Private Practice 5x08/09: Who We Are/The Breaking Point

terça-feira, dezembro 20, 2011

Ninguém aguentaria Violet tentando dar uma de terapeuta para cima de um drogado. Isso faria a pessoa ficar com mais vontade ainda de se drogar.

Private Practice se despede de 2011 com dois episódios formidáveis, que funcionam mais como episódios separados do que juntos, mas vamos deixar como está. Pensei nos dois episódios como um só (já que essa foi a proposta da ABC em divulgar um 'especial de duas horas'), então, mesmo que o oitavo episódio tenha funcionado bem melhor do que o nono, não irei criticar isso.

Eu esperaria que algo horrível acontecesse com Amelia, mas acho que perder o homem da vida dela já foi o suficiente. Gostei do toque que deram com toda aquela história do pai quando ele foi baleado e fiquei espantado que foi quando ela tinha 5 anos. Derek já havia comentado que ela nem lembra direito do pai, mas pensei que Amelia era um pouco mais velha.

A cena em que Amelia não se importou em cheirar oxico na frente de todos, me deu calafrios. Ela realmente não era ela mesma, sem contar que mostrou o tanto que ela já estava no fundo do poço, e mesmo sabendo disso na teoria, na prática foi completamente diferente.

Felizmente, a adição de Caterina Scorsone como regular na série foi uma ideia genial, já que ela é uma ótima atriz. Toda a sequência da intervenção, os ataques de fúria, a forma com que ela falava e ainda mais, quando percebeu que Ryan morreu, foi simplesmente genial. Temporada passada KaDee foi a revelação da série e nesta temporada, foi Caterina.

Não vou reclamar sobre o plot da Addison, já que a primeira parte do episódio não mostraram nada sobre a tentativa de gravidez. Na segunda parte, porém, fiquei enojado com a falsa amizade dela com Violet. Sério, por que mesmo eles colocaram as duas para contracenarem? Violet precisa arrumar outra amiga.

O problema com a primeira parte do episódio foi o plot de Jake, que tenta se mostrar relevante para a série, mas naquele contexto, a história meio que foi jogada lá para tentarem usá-lo na série, mas não fez sentido algum e nem teve o impacto desejado. Amelia está certa.... Ela mal conhece Jake, então a presença dele na intervenção foi completamente desnecessária.

Gostei que lidaram com a questão mais clichê do mundo, ou seja, um médico não consegue ver a peça do filho por precisar atender algum paciente. Lidaram com a sequência de forma magistral, mostrando que mesmo quando algo é muito clichê, de alguma forma, os roteiristas de Private Practice conseguem lidar muito com o óbvio e ainda fez com que Mason ganhasse um novo amiguinho.

Todo o tempo em que Amelia esteve na reabilitação poderia ser muito mais trabalhado, mas valeu a pena do jeito que foi, uma vez que Amelia finalmente entendeu que precisava se perdoar por causa da morte de Ryan e ainda mais, precisava se perdoar por ter magoado todos os demais.

A sacada no relacionamento de Pete e Violet não podia ter vindo em melhor hora. Simplesmente não dava mais para aguentar os dois discutindo e jogando os problemas deles nos outros. Não dava mais. Realmente faz todo o sentido do mundo Pete continuar com Violet, por causa do que aconteceu com a primeira esposa. Eu devia ter pensado nisso antes. O problema é que o personagem não é muito relevante, então eu não gosto muito tempo pensando nele.

No fim, Private Practice está finalmente entrando nos trilhos e Addison finalmente está tomando as rédeas de seu próprio destino, deixando bem claro para Sam como ela se sente. Quero que os dois se separem logo, não consigo entender essa storyline até agora. Vai piorar tudo se ela realmente estiver grávida, mas, convenhamos, acho que já está na hora de deixarem uma coisa boa acontecer na vida da ruiva.

@marcoacpontes

Talvez Você Curta

0 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe