Fringe 4x15: A Short Story About Love

sábado, março 24, 2012


Sempre foi sobre o amor.

Sei que muita, MUITA, mas MUITA, MUITA gente MESMO vai simplesmente cair matando no episódio, muitos fãs irão ficar revoltados, muitas pessoas vão rir na cara dos conhecidos que assistem a série, amizades morrerão e amores cairão, tudo porque Fringe deu a resposta que particularmente sempre soube que seria a correta, tudo é por causa do Amor. E sou obrigado a dizer de que realmente gostei dessa explicação, não foi algo do acaso, desde o piloto de Fringe tudo sempre foi movido pelo amor, foi pelo amor de Olivia por John que ela foi atrás de qualquer possibilidade que pudesse salva-lo, foi pelo amor de Walter por Peter que ele atravessou dimensões para poder o ajudar, foi por amor que vários eventos presenciados na série ocorreram, e não estranhei que foi o amor, ou a falta dele, o principal motivo de que Peter voltou.

Já dizia Aristóteles, “A Natureza tem horror ao vácuo”, claro que sabemos nos dias de hoje que isso não é verdade, mas Fringe mostrou isso de uma maneira muito boa, afinal, víamos nos episódios iniciais dessa temporada de que Algo estava faltando ali, Peter veio e preencheu este espaço, e assim as coisas começaram a mudar, é como estamos vendo essa volta causou efeitos materialistas nos personagens, principalmente Olivia que após a presença de Peter começou a ter suas memórias modificadas, talvez seja o Cortexiphan, talvez seja apenas o sentimento, de qualquer forma estou realmente gostando de tudo isso, e da maneira como está sendo levada...

Falando em “levada”, fiquei simplesmente chocado quando do nada apareceu o vibrador supositório objeto terrestre não-identificado que até hoje tenho mínima idéia do que é (tá certo que September disse que é um sinalizador, mas ainda acho que é mais que isso), mas que apareceu no 4 episódio da primeira temporada, primeira vez onde também vemos um Observador!! Claro que de bônus ainda temos a revelação de que realmente sempre estivemos no lado A e não nos lados C e D o que muda muita coisa, afinal, esta é a Olivia de Peter, eles realmente devem ficar juntos e novamente eu tenho a mínima noção de ideia, do que está por vir.

Isso tudo da um baque muito bom, principalmente para quem achava de que este universo significaria nada, já que ele desapareceria, agora é realmente excitante ver o quanto ele é importante, e admito que o que me deixa mais feliz nisso tudo é a possibilidade de que no próximo episódio podemos ver a linda abertura azul novamente! (Simplesmente odeio a cor amarela!) e pode até parecer estranho, mas realmente achei as explicações dadas realmente boas e criveis, e tem como não amar a clássica ceda de um beijo no meio da rua com a câmera girando? Se estivesse chovendo seria ainda melhor!

Porém mesmo com tudo isso, tenho medo, afinal, basta pegar qualquer review antiga minha, do começo da temporada que vai me ver falando que não queria que saíssem desta timeline e que a relação entre Nina e Olive é linda, a cena de ambas foi magnifica e realmente meus olhinhos lacrimejaram e quase chorei vendo a cena, quase. Também adorei Peter no apartamento de September e confesso que quando o ½ no final do numero, achei que teria uma parede falsa ali no meio e Peter entraria por ela, infelizmente não aconteceu, mas foi interessante ver um pedacinho da solitária vida de um observer.

Já o caso da semana foi algo realmente... Não diria estranho, já que me lembrou um pouco o filme Perfume, mas simplesmente não empolgou da maneira que achei que empolgaria, simplesmente não curti o que tentaram passar e achei que faltou algo na trama, algo que realmente fizesse-me importar minimamente com o personagem, não aconteceu, faltou uma empatia ali e simplesmente não deu certo, simplesmente fiquei totalmente indiferente quanto a trama. Ainda bem que essa trama chatinha do cara que procurava a poção do amor (sério!?) não atrapalhou a outra parte do episódio que foi simplesmente fantástica!

Vale notar que na cena inicial, enquanto Olivia e Nina tomam o café da manhã há Tulipas Brancas na mesa...


Já o Glyph Code da semana foi:


“QUILL”, me deixou realmente confuso, ainda não sei direito o que pensar disso, já que a palavra tem vários significados, comumente é usada para denominar aquelas penas usadas para se escrever e desenhar, em alguns locais também vi de que a palavra pode ser traduzida como “Luto” o que traz mais sentido a frase, já também pode se referir ao guidão de uma bicicleta. Mesmo tentando e procurando não achei mesmo algo realmente significativo para o use dessa palavra e talvez uma pessoa com amis experiência com a língua inglesa tenha maior sucesso, de qualquer forma, Fringe fez um episódio fantástico, que se eu andava meio receoso com a série mudou totalmente este sentimento, por Fringe, agora, é só muito amor...

Talvez Você Curta

6 comentários

  1. Eu amei cada pedacinho do epi até o caso, achei legal n matarem o cara sempre matam, fringe me surpreendendo rs, uma coisa que eu li por ai o observador fala de amor como uma coisa longe q ele desconhecia, se eles são humanos do futuro como esse futuro deve ser? Sem amor?

    Essa palavra já n tinha sido usada uma vez? Eu fiquei com a sensação que sim, acho q ''quill'' pode se referir a pena mesmo, com um sentido de leve, talvez se referindo ao Peter por ele n ficar se sentido culpado e poder viver esse amo ele tirou um peso das costas n é? só minha teoria rs

    ResponderExcluir
  2. Episódio sensacional.

    Acho que o diferencial de Fringe sempre foi esse "amor". É incrível como as emoções humanas se relacionam com a parte "ficção científica" da série. Se alguém não gosta disso, meio que está perdendo seu tempo porque é o que Fringe faz de melhor.

    PS: Só eu que não estou gostando do September explicando tudo para o Peter? Achei relaxo do roteiro.

    ResponderExcluir
  3. Eu gostei bastante, especialmente pq sempre achei que estava no lado A alterado pela inexistência de Peter e tudo fez muito sentido.
    De certa forma acho que faz parte do senso comum o poder do amor e isso torna tudo muito aceitável.

    **Coincidência foi o caso falar em poção do amor na mesma semana que OUT!! Rumpels parece que conseguiu... huhauahauah

    ResponderExcluir
  4. Tinha desistido de ver essa serie no 3º episodio da segunda temporada, mas com tudo isso que li acima, me deu uma vontade incontrolavel de saber o que está acontecendo e o que estou perdendo.
    Obrigada pelo post, adorei mesmo.

    ResponderExcluir
  5. Peraí.
    No episódio anterior Olivia não tinha descobrido que Nina era ruim e estava do lado de Jones?
    Por que ela estava toda feliz com Nina nesse episódio?

    ResponderExcluir
  6. Ela descobriu que aquela Nina que estava sequestrada junto dela era uma Shape-shifter, já a Nina que tava na MD que o Lincon e o Broyles desconfiavam que era uma Shape-Shifter é a Nina mesmo, entendeu?

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe