Awake 1x04/1x05: Kate is Enough/Oregon

sexta-feira, abril 13, 2012


Awake 1x04

O drama de Michael continua sendo o ponto central da série, que infelizmente é minada pela insistência em se utilizar da batida — muito batida, diga-se — formula do procedural.


Eu não entendo qual a tática dos produtores de Awake. A temática da série naturalmente afasta o espectador casual, aquele que assiste CSI e afins, mas mesmo assim há uma insistência em apresentar esse tipo de trama que se fecha em um episódio, que soa completamente estranha a proposta da série.

Assim, um tempo precioso é jogado fora em uma investigação que pouco importa enquanto poderíamos estar vendo o complexo dilema do protagonista caminhar adiante. A investigação dos dois assassinatos é, em uma realidade — a amarela — ruim e na outra é desinteressante. Reparem por exemplo na cena do primeiro depoimento dos sócios no barco. A troca de olhares entre eles é tão descarada que é possível notar imediatamente que eles escondem algo.

Passados esses problemas, a trama de Michael é cada vez mais interessante. Primeiro, por ser impossível saber a origem das investigações de Michael. Vejamos: primeiros somos apresentados a antiga babá de Rex como uma executiva na realidade amarela e logo depois a vemos como uma atriz fracassada na outra. É possível imaginar dessa forma que a primeira realidade influencia a azul, mas ai surge o creme de barbear, um elemento apresentado da na azul que influencia amarela. Sob essas circunstancias, é impossível determinar qual dos dois universos experimentados por Michael é o real. (Alias, nem considero que isso seja relevante, já que acredito que Michael esteja em coma e seu cérebro esta trabalhando para desvendar as circunstancias que o levaram a esse estado).

Além disso, toda a construção dos problemas de Rex e a maneira como o episódio mostra como, mesmo diante de circunstancias similares, o resultado de um trauma pode ser completamente diferente. Embora um pouco didática, praticamente resumindo para o espectador os temas do episódio e explicando detalhadamente, a seqüência desde a conversa com os psicólogos até o momento em que Michael oferece novamente ajuda para o filho, o final foi bem atuado mostrando os aspectos mais interessantes da série e que deveriam parar de ser negligenciados pelos roteiristas.

Awake 1x05

Diferente de seu antecessor, Oregon consegue apresentar uma boa trama para o caso da semana e também um bom desenvolvimento para a situação de Michael.

Mas o principal deslize que Awake vem mostrando nesses episódios é desconfiar de seus espectador em sua conclusão. Os dilemas do episódio são bem e sutilmente construídos, vemos Michael convivendo com os problemas de Los Angeles, que no inicio de Oregon parece um lugar hostil, e a distancia da esposa, que mal aparece durante o episódio, mas quando o faz, esta feliz. Isso já estava ótimo.

Infelizmente, surgem os psicólogos no fim do episódio apenas para resumir o que vimos. Embora seus questionamentos sejam interessantes, Lee e Evans atuam quase como sintetizadores daquilo que foi mostrado. Assim, a conclusão óbvia é que o grande problema de Awake é estar na TV aberta, onde devem fazer até com que o espectador em coma entenda tudo nos mínimos detalhes no fim.

O caso do serial killer Gemini revelou um novo personagem interessante. Quem é ele? Ele sabe de alguma coisa? Será ele um personagem que aparecerá em ambas realidades com o conhecimento do que de fato esta acontecendo? Sem dúvida ele é um personagem que desperta curiosidade.

Outro aspecto bem trabalhado foram as suspeitas sobre Michael. Finalmente alguém questionou de onde ele tira suas informações.

Até aqui, Awake não se tornou tudo que prometia no piloto, mas consegue ser uma série que, salvo alguns deslizes, merece muito mais atenção do que recebe.

Talvez Você Curta

0 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe