Californication 5×11: The Party

sexta-feira, março 30, 2012


No final das contas parece que valeu a pena ...

Californication nos apresenta essa semana mais um episódio excelente. Muitas situações engraçadas, bizarras com uma boa dose daquele drama e suspense que é de costume. Predominou no episódio aquele clima de despedida, como se estivesse nos preparando para o tão esperado final da temporada. Só de pensar no período de hiatus começo a ficar triste.

Logo no começo do episódio nos deparamos com a volta de Bates mudado segundo ele graças a Jesus. Obviamente Hank não iria deixar de zombar de toda aquela situação. Confesso que não tiro a razão de Bates de querer Hank fora da casa dele para conseguir um pouco de paz, tanto por causa da sua luta pela sobriedade quanto por causa da Karen. 

Fiquei muito triste quando ele anunciou que estava voltando para NY, pois não tinha mais nada que o prendesse lá em LA. Uma situação bem triste se formos parar para refletir que ele não tem praticamente nada, família, amigo ou emprego. Não acho que Hank mereça estar passando por essa situação, porém, já que ele está, precisa enfrentá-la e superá-la. Não vejo ele voltando para NY como uma fuga, mas sim dando continuidade em sua vida.

Achei muito legal a conversa que o Charlie teve com o Hank no bar. Foi bem previsível o Charlie ter ficado sabendo de toda a confusão que aconteceu com o Hank, Larry e Lars e ter tentado recuperar seu relacionamento como agente e amigo. Achei que Charlie foi muito sério e sincero quando falava com Hank sobre toda a situação, tanto pelo que passaram quanto pela partida de Hank. Entendo que Charlie fez a sua parte de tentar botar um fim em toda aquela discórdia que existia entre eles. Realmente não gosto de ver Charlie e Hank desse jeito.

Cheguei a ficar um pouco preocupado quando vi Lizzie e Hank juntos no bar. Foi realmente muito engraçada a conversa deles. Apesar de suspeitar que Charlie houvesse mandado ela para lá para levar o Hank para casa, não pude deixar de pensar na possibilidade deles acabarem “ficando”. Minhas suspeitas não me decepcionaram quando eles chegaram na casa e Hank viu que era uma festa surpresa de despedida para ele.

O Samurai Apocalypse é realmente um personagem muito bizarro. Toda aquela conversa da situação dele com Hank não me interessou nem um pouco. O que fiquei interessado foi no relacionamento e situação dele com Kali e Tyler. Ele trouxe varias revelações que considero importantíssimas para a história, como a sua volta com a Kaly e sua admiração por Tyler. Não deixo de pensar que esses dois eventos estão diretamente relacionados e vão contribuir para o Samurai Apocalypse fazer alguma besteira quando pegar eles juntos, e eu realmente acredito que isso vá acontecer, estou até torcendo para isso.

Achei a conversa que Hank teve com a Karen e a Becca realmente muito interessante. Ele expondo seus sentimentos e percepção de toda aquela situação foi realmente muito sério e maduro. Adorei a percepção delas quanto ao que ele falou, notando nitidamente uma mudança nele. Acho que isso pode representar um reforço para a decisão de eles voltarem a ser uma família. Torço realmente para isso acontecer, mesmo acreditando não ser mais possível nessa temporada.

O relacionamento de Bates com Gabriel (interpretado por Patrick Fischler), o padrinho dele é mais do que bizarro. Foi simplesmente um absurdo quando Hank pegou os dois “juntos” durante a festa. Mais absurdo ainda quando o Bates discutia com Hank e argumentava sobre a situação. Adorei como Hank deu um ponto final na história não deixando margem para mais discussões. Se eu estivesse na situação de Hank, com certeza já teria falado para Karen sobre o que o marido dela anda fazendo. Não iria aguentar ver a mulher que eu amo com um cara como ele.

Simplesmente A-DO-REI o Hank ter conseguido resistir ao ser “atacado” pela Karen na praia. Achei que ele deu uma aula para ela quando explicou o porquê não queria “ficar” com ela. Não tiro a razão dela de estar abalada com tudo o que está acontecendo, porém, não acho certo ela querer usar o Hank como um ponto de escape. Particularmente, acho que essa foi a melhor parte do episódio. Foi simplesmente FAN-TÁS-TI-CA.

Desta vez realmente não tinha como Hank evitar dar uma surra em Tyler. Foi o cúmulo da imprudência e inconsequência ele querer dar uma de bacana com o Hank mesmo depois de ter sido pego por ele traindo sua filha no banheiro com Kali, a mulher do seu chefe. Achei apenas que o Hank deveria ter batido um pouco mais nele, ele merecia. Mesmo o negócio não tendo acabado muito bem para o Hank, acho que no final das contas valeu à pena.

Aparentemente Lizzie não tem mais nada a esconder de ninguém, já que tudo está dando certo para ela. Deu até dó do Charlie quando ele descobriu que Lizzie tinha “ficado” de novo com Stu. Se não bastasse, mesmo inconformado com a situação, Charlie tenta dar uma chance a ela e botar tudo para trás. Não duvidava que ela fosse acabar terminando com ele, já que conseguiu tudo o que queria. No final das contas vejo esse rompimento deles como algo bem positivo para o Charlie, pelo menos em longo prazo.

Acredito que seja apenas uma questão de tempo a Marcy acabar descobrindo sobre o caso de Stu e Lizzie. Definitivamente não vejo a Marcy lidando com toda essa situação de uma forma boa. Quando ela percebeu o comportamento estranho de Stu já deu para ter uma boa ideia do que vai acontecer quando ela acabar descobrindo. Particularmente, acho que seria muito interessante se ela e Charlie voltassem a ficar juntos.

Destaques memoráveis do episódio:

- Hank zombando de Bates no começo do episódio.

- Hank zombando a Lizzie no bar.

- Stu e Marcy na cama do Charlie.

- Hank pegando o Bates e Gabriel “juntos” na festa.

E você, o que achou desse episódio? Não deixe de comentar.

@dncavalcanti

Talvez Você Curta

0 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe