S.A. Cast 11x19: A Maldição da Mansão Bly e os Parafusos Soltos

13.10.20


Eu, você, nós. Colocamos as nossas frustrações dentro do baú para contar, quase com a mesma dinâmica e duração da narradora, os últimos episódios de A Maldição da Mansão Bly. Tem momentos em preto e branco, descoberta da morte pela enésima vez, mulher do lago caindo em cilada a despeito de seu poderoso mindset e envelhecimentos em ritmos diferentes, tudo embalado ao som de XURABI.

Faça o download clicando AQUI ou escute diretamente no player

Assine: Apple | Android | Spotify

Participantes
Amanda Aguiar
Erika Ribeiro
Leo Oliveira

Trilha Sonora
Pitty - Memórias
The Haunting of Bly Manor - Main Titles by "The Newton Brothers"
Luka - Porta Aberta
Sheryl Crow - I Shall Believe
Pitty - Na Sua Estante


Talvez Você Curta

10 comentários

  1. Amei o que já pude ler de ficção e não ficção do Henry James, então, adicionei essa adaptação na lista.
    A antologia anterior eu abandonei na premiere, não é pra mim, foi o único contato com produções do Flanagan que tive até hoje.
    Assim que houver tempo retomo os seriados que assistia no Netflix e Prime e aos poucos vou diminuindo a lista. Mas, nenhuma pressa, nem expectativa.
    Outras adaptações da obra não me interessaram...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que você devia dar uma outra chance a Residência Hill! Bem melhor do que seguir pra Mansão Bly, hehehe. Mas entendo a sensação de não ser pra você.

      Excluir
  2. Eu tava pensando "vou comentar em cima disso que eles falaram", até que o Léo fez o "Vou mutar Érika. Brinks kkkk...mutei". Menino, o tanto que eu ri. Esse é principal do comentário, precisa nem ler a partir daqui.
    Sobre a série, eu gostei dela, eu vi os episódios seguidos, ficava chateada por detalhes como eu ter que comer ou dormir interromperem isso. Se eu fosse Carla Gugino, falaria pra Flora adulta "Moça, você não prestou atenção na minha história, todos os casais são trágicos e vamos todos ficar sozinhos, boa noite".
    Apesar de eu ter gostado e ter prestado atenção real, vocês tiraram minha dúvida de como a casa da Flora espelhava a casa em si. O menininho sin rostro. Então eu vou deixar mais alguns questionamentos pra ver se são respondidos também: Durante o período que os pais das crianças estavam vivos, a mulher do lago não acordou nunca? Foi aleatório ela acordar duas semanas antes da babá chegar? Como confundiram uma pegada de um adulto com a de uma criança? Se eu ficasse do lado da mulher do lago, ela me mataria, ou ela só mata se tem alguma obstrução no caminho que ela faz? Eu entendi que a mulher do lago matou o Luke sem barba (por isso ele está mais bonito) por ficar enforcando ele, como a Dani, que foi puxada pelo pescoço desde fora da casa até o quarto sobreviveu? Se os fantasmas esqueciam as coisas, como eles contavam elas pras pessoas? E, literalmente, como eles contavam se não tinham boca? Como a Carla Gugino sabe que a Dani caminha às vezes a noite? E como ela sabe que não mata ninguém? Dios mio, será que ela testou a teoria? Ninguém menciona o olho marrom na Dani, em momento nenhum? O nome do meio do personagem Miles da história dela é Miles?
    Se eu lembrar de mais, volto aqui.
    Nossa, eu senti a dor da Dani quando o Owen falou que as crianças não lembram de nada da época da mansão Bly. Foi traumático, mas também tiveram momentos felizes, e eu me lembrei da conversa da Dani com o Miles, de você fazer sua família. E eu gostei de parte do penúltimo episódio, eu tava "olha a Theo", mas aí foi longo demais, e eu fiquei triste pela relação das irmãs ter acabado desse jeito horrível, achei um pouco brusco pra pessoas que se amavam tanto. E eu concordo com a revolta da história da Hannah e do ex-noivo morto não terem dado em nada, especialmente a Hannah, gostei dela, e não sabia que ela era fantasma.
    Vocês falaram que o Mike Flanagen dirigiu os episódios, mas no Imdb tá que ele dirigiu o primeiro, mas ele tá creditado como um dos roteiristas de todos os episódios.
    Agora é só coisa aleatória: eu gostava da Flora criança, que adulta blé ela se transformou. Jamie acaba de ouvir que a Dani vê o ex-noivo morto, elas se beijam, Dani se assusta, Jamie: "se não queria me beijar, que não beijasse, carai". Ela não prestou atenção na história. Aliás, Dani tem uns puta sustos pra Jamie vir e falar "desculpa, te belisquei". O criador da série adora traumatizar crianças, traumatizar a Victoria Pedretti, juntar fatos da realidade com o sobrenatural pra gente falar "olha, não era coisa de espírito", tirar o nosso medo das coisas e fazer Carla Gugino não superar as paradas. Na última cena eu pensei só em quando a Dani fala pra Flora algo "Não é porque seus pais morreram que eles foram embora", não sabia se era uma questão da Dani ter entrado no corpo da Carla. Pra mim a Carla tava louca pra saber se deu certo, que pelo que a série mostrou, de a cor de um olho mudar e você estar ciente de que tem alguém mais dentro de você, mesmo que de leve, por si só já é indício de que nada aconteceu. Mas vou pensar mais nisso que vocês falaram.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Erika agora tem um limite de tempo de fala antes de ser mutada, hahaha.
      Tive vários dos seus questionamentos e acredito que nunca teremos resposta mesmo, pra mim a questão da mulher do lago é toda muito conveniente. Procurava criança no quarto, mas nunca pegou a Flora antes, só depois de pegar a Dani, sendo que a menina tava lá gritando e fazendo o escarcéu, mas quando chegou no quarto decidiu trocar a babá por ela. (beleza que era o lugar que ela já procurava desde sempre, mas será que em todos esses anos vagando por lá nunca rolou essa vontade de pegar a menina e esse encontro antes?)
      Carla Gugino sabe de tudo sobre todos, narradora onipresente mesmo, ou seja, era melhor terem dito que era uma pessoa contando uma história que ouviu/leu num livro do que aproveitar pra levantar o cartaz de quem era todo mundo no final, ou repensar a narração.

      Excluir
    2. Cara é muito buraco e contradição, mas então vou responder tudo...

      -Mutada-

      Excluir
  3. Ahh esqueci, o Mike Flanagan não dirige todos os episódios, só o primeiro, mas participa como roteirista de todos os episódios, segundo o Imdb, por que vocês ficaram tão bolados?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Enquanto a gente gravava a Mandy olhou na Wikipedia e os dados estavam errados lá, então pareceu que ele tava mais envolvido. Penso que ele só é creditado como roteirista por todos os episódios pela posição de supervisor/showrunner, tanto que está como (created for television by), mas tem 400 roteiristas envolvidos e parece que ele não supervisionou tão bem assim, porque a unidade ficou bem prejudicada.

      Excluir
    2. Um arroz empapado mal feito tem mais unidade hauahuaauua

      Excluir
  4. Encarei a série como um "Guilty Pleasure" total!!!

    ResponderExcluir
  5. Muito obrigado Léo pela agilidade com a qual nos trouxe essa segunda parte do podcast, amo demais ouvir vocês comentando qualquer coisa, passo o dia escutando vocês.
    Amei Érika destrinchando a linha temporal da série pra no final perceber que não fazia sentido...

    AMO VOCÊS!!!
    Beijos, F.

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe