Grey’s Anatomy 8x05: Love, Loss and Legacy

domingo, outubro 16, 2011


Com mais um ótimo episódio, Grey’s nos mostra que é ainda é capaz de nos apresentar excelentes personagens.

 Para se manter no ar por oito anos, é indispensável que uma série seja capaz de introduzir novos personagens na trama e fazer o público se apaixonar por eles. Grey’s Anatomy tem esta qualidade. É bem verdade que meus personagens favoritos continuam a ser Christina, Karev e Meredith, mas temos que tirar o chapéu para a titia Shonda, que ao longo de oito temporadas introduziu a Dra. Adison (que saudade dela, não o suficiente para me fazer assistir Práticas Privadas), Dr. Hunt, Callie, Lexie, Avery e Kepner. Sendo que a última vem sendo um grande destaque nesta temporada por ser engraçada que fugir do lugar comum das outras personagens. Ela não é fodona, não se envolve demais com os pacientes, não saiu dando por aí (ainda) e não se apaixonou por um atendente e tudo isto é ótimo porque já tivemos uma overdose destes elementos. O jeito loser dela lembra um pouco George, é verdade, porém a personagem consegue ganhar destaque de uma forma completamente diferente.  Claro, que nem sempre as coisas funcionam como planejado na mente genial de Shonda e temos alguns personagens bem malas, que só enchem o saco e acabam meio inúteis na trama como o caso da Teddy, Arizona, Dra. Hahn ou os interesses amorosos da Bailey, que funcionam muito bem como soníferos.

Esta competência da série fica clara em “Love, Loss and Legacy” quando conhecemos a Dra. Avery, a mãe de Jackson que é muito da intrometida e faz de tudo para ajudar o seu filho a não ser uma pessoa ordinária (isto lhe faz lembrar de alguém?). A personagem chegou trazendo um caso bem interessante, um transplante de pênis, que gerou várias piadinhas idiotas (que eu adoro) como o Karev falando que a Kepner não tinha prática com este tipo de tecido. O caso também me fez pensar que deve ser bem estranho para o paciente, que, no final do dia, olha para baixo e sabe que aquele pinto ali não é seu. Imagina se o cara não deve ficar pensando onde seu mais novo órgão já se meteu. Mas obviamente é melhor ter um pinto “semi-novo” do que não ter nenhum. O assunto ainda fez a Dra. Avery encorajar Kepner a se soltar um pouco mais e abrir as pernas logo de uma vez. Eu assistiria facilmente há um spin-off em que mostrasse a Kepner saindo com a Dra. Avery como sua “wingman”.

Além de tudo isto, ainda tivemos bastante destaque para Zola, que acabou precisando de uma nova cirurgia. Foi legal ver o desespero do Karev em ajudar a Meredith, sabendo que é, ao lado de sua amiga, um dos culpados por toda a situação. O drama de Derek e Meredith pode até parecer um pouco fácil e apelativo, mas funciona e emociona. Eu me peguei sofrendo junto com a Meredith, ainda mais porque ela ainda tem que agüentar o Derek revoltadinho. Esta trama teve um final super bonitinho com a Christina surpreendendo e cuidando super bem da Zola e a Meredith e o Derek cantando para a menininha pelo telefone.

A parte que me agradou menos é o romance da Bailey. Teve seus momentos engraçados e tal, mas eu não suporto o enfermeiro e nem o anestesista e desse jeito fica difícil. Pelo menos, a Bailey resolveu terminar com o enfermeiro, provavelmente porque ela deve ter percebido que o cara é muito mais afeminado do que ela. 

Dessa forma, tivemos mais um ótimo episódio da oitava temporada de Grey’s Anatomy, que até agora está muito sólida e mantém a coerência. Eu sei que em algum momento a série vai oscilar e trazer pelo menos um ou dois episódios fracos lá pro meio da temporada mas por enquanto venho aproveitando bastante o momento da série. 

Shonda, só não extende muito a história da Zola. E trás a Lexie de volta. E continue dando pouco destaque para Arizona e para Callie, está bem legal assim. Se quiser matar a Teddy não me importo nem um pouco,      

Talvez Você Curta

3 comentários

  1. Não consigo gostar da April! Até dou umas risadinhas com ela, mas pra mim ela ainda tem cara de figurante.Queria muito gostar dela e me apegar ao personagem, mas ela não tem carisma, não pra mim.
    E pq a Shonda insiste que a Bailey tem que ter um romance? É pq ela é negra, baixinha, gordinha e de meia idade a Shonda acha que ela tem que quebrar todos os paradigmas da sociedade e viar a nova namoradinha da america e fazer o mundo virar shipper dela com mais alguém. Mas não tá rolando, Shondeca. Bailey boa é bailey nazi e sem romancinho. Isso não combina com ela! Nenhum dos cara até agora combinavam com ela...é tudo muito irreal.

    ResponderExcluir
  2. Fantástico esse episódio, até agora não erraram a mão, adorei a mãe do Avery e a volta da bizarrice nos casos com o transplante de pênis. Concordo que a Arizona teve uma fase meio malinha, mas no geral a personagem é muito bacana e pelo visto vai ter vários conflitos com o Karev nessa temporada.
    Sobre o par da Bailey, peraí gente! Ruim seria a negra, baixinha e gordinha passar a série inteira sem nenhuma história amorosa sendo que todo o resto do elenco tem! Tá certo que não foram felizes com os pares dela até agora, mas eu até que vou com a cara do anestesista e acho que se fizerem direito tem como dar certo sim.

    ResponderExcluir
  3. Bruna, concordo com vc que é possível a trama de um relacionamento amoroso da Bailey funcionar, só acho que os personagens que colocaram para isto foram bem ruininhos. Sem dizer que o roteiro precisa trabalhar melhor a relação dela com os homens para não parecer forçado demais a baixinha e gordinha com tantas opções no mercado. Eles precisam utilizar o carisma da personagem para justificar o interesse de tantos homens.

    Obrigado por comentar.

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe