Supernatural 7x17: The Born Again Identity

terça-feira, março 27, 2012



Cass is back. Ou não.


Depois de torturantes 16 episódios, Supernatural nos entrega um episódio aceitável, um pouco melhor do que seus antecessores, mesmo que o motivo pela grande melhora do episódio foi por causa de Misha Collins, que esteve de volta, como Emanuel, nosso velho Castiel, com sua visão sempre ENORME de mundo.

Meg estava de volta também, e de alguma forma, parecia mais macabra com a nova cara. Sempre é bom ver Dean e Meg juntos, com aquela super tensão sexual acontecendo dentro do carro. A melhor frase do episódio, porém, foi quando Meg conta logo para Cass que ele é um anjo e Cass pergunta: me desculpe, isso é uma cantada? Que graça.

Nem senti tanta raiva da atuação de Padalecki e até achei que ele fez um bom trabalho mostrando toda a dor por não conseguir dormir e ter que aturar Lucifer (Luci para os íntimos) toda hora. O drama que aconteceu dentro do quarto com a louca do fantasma foi legal pois me lembrou as duas primeiras temporadas da série.

E é isso que estão fazendo: trazendo de volta o que era bom. Castiel, por exemplo. Meu único problema com o episódio foi a não-linearidade com a história da semana passada. Claramente Frank não é tão importante assim para os irmãos, já que eles nem se importaram em procurar respostas sobre o desaparecimento.

Achei suspeito Sam aparecer no começo do episódio no meio dos trilhos macumbeiros e ri muito quando o moço achou que Sam estava chapado com algo extremamente inédito. Não, moço, aquilo era só ele tentando atuar mesmo.

A forma que lidaram com a volta de Castiel também não foi lá aquelas coisas. Devemos esquecer todos os acontecimentos dos dois primeiros episódios da temporada, então? Sem contar que foi só ele colocar a mão na cabeça do demônio, que BOOM, ele lembrou de T-U-D-O. Sem contar que ele não tinha reconhecido a cara de Dean desde o começo do episódio. Achei um tanto que desnecessário mantê-lo durante mais da metade do episódios parecendo um guru espiritual do que ir gradativamente lembrando de tudo.

Castiel já fez muito pelos Winchesters, mas acho que o que ele fez nesse episódio, foi de longe, a maior prova que família não é só aqueles que limpam seu coco quando bebê. Ele se sacrificou geral e convenhamos, não daria para mantê-lo normal na série sem alguma reviravolta.

P.S: O diário magicamente 'cai' no chão. Bobby, é você?

Talvez Você Curta

1 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe