Skins 6x02/6x03: Rich/Alex

terça-feira, fevereiro 14, 2012



6x02 – Rich

O segundo episódio dessa temporada mostra que Skins também pode, infelizmente, ser superficial. Aparentemente, Brian Elsley e o roteirista responsável por esse episódio, Daniel Lovett — que também escreveu ‘Alo’ na temporada passada, o que é um mal sinal —, se renderam por um momento a visão superficial de uma pessoa que nunca assistiu Skins poderia ter da série.

A inconseqüência e rebeldia dos personagens em Skins é sempre muito bem-vinda, mas deve sempre ser acompanhada por uma motivação. Sem isso, as ações deles se tornam vazias ou, como nesse episódio, inverossímeis. É inexplicável a atitude de Rich quando, acreditando que a namorada que tanto diz amar saíra do coma mas seria enviada para Suiça, simplesmente decidi destruir a casa do pai dela. O que ele ganhou com isso? Por que não avisar aos amigos imediatamente e ir resgatá-la? Não seria nenhum absurdo, já que o fim da temporada passada gira em torno da fuga do grupo apenas para que Rich e Grace pudessem se casar.

A idéia das alucinações de Rich foi interessante, entretanto um momento dela é absurdo se analisado em retrocesso e acaba por destruir a credibilidade de toda a situação: quando Rich invade o hospital e é pego pelo diretor Blood. Ele entra no quarto da filha e presencia o namorado dela tentando estuprá-la — lembre-se: em momento algum ela estava acordada, tudo não passava de delírio de Rich — enquanto esta se encontra inconsciente e tudo que ele faz é jogá-lo de calças arriadas no meio da rua? Policia nem pensar? Isso estraga todo o desenvolvimento dessa trama, que fluía muito bem deixando pequenas duvidas no ar: mais de uma vez alguém pergunta por que não soube que Grace estava acordada, a ida dela para Zurique quando já parecia recuperada, a aparição quase como um fantasma na festa onde apenas Rich a vê e etc.

A morte de Grace traz conseqüências ainda mais complexas para os eventos do Marrocos. Como Matty voltará? Que situação ele vai encontrar? Como fica a relação do grupo diante da morte de Grace? As perguntas levantadas podem ter excelentes desdobramentos para o resto da temporada, mas esse episódio se revelou um fraquíssimo exemplar de Skins.

6x03 – Alex

Introduzir um personagem em meio a tantos outros que o publico já conhece pode ser problemático. Pior pode ser introduzir um personagem em meio a tantos outros que já possuem uma complexa história pregressa entre eles. Como fazer o publico se interessar por uma figura nunca antes vista em detrimento de conhecer o desenrolar de uma trama que tivera um desenvolvimento impactante no episódio anterior?

Diante desses complicados problemas, os roteiristas de Skins conseguem criar um personagem cativante — principalmente pela maneira como ele trará sua avó mas também pela sua enorme empatia — que é inserido rapidamente em meio aos problemas do grupo.

O modo como ele decide viver torna Alex interessante. Buscando ter a maior liberdade possível, não só por inserir a aleatoriedade do dado e dos cartões no seu dia a dia ou a incerteza do jogo de poker, mas também pela sua apreciação pelo mar — que não só demonstra essa vontade de ser livre mas também uma conexão muito maior com seus avós do que com o pai, cuja presença se limita, na maior parte do episódio, a impessoais ligações telefônicas — ele se torna uma figura peculiar que facilmente consegue conquistar o espectador, mesmo que ele jamais interagisse com os protagonistas de maneira relevante.

Felizmente, esse não é o caso, e a participação de Alex é importantissíma na resolução dos problemas do grupo. Ao fim do episódio, o funeral realizado por ele para a sua avó tem mais significado para os amigos de Grace do que um memorial realizado por pessoas que mal a conheciam e não se importavam. Alex usa brilhantemente aquele momento especifico para resolver os problemas entre Mini, Franky, Alo, Liv e Nick além de, de alguma forma, dar a sua avó que ela desejava assim como ele: liberdade.

Os roteiristas não só conseguiram contornar os problemas que a introdução de um novo personagem a essa altura poderia ter como criaram um dos melhores episódios de Skins.

@hadrielsm 

Talvez Você Curta

2 comentários

  1. Foi bonito pra caramba, e o novo personagem me conquistou em 5 minutos. Brilhante episódio, um dos melhores com certeza.
    Tô muito feliz com essa temporada de Skins, tô me emocionando e ficando tão ansioso quando da saudosa 2ª temporada.

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe