Person Of Interest 1x17: Baby Blue

domingo, março 11, 2012



O casal e o bebê recém-nascido.

Colocar pessoas completamente inaptas para cuidar de crianças executando tal função normalmente é uma idéia fácil para criar situações cômicas, e isso é exatamente o que fizeram no mais recente episódio da temporada. Embora não seja uma série cômica — muito longe disso —, Person of Interest possui seus momentos engraçados, mas nada jamais comparável ao mostrado em Baby Blue

Ver Finch comprando comida e fraldas para o bebê e recebendo os parabéns na saída do mercado, Reese usando um carregador de bebe na rua, o desespero dos dois quando Leila desaparece, são momentos cômicos incomuns para uma série como essa. Todos os citados são engraçados, mas nenhum se compara com a breve discussão entre Reese e Finch quando eles, depois de procurarem por todos os lados Leila, a encontram com uma granada na mão. “Eu te disse para mover seu arsenal”, “Eu ia mover”, “Quando? Após explodir tudo? Você sabe como me sinto sobre armas” é uma discussão que poderia ser vista entre um casal brigando sobre como cuidar de um filho recém nascido.

Não sendo uma comédia, é obvio que um episódio de Person Of Interest não pode se limitar a momentos divertidos. A maneira como dois casos simultâneos foram explorados é inteligente já que as duas situações inicialmente distintas acabaram se ligando, e por mostrar mais uma vez que os roteiristas da série não têm intenção de executar os episódios sempre da mesma maneira, variando nas formas como utilizam as varias possibilidades oferecidas pela excelente premissa que criada.

Ao fazer com que a máquina emitisse dois números distintos e não relacionados — já havíamos visto vários números em um episódio, mas todos ligados ao mesmo evento —, os escritores livram o espectador de uma dúvida que, em longo prazo, tiraria um pouco da credibilidade da série: por que nunca vimos dois ou mais casos no mesmo episódio? Afinal não é difícil imaginar que, em uma cidade como NY, sempre há mais de uma pessoa planejando ou em iminência de ser vítima de um crime. Agora não há mais essa dúvida.

Graças a isso, podemos ver Finch sendo forçado a agir. Ele, que vinha cada vez mais participando ativamente das missões, se viu obrigado a improvisar. Embora tenha tomado uma atitude absurda — prevenir um seqüestro executando um — mostrando sua falibilidade (algo que dificilmente acontece com Reese, mas que aconteceu em Baby Blue), é um erro omitir como Finch conseguira sair do hospital com um bebê. Esperar que o espectador simplesmente aceite que ele seja capaz disso sem mostrar como, entra em confronto com a própria construção do personagem que, embora muito competente a distancia, ajudando e planejando, jamais se revelou um grande talento quando lhe era necessário atuar ativamente em campo.

A falha de Reese, por sua vez, vem de maneira inesperada e com conseqüências muito mais complicadas. Ele se revelou muito inocente ao confiar que Elias o ajudaria sem pedir nada em troca e por isso é emboscado logo após recuperar Leila. Isso o humaniza, já que em um momento de extrema necessidade ele recorre a uma pessoa a qual ele jamais pediria ajuda e confia cegamente nele, colocando sua vida em risco e abalando seu relacionamento com detetive Carter, que não aceitou a traição dele embora entenda os motivos que o levaram a entregar a localização de Moretti.

Em resumo, foi um excelente episódio da série, mostrando momentos engraçados junto a situações complexas que exibem o grande potencial de Person Of Interest.

@hadrielsm

Talvez Você Curta

1 comentários

  1. Beleza de review! O episódio foi ótimo, POI cada vez melhor. A série sempre teve seus momentos de humor velado, embora nesse episódio as situações cômicas tenham ganhado maior destaque do que nos outros por conta da bebezinha, mas ainda assim foi discreto e divertido na medida, como em todos os outros que a série já mostrou, mantendo assim a coerência com roteiro e com o estilo da própria série. Já está no meus favoritos, a partir do próximo episódio, acompanho sua review também!

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe