Supernatural 7x03x04x05: The Girl Next Door/ Defending Your Life/ Shut Up, Dr. Phil

segunda-feira, outubro 24, 2011


Reunião de Buffy e Angel em Supernatural.

Tivemos um grande momento no terceiro episódio, com Sam indo atrás de uma garota que conheceu 13 anos atrás, que é uma kitsune. Além do mais, sabem quem dirigiu o episódio? Jensen Ackles. É, ele mesmo.. o Dean; e ele fez um ótimo trabalho. Porém, foi um episódio aleatório de Supernatural, que não trouxe nenhum desenvolvimento em relação ao plot da temporada, mas pelo menos serviu para alguns flashbacks extremamente interessantes.

Todo o divertimento do episódio foi ver como as coisas aconteceram no passado e fiquei bastante chocado quando vi que Amy matou a mãe dela para salvar Sam. Ela acabou matando a mãe, que a conhece desde quando se dava por gente, por um menino que conheceu menos de 4 horas antes do ocorrido. Ridicularmente perturbador.

Mas no final do dia, você é o que (Ou, nesse caso, quem) você come. Claro que Sam iria deixar Amy ir embora, já que ela foi obviamente o primeiro amor dele e também a primeira assassina que ele conheceu, mas Dean não iria deixar por menos. Sabia que ia acontecer alguma coisa. Amy também foi extremamente burra e autista, já que no meio da conversa com Dean nem percebeu que ele tinha a matado. Ela não deu nem um gritinho. Comentário: ele enfiou uma faca bem no coração. E eu achando que mulheres monstros eram sensíveis...

Osíris chegou causando muito no quarto episódio de Supernatural, mas pegou o irmão Winchester errado. De onde que Dean possui mais culpa de qualquer coisa do que Sam??? Sério? O altão causou o apocalipse, matou diversas pessoas quando estava sem alma, vivia praticamente a série inteira no inferno e não é ele que é julgado pelo Deus egipcío? Sério mesmo? O pior de tudo é que o próprio Sam está se achando demais. 'Eu não sinto culpa de nada'. Sério?

Sim, claramente eu não gostei do episódio. Serviu só de base para a volta da lindinha e perigosa Jo, mas tirando isso, todo o plot não foi nada interessante. Podiam muito bem ter lidado logo com a morte de Amy nesse episódio, e não deixá-la para o próximo. Se o negócio era se sentir inocente, por que Dean não colocou logo uma camada e fingiu que se sentia daquele jeito? Tape os ouvidos e pense só no whiskey que vai beber depois que aquele julgamente acabasse.

O julgamento foi divertidíssimo. Até rolou uma super referência de The Good Wife. Porém, foi mais um episódio filler de Supernatural, não trazendo nenhum desenvolvimento para o arco central da temporada. O que os roteiristas tem medo? De que quando os Winchesters forem achados pelos Leviathans, a temporada acabe? Eu espero que não.

Sinto que os roteiristas vão acabar cometendo o mesmo erro da temporada passada: não dar importância ao desenvolvimento do arco central e vomitar todas as soluções no final, como se fosse algo normal Castiel querer virar Deus de uma hora pra outra.

Nada se compara, porém, ao quinto episódio. Se você é fã de Supernatural, há uma boa chance de que você também seja fã de duas séries fantásticas chamadas Buffy, the Vampire Slayer e Angel. Então tenho certeza que o episódio foi para você (como foi para mim) um episódio de proporções épicas. Porque será?? SPIKE E CORDELIA ESTÃO JUNTOS NA TELA NOVAMENTE!

Não era bem os dois, mas sim os atores, James Marsters e Charisma Carpenter, que é praticamente a mesma coisa. O episódio não se levou tão à sério, beirando o ridículo, mas foi um ridículo tão bom e altamente atuado. Tudo muito ordinário. Uma briga entre casais. A única diferença é que eles podem realmente fazerem outras pessoas se machucarem, por serem bruxos.

Todas as mortes foram completamente bem planejadas (leia-se: ridículas) magicamente. Desnecessário dizer que nunca mais vou comer um cupcake sem lembrar daquele coração. Sem contar que a carisma de Charisma (hahaha, entendeu?) foi praticamente suficiente para o episódio inteiro.

Ela foi a alma do negócio, pois estava completamente POSSUIDA, querendo ir atrás de qualquer pessoa que tinha pernas e que teve algum relacionamento com o marido... O personagem de James também foi interessante, mas a única coisa que ele fez no episódio inteiro foi jogar uma água nos quadros para eles desbotarem e degolar a cabeça da amiga da esposa.

Porém, nada soou tão ridículo do que Dean e Sam dando uma de Dr. Phil no casal (Claro que eles não iriam conseguir muito bem, já que não são carecas e nem gordos) e ainda levando muita abracadabra na cara por tentarem fazer os dois terminarem a briga. O que eu não gostei foi o final. Totalmente desnecessário o SPIKE ter aparecido para pegar as moedinhas de volta e matar o Leviathan. Essa história precisa urgentemente de um empurrão, pois já faz 4 episódios que o negócio não vai pra frente.

Talvez Você Curta

3 comentários

  1. Quando vi a Jo, pensei, "podiam matar o Sam e ressuscitar ela. ia ser bem mais interessante", ilusão a minha (eu gosto dela com o Dean, acho que do jeito que tá trocar os parceiros dele e matar de vez o Sam seria a Salvação da série)...Os caras ressuscitaram o Sam, tiraram ele do inferno pra quê????se os personagens legais, que tem alguma coisa pra oferecer vão pro limbo... eu gosto/gostava de Supernatural, mas tá deixando muito a desejar....

    ResponderExcluir
  2. Marco, o Spike (hahha) não matou o Leviatã! Ele apenas lançou um feitiço que o deixava desacordado durante alguns dias.

    ResponderExcluir
  3. Quando eu vi o nome James Marsters nos créditos iniciais eu já abri um sorriso, mas quando eu vi Charisma Carpenter eu comecei a rir alto desde já. MUUUITO legal ver ela novamente. O James apareceu em algumas séries (tipo Smallville), mas ela eu não via tem tempo. O mais engraçado é que, quando percebi que ele tb era um bruxo, eu falei "Nossa, parece uma Guerra dos Roses com poderes" dai o Dean vai faz a mesma referencia cinematográfica.. huahua.. morri!

    Eles precisam encontrar logo algo que mate Leviatãs, então é bom achar o Colt, uma espada de Anjo, folhinha de arruda.. qualquer coisa.

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe