Warehouse 13: Seasons 1, 2 and 3

domingo, outubro 09, 2011


Sci-Fi de raiz, com uma boa dose de “What's Up, Bitches?"

Provavelmente você deve estar se perguntando, o que a frase acima tem a ver com Warehouse 13, certo? Bem, se alguém já ouviu falar da série, provavelmente sabe que ela é um tipo de procedural (pelo menos no começo) que fala sobre o Depósito 13 (...dã) o local para onde vão os artefatos mais perigosos e instáveis dos EUA e do mundo. Warehouse, também conhecido como o sótão/porão da América, ou a série que faz crossover com todo show da Syfy foi me conquistando aos poucos, nem tive chance, quando percebi estava totalmente apaixonado pela série e seus personagens.

Conheci ela através de um desses Crossovers com Eureka, uma das minhas queridinhas, na época não sabia muito sobre a série, mas soube no exato momento em Carter, Alisson e Fargo estão na rua principal, esperando o “enviado do Warehouse” buscar um artefato, todos arrumadinhos e aplumados, esperando uma pessoa super importante, quando Cláudia sai do carro e solta o delicioso “What's Up, Bitches?” acima, eu simplesmente tinha que assistir essa série, cerca de três meses depois, não tenho nenhum arrependimento.


Sim, em um mês assisti as duas temporadas inteiras e comecei a acompanhar na metade da terceira, não me lembro onde li criticas a série falando sobre todo o brilho e efeitos usados, Warehouse (ou WH13 para abreviar) é uma Sci-Fi, ou seja ficção cientifica, de raiz, acho que qualquer nerd/geek que curte os bons Star Trek e a era RTD de Doctor Who vai adorar a série e todo seu ar noir, misturado com o visual vintage e meio sujinho do depósito, junto de todos os brilhos e efeitos roxos e rosas que sem duvidas deve causar náuseas nos mais críticos e realistas, mas como já dizia minha avó “Televisão é para tu imaginar e sonhar”, sem duvidas Warehouse 13 cumpre com esse dever.


Claro que como várias, a série não entrega o ouro logo de cara, os primeiros episódios são estranhos e muitas vezes até desinteressantes, o piloto além de longo e cansativo não te prende, e meu principal pensamento ao terminar de ver os primeiros episódios era “Onde está Cláudia?” Acho que minha obsessão era tamanha, que quando ela apareceu no quinto episódio, adstringentemente chamado de “Claudia”, a série para mim toma outra vida, inclusive outro rumo, já que após a entrada da minha queridinha (e de grande parte do publico) também temos a entrada de McPherson, vilão megaevil ex-agente do Warehouse e ex-parceiro de Artie, a série continua sempre sendo procedural, tirando em suas season finales, sempre temos a busca por um artefato, mas o melhor é que mesmo com isso, a trama sempre vai se desenvolvendo, mesmo que você ache que não e depois é surpreendido nos minutos finais. Por falar em Season Finales, Warehouse tem sempre os melhores, um mais surpreendente e apreensivo que o outro, tem como se esquecer da explosão no final da primeira temporada e a angustia e desespero nos olhos de Myka e Pete? Ou de toda a dor e tristeza de Myka no final da segunda? E claro, a Season Finale desta terceira temporada, com uma Cláudia mais sombria e vingativa, além de toda a belíssima trama criada ao redor de H.G. e Emily Lake?


Mas não é somente de artefatos e Season Finales que vive Warehouse 13, a série tem um incrível desenvolvimento de seus personagens, começando por Pete e Myka, Pete (Eddie McClintock) no começo é o bobão e idiota que faz as piadinhas sem graça, Myka (Joanne Kelly) é a control freak que quer tudo sempre certinho e de seu jeito, conforme a série vai passando, vemos Pete se tornar uma pessoa mais madura e sensível, mas sem deixar o jeito bobão e divertido de lado, Myka vai ficando mais leve e decidida, inclusive penso nela como uma versão “melhor” de H.G. Wells, sem toda a dubiedade da mesma. H.G que junto de Cláudia e Mrs. Frederic divide o podia de melhores personagens, H.G. Chegou como a vilã megaevil na segunda temporada, mas a cada episódio não conseguia pensar nela como vilã (Diferente de McPherson que é vilão em todo papel que faz), amantes de Sci-Fi e literatura provavelmente reconhecem o nome, já que H.G. Wells é o nome de um escritor do século XX, escritor de livros como “A Maquina do Tempo” e “A Guerra dos Mundos” e sim, estes e outros viraram filmes nas telas do cinema, interpretada por Jamie Murray, a Lila de Dexter, H.G. Wells é uma personagem memorável, que me emocionou em várias cenas e com seu sotaque britânico maravilhoso me conquistou logo em sua primeira cena.


Artie (Saul Rubinek) não é dos meus favoritos, gosto do personagens em alguns momentos e em outros torço por sua morte, mas é impossível odiá-lo em seus momentos paternos com Cláudia (Allison Scagliotti), a minha razão de começar a ver a série não me desapontou, meio rebelde e perdida no começo é a personagem com maior desenvolvimento, a hacker cada vez mais vai se tornando a pessoa madura, controlada e estável que esperamos, principalmente sabendo seu destino, que é revelado no final da segunda temporada, inclusive vários personagens dizem isso: Cláudia tem um futuro brilhante a frente, e realmente espero que possamos vê-lo na série.


Para completar o time Warehouse temos Leena (Genelle Willians), psicóloga, leitora de auras e dona do albergue onde os personagens moram, como li um dia desses, ela é igual ao Silence, quando ela não aparece você esquece que ela existe, por outro lado Mrs. Frederic (C. C. H. Pounder) com suas aparições esporádicas e frases dúbias, impossível não gostar dela devido a todo o ar de mistério e piadinhas feitas por Pete. Na terceira temporada temos a entrada de Steve (Aaron Ashmore), o detector de mentirar humano budista, gay e meio nervosinho, toda a química do personagem com Cláudia é incrível e a cada vez que os dois iam a uma missão juntos um sorriso brotava de meu rosto.



Na primeira temporada tudo ainda é novo e meio estranho, como disse, os primeiros episódios não vingam, mas da metade para o final a imagem muda, temos reviravoltas, ameaças e tudo fica ainda pior quando descobrimos que alguém do Warehouse está comprometido e trabalhando para McPherson que está tentando entrar do depósito. Após o chocante final da temporada, a segunda começa rapidamente resolvendo o mistério que perdurou por meses, e nos apresentando a “nova vilã” H .G. Wells, e mesmo com a confusão inicial de “Ele não era homem?” é impossível não gostar da personagem, inclusive pela incrível explicação que eles dão ao fato dela ser uma mulher, além de todo o background dela ter sido aprendiz no Warehouse 12 e ter tentando destruir o mundo, além da ótima química que ela tem com Myka, admito que sou um shipper hardcore do casal que na verdade nem é casal. Ao final do tocante e belo final da segunda temporada, meu coração ficou despedaçado, não conseguia sentir raiva de H. G., entendia perfeitamente Myka, sentia a dor de Pete e a carta não ajudou a segurar as lágrimas...



E então chegamos a Terceira temporada, considero esta como a melhor e acho que grande parte dos Agents (nome do Fandom de Warehouse) o Cliffhanger deixado no final da temporada anterior também é rapidamente resolvido, mas mesmo assim concreto e natural, a entrada de Aaron Ashmore na serie deu um ar muito bom, ele tem um ótimo timing para a comédia, todas as cenas dele com Cláudia eram nada menos que geniais, eles se encaixavam perfeitamente juntos e para mim faziam uma dupla até melhor que Pete Myka.



Mas então chegamos ao final da terceira temporada, para aumentar meu sofrimento eles decidiram fazer duplo, e não me lembro de me sentir tão tenso, apavorado e totalmente sem esperanças desde a Season Finale da 6ª temporada de Grey's Anatomy, Nos 10 minutos finais de “Emily Lake” meus olhos já lacrimejavam, a montagem de cenas feitas não ajudou e Running up That Hill só me fez chorar como uma criança de 6 anos ao final da primeira parte, obviamente ao final da segunda as mesmas lágrimas voltaram... E o incrível é que, mesmo isso estando sendo preparado por toda a temporada, era algo inimaginável o que aconteceria, assim Warehouse novamente nos deixa ansiosos, tendo que esperar mais nove meses até a resolução dos eventos.


Isso sem falar em todo o potencial cômico da série, como por exemplo, quem não riu da reação de Pete ao descobrir que Steve era gay? Além de que diferente de 500 outras séries do estilo, Pete e Myka não tem nenhuma, absolutamente nenhuma química ou tensão sexual rolando entre eles, o que realmente há é um grande sentimento de família com todos os personagens, e alguma vezes é quase que impossível não enxergar Pete, Myka e Cláudia como irmãos... Além de vez ou outra termos algum momento musical na série, como Cláudia cantando Where is My Mind.


Warehouse 13 é o tipo de série que eu nunca esperaria me apaixonar como me apaixonei, seja pela trama, seus personagens, pelo próprio depósito e os artefatos, afinal, tem como não amar bolinhas que deixam a pessoa totalmente bêbada? Ou uma lata de spray que derrete tudo no que é jogado e até mesmo uma espada que pode cortar a luz? Mas a verdade é que conforme o tempo vamos vendo que o próprio Warehouse é um personagem, com vontades, gostos e variações de humor, além de ter um laço único com seus agentes, regentes e uma ligação ainda mais forte com Mrs. Frederic, a Diretora e “Cuidadora” do depósito.

E é isso, se você procura uma série sci-fi de raiz e não se importa de ver alguns episódios medianos antes da série ficar incrivelmente boa, Warehouse foi feita exatamente para você!

Venha Conferir!

Talvez Você Curta

28 comentários

  1. Cara adoro saber que tem mais pessoas que assistem Warehouse 13 eu começei a ver logo que estreiou, antes ñ tinha um amor pela série, mas a série cresceu tanto que posso dizer que é uma das minhas favoritas, amo todos os personagens e tmb sou fan do casal Myka/H.G, até a Joanne Kelly falou que é fan do casal hahahah, o final dessa temporada me deixou mtooo ansiosa pra proxima tempo, espero que o Artie consiga resolver tudo e trazer os personagens de volta [eu vou entrar em depressão se a H.G tiver morta msm ;.;].
    Otimo texto espero que pro ano que vem aqui no seriadores tenha review dessa série *-*

    ResponderExcluir
  2. Jacquelinemedeiros20domingo, 09 outubro, 2011

    Que legal! Achei que só eu assistia essa série!

    ResponderExcluir
  3. Bom saber que não fui a única a verter rios de lágrimas vendo esta finale...H.G deveria ser fixa...todo episódio com ela é ótimo!!!!!!
    Somos dois então a torcer pelo casal que não é casal, mas é que a química entre as duas é tão boa...
    Agora é esperar pela volta e torcer pra H.G voltar (artefatos pra que te quero!!!!!!)

    ResponderExcluir
  4. Marjorie, Obrigado pelo apoio!
    E essa ultima SF foi muito tensa, também espero que o Artie resolva tudo, aquele relogio TEM que servir para voltar todo mundo que morreu, até o Trailer, tinha totalmente me esquecido que ele estava no deposito, tadinho..

    ResponderExcluir
  5. Fiquei com vontade de ver! #BOOM
    Essa ruivaquenga e o Shawn Ashmore carequinhas parecem possuídos em cena, mas a tosquice dos efeitos me desanimou um pouco!

    ResponderExcluir
  6. Concordo contigo em quase tudo.
    Eu tinha assistido The Lost Room e sempre que lia a sinopse de Warehouse 13, me batia uma certa raivinha, pq como não tinham dado continuidade a ela, tá eu sei que era uma mini, e fizeram uma série que tinham elementos em comum?
    Daí nesse ano, meio sem opções de maratonas de séries, que adoro fazer, decidi dar uma chance a Warehouse 13, mesmo pq sou mt fã de Haven e tinha terminado a maratona de Eureka, confesso que não lembrava mt desse crossover, de fato, até me assustei e tive de rever o ep de Eureka dps, pra ver direitinho a aparição da Claudia. E que ep. hein? Claudia e Fargo funcionam mt bem juntos.
    O começo da maratona foi complicado, dava sono e estava bem desinteressante, como vc disse, mas dps de uns ep, não tem como não se apegar aos personagens, achar os artefatos interessantes, torcer por tudo e todos, os momentos humorados facilitam e anima bastante.
    As SF são no mínimo fantásticas, empolgam e deixa com vontade de ver mais e mais. Fiz a maratona rapidinho e peguei a temporada atual já na segunda semana que começou. Deu tanto resultado, que já penso em rever Eureka e Warehouse 13. Eureka foi outra série que fiz maratona esse ano e amei a cada minuto. Séries com efeitos não tão perfeitos, mas com personagens cativantes, nerds, engraçados, plots que intrigam.
    Virei fã do canal Sci Fi e agora vou assistindo as séries de lá sem medo de errar.
    Adorei a review e espero por outras na próxima temporada. Pena que vai ser a última de Eureka, mas vamos torcer pra Warehouse continuar por mts temporadas ainda.

    ResponderExcluir
  7. Eu sou suspeita pra falar de W13. É depois de Sanctuary a minha serie de Sci-Fi preferida.Gosto da mistura drama humor que a Syfy adota nas suas series... =D

    Concordo com tudo que você disse. A serie no começo chega a ser bizarrae até cansativa, mas depois vai ganhando forma e consegue prender você pela simpatia e graça dos personagens.

    Com certeza os melhores episódios da serie foram Emily Lake/ Stand.Chorei rios com ratros de sangue deixado para trás, e espero que tudo se resolva da melhor forma possivel na 4ºT.
    H.G tem que voltar e ficar de vez na serie...

    Em relação a Eureka eu tou esperando acabar para fazer maratona, eu amei o Fargo nas duas aparições dele e acho que tenho tudo pra gostar da serie :D

    ResponderExcluir
  8. Leo, olha os efeitos não são mega toscos não, são até que bom sim, o que irrita umas pessoas é o brilho dos efeitos, mas a maquiagem da série é muuuito boa, e os efeitos medianos, mas sim, a Ruivinha (Claudia) é a melhor personagem EEEEVER! Só fui assistir a série por ela e vale Muito a pena.. Como falei, passando o começo ruinzinho fica perfeita depois!

    ResponderExcluir
  9. Cintia, o Crossover, em Eureka foi no epi 4x05: Crossing Over.
    Já em Warehouse foi no 2x05: 13.1 que eu achei meio chatinho, porque esperava mais, já no segundo em Warehouse foi o 3x06: Don't Hate the PLayer, onde eles entram no video-game estilo RPG que foi Muito bom!!

    ResponderExcluir
  10. Então Leo, era esse de Eureka que revi, pra lembrar da Claudia, é que vejo mts séries e como sempre estou com alguma(s) maratonas, detalhes passam despercebidos. Adorei o 3x06 com a "visão" do Fargo pra cada personagem de Warehouse.
    Vamos torcer por mais crossovers e quem sabe se o Fargo não apareça mais, pq com Eureka cancelada, seria uma boa ficar com a Claudia, eu adorei os dois juntos, so cute.

    ResponderExcluir
  11. Larguei no começo da 3 temporada. D:

    ResponderExcluir
  12. Vi o piloto e não gostei, realmente achei meio cansativo como você disse, além de ser meio infantil. Mas depois desses gifs da Cláudia, que além de ruiva parece ser meio bitch, fiquei com muita vontade de ver. Já coloquei na lista de futuras maratonas! =D

    ResponderExcluir
  13. Que lindo ver Warehouse 13 aqui!!!!!

    Adoro a série desde que vi a premiere no Warner Channel, desde então, baixei os epis da primeira temporada e acompanhei a segunda junto com os Estados Unidos. Essa foi a série que me fez baixar séries!!

    Não vou nem me atrever a comentar as duas primeiras temporadas, já que me lembro vagamente delas, principalmente a primeira, que foi meio ruinzinha, já terceira, tirando o episódio dos zumbis, foi incrível, e que final de temporada foi esse!!?? Muito louco!!! Mas, ao contrário de todo mundo, eu quero um novo Warehouse, mas se eles voltarem no tempo e refizerem tudo, não vou me importar muito não.

    Eu fiz o caminho inverso de vc, primeiro vi Warehouse, e depois vi Eureka, então, apesar de amar Eureka, meu amor por Warehouse é maior, e sempre vibro toda vez que vejo um ator da série em outra série.

    Valeu pela review, e se nada acontecer, estarei aqui ano que vem para comentar a temporada!

    ResponderExcluir
  14. Hum... Acho que vou começar a ver no fim do ano, aproveitar os hiatus da vida, sabe?

    Mas também, mesmo que os efeitos fossem escrotos e a série mediana, eu daria uma chance porque tenho uma queda GIGANTE por ruivas (Hayley Williams, Florence + The Machine, Amy Pond, Bree - por mais que eu não veja Desperate -, Gina... sério, o que essas mulheres tem na genética delas?! - tirando a Hayley, que é ruiva falsa :/)

    Não, mas falando sério, seu review ajudou bastante. E os gifs também! Rachei com o "because I'm sort of fabulous, right?" xD

    Obrigado Leo!!

    ResponderExcluir
  15. Amooo Warehouse 13, comecei a assistir há alguns meses e debulhei a season 1 e 2 em 2 semanas... Te ganhei hehehe. Amo tudo nessa série: o humor, os personagens e os artefatos me encantam. Quem não queria ter alguns hehe.
    Realmente o primeiro episódio é chatinho, mas aos poucos conquista.
    E sem falar que a minha diva da série é a H.G. Wells. Adoro ela desde a primeira cena. Perfeita! e sempre soube que ela não era vilã de verdade.

    Spoiler aqui:

    Quando vi o último episódio da 3ª temporada e vi ela de volta, H.G Wells fiquei tão feliz!! Uma pena ela ter enfim ido... e fico maluca imaginando o que vai acontecer agora depois da explosão... Oq vem agora?? Warehouse 14?
    Foi um dos melhores season finale que assisti. Fiquei muitooooo apreensiva!
    Adorei sua review! e a Claudia, sem comentários bitches!

    ResponderExcluir
  16. Ahhhh e a melhor cena dessa season finale foi a hora que o Pete a Myka e a Claudia chegaram no hangar, tocando aquela música tudo a ver com o momento e Pete encontrou o Steve. Ficou a cena perfeita e meus olhos lacrimejaram mais que o normal vendo a reação e o grito desesperado da Claudia. Quimica perfeita!

    ResponderExcluir
  17. Adorei The Lost Room tbm! Lembra mto né?!

    ResponderExcluir
  18. Mas pra quem ama a H.G Wells assim como eu, ela está em Ringer, tão bitch como em W13 hehehe

    ResponderExcluir
  19. Sabe aquela serie que vc sempre quis ver, mas nunca foi uma prioridade? eu era assim com warehouse 13, ai vi em eureka a Claudia, e pensei tenho q ver isso agora, fiz maratona e AMEI a série, os personagens são muito bons, a trama é foda, e claudia e steve são demas, e os season finales sao o q há. E a Miss Frederich, uhahuahuhaua, adoro ela surgindo do nada. Quero mt q volte

    ResponderExcluir
  20. E o episodio que o Pete descobre q o Steve é gay, "Finalmnte alguem para apreciar isso (mostra o tanquinho dele)" MANO morri de rir muitoooooooooooooo

    ResponderExcluir
  21. Sério??????...
    Então Ringer tem pelo menos 1 coisa que salva!!!!!!

    ResponderExcluir
  22. Verdade eu ja começei a ficar tensa qndo iam destruir a moeda na primeira parte do cap, mas dai acontece tudo aquilo no final, ahhhhh eu ainda ñ aceitei x.x

    ResponderExcluir
  23. A Mrs. Frederic é genial, mas na terceira temp, depois que ela demite o Steve e ela sai pela porta, eu fiquei totalmente D:
    COMO ASSIM? ELA SAIU PELA PORTA??
    Foi ali que percebi que tinha algo errado G.G

    ResponderExcluir
  24. Pois é. comecei a assistir pq achei q ia prestar, daí a nossa diva apareceu no segundo episódio oq salvou de eu continuar assistindo! perfeita!

    ResponderExcluir
  25. Li em algum lugar que era uma série baseada em The Lost Room, não sei se é verdade e nem lembro de onde li. hehehe
    Desculpa a demora em responder.

    ResponderExcluir
  26. Tem tudo pra ser baseada né... Eu ainda não consigo acreditar da onde veio a criatividade de uma pessoa criar uma série como The Lost Room... é genial.

    ResponderExcluir
  27. Pena que teve poucos ep., adorei, ainda mais por ter o Peter Krause.

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe