esteja fazendo terapia e progredindo, ainda há um longo caminho para a cura. 

Participantes
Edu S(t)a(r)cer
Erika 'Troll' Ribeiro
Leo 'InstaBeard' Oliveira
Sidney 'Deridévio' Andrade
Taylor 'Battlefield' A. Rocha

Links
CVV | Centro de Valorização da Vida
Erika's Small Talk
LoGGado
Estação 9 3/4 
Karaocast - Edição da Década

Trilha Sonora
Ava Max - So Am I
Raça Pura - O Pinto
Seketh Barbara - Bicha, Pague Meu Dinheiro
Michael Jackson - Billie Jean (Versão Swingueira)
Nova Dinova - Did You Disappoint Your God?
Mandy Moore & Michael Stipe - God Only Knows

Talvez Você Curta

16 comentários

  1. Que episódio lindo pra ouvir com a xana pra cima (QUE). <3

    ResponderExcluir
  2. O processo de luto dura um ano e o pai de Rachel parece um tanto quanto desesperado. Se ele quer namorar, tem todo o direito, mas devia respeitar os filhos e não por a desconhecida dentro de casa, A vida cobtinua, mas namora fora de casa e respeita a filha que perdeu a mãe, poxa vida.

    ResponderExcluir
  3. Achei chato o caso do André. Só quis dizer que tem dinheiro. O q adiante ter dinheiro e não ter um caso cheio de reviravoltas pra mandar?

    ResponderExcluir
  4. Billie Jean, vai arrumar uma louça pra lavar. Coitada da Marcinha, só quer amor e vc manda mensagem pra fakar mal da menina que não fez mal pra ninguém.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. OH MY GAD! CAMIS NO PRÓXIMO SAD!
    EDITA LOGO, LÉÉÉO!

    ResponderExcluir
  7. Episódio show de bola! Invejando e desejando a serenidade e sabedoria de Érika. Talvez eu só tenha cada vez menos paciência.
    Sidney, tô querendo esse crossover na minha mesa pra ontem.
    Eu dei um grito aqui mesmo sem voz me sentindo uma adolescente de novo quando ouvi que Camis no próximo programa.
    Vocês são maravicherry.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu fui serena e sabia? 😮
      Vou ouvir esse podcast Hahahahaha
      Abraço 😉

      Excluir
  8. Poxa, Nathan, queria muito poder estar do seu lado agora só pra olhar nos seus olhos e dizer que tudo vai ficar bem. Sua história é muito semelhante à minha e até não tão grave, se comparada a de alguns amigos.
    Por muito tempo eu quis ser bom pra poder me sentir aceito por um Deus que amava a todos, mas que não me aceitava por ser assim. Foram quase duas décadas lutando em busca de uma cura que nunca veio. Durante esse período, fui líder de jovens, de adolescentes, professor da ebd, líder de igrejas, dirigia e pregava em conferências, fui da banda e organizava de retiros, jejuns e vigílias. Apenas um pedido estava no meu coração. Um pedido que nunca foi atendido. Um milagre que nunca veio.
    Após muita luta, estudo, oração e terapia (sim, ela é necessária e passei por três profissionais até encontrar um que me entendia), finalmente aprendi a ME amar e me permiti amar tbm. Conheci pessoas que me ajudaram, fortaleci algumas amizades da igreja e deixei pra trás alguns líderes que diziam que devemos amar ao próximo (exceto se o próximo for gay, aí pode jogar pedra). As ideações suicidas ficaram pra trás, no mesmo lugar que eu deixei a culpa que sentia por ser assim, pela "escolha" em ser gay.
    No meu caso, sexo sem compromisso nunca foi uma opção. Tive poucos relacionamentos duradouros, que me ajudaram em momentos da minha vida. Hj consigo ser feliz comigo mesmo e, quando aparece uma oportunidade de algo mais sério, eu me entrego. Pra evitar o constrangimento de ser julgado pelos pecadores da igreja reduzi minha frequência aos cultos e aumentei minha comunhão diária. Nos dias que eu estou mal, apareço lá pra matar a saudade dos amigos. Tem funcionado por quatro anos já.
    Então, não desiste, ok? E, de verdade, acho interessante vc dar uma procurada em outro terapeuta. Dar dinheiro pra Bolsominion não é bom.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por partilhar com o Nathan sua história. Isso ajuda muito, saber que tem outros passando dificuldades, mas que estão dispostos a dividir suas experiências e apoiar os outros.
      Um forte abraço!
      Se cuide também!

      Excluir
  9. Poxa, só queria agradecer muito por essa última leva de episódios. Gosto da zoeira e amo a sensibilidade com que vcs tratam alguns casos. Nesse ep, em particular, agradeço as palavras do Luciano e do Sacer. Queria muito ter ouvido isso há uns anos atrás. Teriam me aberto os olhos (os três olhos (QQQQQ?)) mais cedo. Um forte abraço.

    PS: Veeeeeem, Camisinha!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que comentário lindo, Tony!
      A gente brinca, mas tenta ajudar! <3

      Excluir
  10. Assumindo aqui meu lugar de fala, todas as Márcias que eu conheço são gente boa. OK, Sidney? Beeeeijo!

    Só queria dizer que, no caso da Marcinha, faltou o conselho de apresentar o SAD pra ela mandar todas as barras. Assim ela para de procurar as coleguinhas.
    :)

    ResponderExcluir
  11. Episódio lindo!
    E tô passado que a Érika tem 40 anos! A beesha dorme no formol? #xuxavibes

    ResponderExcluir
  12. Triste essa opressão que certas religiões fazem. Religiões podem ser tão boas e fazer bem, mas as pessoas pegam os lados negativos pra acusar os outros e se acharem melhores.

    Eu penso assim: acho que não tá escrito na Bíblia que Deus condena os homossexuais. Acho que Deus e Jesus não disseram pra odiar ninguém, disseram pra amar os outros. Essa parte as pessoas parece que esquecem.

    ResponderExcluir
  13. https://glo.bo/2HmI8MA

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe