Blue Bloods 2x06/07: Black and Blue / Lonely Hearts Club

quinta-feira, dezembro 15, 2011


Todo mundo ficou um pouco "Black and Blue", quando Blue Bloods se aventurou pelo mundo complicado da política, religião e raça.

Quando Jamie e Renzulli responderam a uma chamada de emergência, acabaram se estranhando com os seguranças da igreja e foram empurrados das escadas.

Nada como uma segurança “eficiente”.

Mas de quanta proteção os paroquianos precisam? O que exigiria um pequeno exército e valeu a pena agredir dois policiais?

O motim e o impasse foram assustadores por causa da rapidez com coisas foram acontecendo. A mentalidade da multidão é uma coisa frágil, sobre a qual não se pode confiar na estabilidade.

Tinham tanto o prefeito quanto Frank bons argumentos. Uma negociação não-violenta deveria ter sido a primeira ordem, mas o reverendo parecia mais interessado em despertar a fúria da multidão do que conversar.

Quando ele escondeu e se recusou a entregar os homens que tinham jogado os dois policiais pelas escadas, já foi o suficiente. Dois policiais contra toda a equipe de segurança da igreja foi covardia, mas contra praticamente todos os policiais de Nova York é outro caso.

Eu gostei de como Frank ordenou que o mandado de busca fosse cumprido com a maior educação possível. Já que Jackie é bem mais “educada” que Danny, foi ela então que comanda o cumprimento do mandado.

No jantar da família Reagan, Danny deveria ter apanhado de Erin, por pedir que ela dormisse com o advogado para que “tomasse um pela equipe”, mesmo que ele tenha falado brincando.

No final das contas, o reverendo era o vilão da história e tinha armado tudo àquilo para atingir Frank e o departamento de polícia, mas se ele não fosse o culpado teria sido mais interessante, sei lá um inimigo em comum, talvez.

No geral eu acho que Frank é um homem brilhante e que poderia ser bom em qualquer carreira, mas eu acho que ele foi ingênuo em pensar que o reverendo não era importante em sua comunidade.

Ele certamente não deveria ter-lhe dado muito crédito, mas subestimar o homem se mostrou ser igualmente prejudicial. Se Frank concorrer para prefeito, o seu relações públicas terá um trabalhão pela frente.

 

Jackie e Danny investigam um serial killer que está matando prostitutas morenas, porém chegam a uma encruzilhada ficando sem pistas que possam levar a captura do assassino.

Mas Jackie tem uma ideia. Como ela tem uma semelhança impressionante com as vítimas, Jackie se disfarça para atrair o assassino. A parte surpreendente foi a reação intensa de Danny para detê-la, porque, se os papéis fossem invertidos, você sabe Danny teria tido o mesmo plano.

Até mesmo Linda chamou seu marido de superprotetor e apontou que parecia mais fácil para ele ver seu irmãozinho se disfarçar do que sua parceira.

Era simplesmente machismo ou uma reação de medo de perder sua parceira?

Danny explicou que ele já havia perdido mais de um parceiro. Como e quantos? Porque será que a sorte de Danny é tão ruim? Espero que voltem a este assunto em algum momento, porque eu estou curioso.

Foi engraçado quando Jackie apareceu na casa dos Reagan vestida como uma prostituta. E adorei como Linda repreendeu o marido para manter os olhos para cima. Os dois são um casal tão divertido.

A reação de Jackie em relação aos “Johns” foi o destaque da noite. O político dos “valores de família” que ela gentilmente rotulou de babaca. E quanto o cara que deu uma olhada para ela fez uma careta, e disse "você serve". Uau, que encantador. Não é à toa que ele está pagando por isso.

Finalmente, foi bom ver Jackie apontam a diferença para Danny entre ser sua parceira e protegê-la. É claro, deixá-la sozinha no quarto de hotel depois da tocaia e achar que o trabalho acabou não é nenhuma das opções.

O resultado de ser uma “equipe serial killer” de mãe e filho foi um toque agradavelmente diferente, mas meio assustador.

Tendo Frank uma disputa com o representante do sindicato sobre os cortes no orçamento pode até ser uma história realista para um comissário de polícia, mas certamente não foi a mais emocionante. Eu queria que tivéssemos chegado a mais detalhes sobre exatamente que tipo de terceirização o prefeito pretendia.

Fiquei feliz que Henry recusou o trabalho na Ajax. Eu sei que ele teria conexões depois de quatro décadas no trabalho, mas Henry fazer segurança corporativa soava tedioso. Eu prefiro ver o conselho do vovô partilhado com o clã Reagan nos jantares de domingo.

Novo namorado para Erin?

Parece que eles continuam a jogar os homens no caminho de Erin nesta temporada na esperança de que um deles funcione Apesar de Jacob ser peculiar e agradável o suficiente, eu não o vi ser um tipo para Erin. Simplesmente não há química suficiente. Melhor sorte na próxima semana.

No geral, foi mais um episódio sólido, mas não impressionante de Blue Bloods. Fico sempre decepcionado quando o enredo que envolve Tom Selleck não prende meu interesse. Felizmente, Jackie e seu sarcasmo e salvaram a noite.

Talvez Você Curta

0 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe