The Good Wife 2x18: Killer Song

terça-feira, abril 05, 2011



Esse foi episódio que pareceu indeciso. Ao mesmo tempo em que retoma os acontecimentos no exato momento em que o outro encerrara, dando uma noção de continuidade imediata para a trama, o episódio vai abandonando aos poucos essa história. Isso da lugar a um caso interessante e a retomada do envolvimento entre Eli e Natalie.

A continuidade da cena final do ultimo episódio conseguiu ser tensa — embora fosse impossível acreditar que Kalinda revelaria já a verdade para Alicia —. A pequena cena em que Kalinda liga para Alicia entrega sua vontade, mesmo que momentânea, de revelar seu segredo para a amiga, mostrando o abandono da postura indiferente e cínica inerente a ela. É um sinal óbvio de que ela se importa com essa amizade, mas logo ela volta a normalidade, ligando para Cary e, mais tarde, indo falar com Peter na tentativa de evitar resolver o problema sem que Alicia saiba.

O caso da semana teve um bom protagonista que, vivendo um assassino aparentemente arrependido, conseguia inspirar alguma duvida sobre a sinceridade ou não desse arrependimento. Obviamente, quando o pequeno plot twist, revelando outro crime, surgiu, qualquer dubiedade quanto a culpa do assassino — ou artista — se esvaiu. Pena, pois a duvida quanto a ele era mais interessante que a certeza dada no fim.

A história de Eli e Natalie, assim como no episódio em que os dois se conheceram, serviu para mostrar um lado pouco explorado de Eli. A pequena cena em que ele encontra com Alicia, aliás, estabelece muito bem como essa parte da personalidade de Eli, menos pragmática e cínica (essa palavra, novamente. Seria Eli a versão masculina da Kalinda?), é pouco explorada. Quando ela o aborda imaginando que, como o habitual, ele estava no escritório para pedir algo a ela, acaba surpreendida ao saber que ele não tinha qualquer pedido a fazer. O lado negativo dessa trama, entretanto, é que em grande parte foi apenas um revisita a um tema passado, sem acrescentar muito aos personagens envolvidos, afinal já sabíamos que Eli consegue ser mais que sarcástico e mal-humorado.

As tramas em geral estiveram equilibradas, sem nenhum grande destaque para nenhuma das três. Não necessariamente algo ruim já que, mesmo não sendo um episódio brilhante ou com momentos memoráveis, apresentou tramas consistentes. Essa aparente tranqüilidade depois dos eventos do ultimo episódio não é surpresa. Não havia por que gastarem agora os possíveis conflitos apresentados no ultimo episódio, principalmente com o fim da temporada tão próximo. O episódio pode ter parecido indeciso, mas é uma indecisão compreensível.

Talvez Você Curta

0 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe