Fringe 4x19: Letters of Transit

sábado, abril 21, 2012

 

Ainda estou procurando palavras para expressar o quão terrível foi este episódio.


Desculpem-me, mas antes de começar a review em si, tenho algumas considerações a fazer. Primeiro, sei que muita gente vai discordar totalmente das minhas opiniões, sem duvidas muitos amaram o episódio, acharam ele genial e incrível; depois, sou obrigado a dizer que sim, eu elogiei toda essa temporada de Fringe, quando muitos estavam criticando, porém realmente, achei que a temporada fez episódios excelentes, mas é meu “trabalho” vir aqui e dizer o que achei do episódio, criticar Fringe de maneira negativa é algo muito novo para mim e perdoem-me se fizer algo errado. E por ultimo, daqueles que realmente gostaram do episódio, não vou dizer “sequer leiam a partir daqui”, seria algo patético, mas estou aberto a discussões saudáveis nos comentários. Dito isso, vamos começar.

Dollhouse. Se alguém já assistiu a esta série acho que o único pensamento durante todo este episódio foi “Epitah: One”, eu fiz uma maratona, recente, de Dollhouse e me apaixonei pela série, pelos personagens, não vou entrar em detalhes aqui, mas realmente todo o episódio de Fringe lembrou muito ao final da primeira temporada da série de Joss Whedon. Para explicar rapidamente, Dollhouse estava dada como praticamente cancelada, porém Joss Whedon pediu por mais um episódio, com metade do orçamento dos outros, e assim nasceu “Epitah: One” o episódio que daria um encerramento para Dollhouse, o episódio se passava alguns anos no futuro, onde encontramos personagens totalmente desconhecidos que até a metade final do episódio tinham aparentemente nenhuma ligação com os que havíamos visto durante a temporada. Surpreendentemente Dollhouse foi renovada para uma segunda (e sua ultima) temporada, onde foi feito o “Epitah: Two” que deu segmento aos eventos de “Epitah: One”.

Em “Epitah: One” e “Two” foi mostrado os personagens, após uma guerra, que foi travada após uma tecnologia referente a trama da série se tornar publica, várias pessoas ficaram loucas, outras uniram seu corpo a tecnologia, enquanto os ricos trocavam de corpo sucessivamente para assim viverem “eternamente”. Não vou dizer que os Fringe copiou Dollhouse, seria além de ingênuo, algo que serviria apenas para criar uma polêmica vazia e estupida. Porém é inevitável não lembrar da antiga Syfy, amada por uns, odiada por outros.

E então Fringe nos apresentou “Letters of Transit”, a campanha comercial em cima do episódio foi alta, até mesmo soltaram a abertura especialmente feita para o episódio com “Alegria”, “imaginação”, “Comunidade” e “Individualidade” como algumas das palavras presentes. Eu esperei até o episódio sair para poder ver ao episódio, não vi vídeos ou fotos promocionais, nada, absolutamente nada, sabia apenas que o episódio se passaria em 2036, onde os observers haviam assumido o controle, e só. Realmente fiquei bravo comigo mesmo, já que se tivesse visto ou procurado mais sobre o episódio não teria me decepcionado tanto, e teria de alguma maneira me preparado melhor.

Admito que até metade do episódio até que estava gostando da premissa, porém da metade para o final, quando ficou obvio que não teríamos um “fechamento” para a trama exibida no episódio e que assim como “Epitah: One” ficaria a critério de uma possível nova temporada, ou não, termos uma continuação para o que vimos aqui, que simplesmente meu sangue ferveu. Particularmente, odeio coisas desse tipo, e posso até estar enganado, e quando Fringe mostrar o final dessa trama posso acabar mudando de idéia e o amando (algo parecido aconteceu com Dollhouse), mas simplesmente não suporto quando do nada, vem um episódio, se situando no futuro, onde os personagens estão diferentes, a trama está completamente mudada e você tem que realmente prestar atenção extra, redobrada e ver cuidadosamente cada detalhe, pois se você piscar pode rapidamente ficar perdido em tudo.

Era obvio que Etta era filha de Peter e Olivia, com menos de dez minutos já havia percebido que ou ela era Etta, ou era Ella, mas não podia ser Ella, porque ela já havia aparecido no final da terceira temporada e era uma atriz diferente. Etta, porém, foi totalmente dispensável, a atriz tinha nenhum carisma e simplesmente não ligaria se ela tivesse sido sugada pela anti-matéria, junto do Observer de dentes separados e guardas-avulsos. Agora parece que o “Simon” que o Glyph Code da semana passada formava era referente ao Desmond Hume! Estava ansioso para a participação de Henry Ian Cusick, o escocês estava bem confortável no papel e isso foi bem visível.

Já a trama em si não me agradou, simplesmente não gostei dos Observers tarados, milhares de Observers surgindo do nada, não foi algo agradável de ver, foi bruto, massivo, estamos acostumados a vê-los de uma forma mítica, sombrios, sem fazer movimentos bruscos e entrando na cabeça das pessoas. Aqui eles agiram como uma gangue de mafiosos e não adianta dizer que não porque é a grande verdade. Sequer teve como levar a série que aqueles eram os Observers que aprendemos a gostar, a temer e perguntar o que, quem, quando... Simplesmente nem vou comentar a cena da aguinha que ~hidrata~ porque sinto que a review já está tendo muitas criticas, mas vergonha alheia definiu aquele momento.

Broyles de certa forma até que foi interessante, achei a maquiagem usada muito boa, porém o personagem foi completamente dispensável, diferente de Nina Sharp, que estava linda com os cabelinhos “branco neve nº 0”, gostei da participação dela, mas novamente foi dispensável, assim como o Broyles estava ali para dar uma “constante”. Porém devo novamente bater palmas para John Noble, ele simplesmente arrebentou no episódio, inclusive, quando a parte do cérebro dele, que havia sido retirada por Willian Bell, foi recolocada já foi possível ver a mudança em uma simples expressão facial que ficou ali até o final do episódio, uma amargura e ressentimento.

E ao final do episódio, todos são salvos e se encaminhas para a iminente guerra contra os Observers, Peter aparece no nada, com possivelmente Lee no fundo e Olivia desaparecida, isso sem falar na mãozinha de Willian Bell. Simplesmente odiei isso, esses mistérios jogados loucamente ao vento, te deixando intrigado, infelizmente não funcionou comigo e tudo o que senti foi repulsa.

Antes que digam que me tornei um “hater” ou qualquer coisa do tipo, digo apenas que não. Eu odiei esse episódio? Sim, absolutamente. Porém ainda acredito em Fringe, e tenho certeza, de que os últimos três episódios da temporada serão fantásticos (Ainda mais com a participação de outra Ex-Lost, a linda Rebeca Madder), não acho que a péssima qualidade do episódio será levado para os seguintes, mas deixo aqui meu despontamento, decepção e ira, a este episódio de Fringe que poderia ter sido épico, mas acabou se tornando apenas um belo “pulo do tubarão”.

Se você não viu os Observers ta na hora de procurar um oculista não é? Já o Glyph Code dessa vez foi:

“QUAKE”, não, provavelmente tem nada a ver com o jogo, a palavra que traduzindo seria algo como “Tremor”, ou “Terremoto” deve se referir primeiro a tentativa do roteiro de dar uma chacoalhada na trama que vinha sendo levado até aqui, dar uma separada e criar trama para uma possível nova temporada, além de que lembra da sensação de insegurança, como se seus pés não estivessem ao solo e você se sente perdido, como imagino que o episódio em si tentou passar.

Talvez Você Curta

35 comentários

  1. Eu realmente gostei muito desse episódio, aquele falso "mistério" sobre a Etta realmente não funcionou.
    Mas pra mim, o momento ápice do episodio foi ver o Bell, eu surtei em casa. Acho que mais uma vez fringe acertou, só viajei numa coisa, o filho do Peter com a Olivia não deveria ser o Henry?

    ResponderExcluir
  2. Também não gostei não e não entendi que diferença faz na temporada, apesar que achei o final com o Peter bonitinho. Tomara que tenha uma continuação porque senão vai ficar muito sem nexo.

    ResponderExcluir
  3. Não,Guilerme, aquilo da a entender que a Etta nasceu em 2011/12 já que ela tinha 4 anos em 2015 quando o Peter foi preso em Amber

    ResponderExcluir
  4. - Simon se sacrificou no âmbar para salvar o Peter, a equipe ficou "completa" já que Bell não foi salvo por que fez alguma coisa para/com a Olivia que acho não estava congelada (não lembro se a Etta comentou alguma coisa sobre os dois estarem lá).
    - Lee não apareceu, provavelmente está no buraco negro que foi parar o universo B (suspeito que tenha sido isolado).
    - Acredito que Walter estava seco assim por que as memórias que ele recebeu eram as de uma pessoa que ele evitava ser, apesar de sua relação com a Astro seguir a mesma e ela não estranhar ele tirar a mão do Bell de uma mochila.
    - Henrietta? Seriously? Legal o Peter mostrar alguma reação ao Henry, pensei que ele não iria comentar com ninguém o filho que ele iria ter com a Bolivia na antiga timeline.
    - Tive que rir muito alto quando o Walter comentou o jogo "Simon says".
    - Também não gostei do episódio, levei um susto com a nova abertura que jogou na nossa cara onde a série tinha ido parar. Só discordo de ti porque gostei da atriz que faz a Etta e quis abraçar ela quando o Peter exitou a lembrar :(

    ResponderExcluir
  5. Eu realmente amei esse episódio!
    Acho q Olívia não apareceu pq ela morreu, eu posso tá viajando, mas quando o Walter falou q não perdoava o Bell pelo q fez com a Olívia tem algo a ver com a morte dela.
    E o Henry era o filho de Bolívia e Peter. Me pareceu bem interessante q colocaram essa Henryetta para ser filha delas, porque na temporada passada qnd eles foram para o futuro, teve a cena da cozinha q eles imaginavam terem uma filha no futuro...Mesmo q no caso o Olívia morreu no final.
    E eu não entendi de onde surgiu o Bell na história, tipo em carne em osso, sem só uma mente ocupando o corpo dos outros, isso foi realmente intrigante.
    Não gostei nem um pouco desses Observadores e não gostei nada de toda essa explicação de dominar a Terra e cansar de só observar...
    Por isso é maior a minha vontade de q expliquem isso no futuro!!
    #SaveFringe #FringeSeason5

    ResponderExcluir
  6. Bem, eu gostei muito, Leozito! Achei bem mais interessante do que a "Arca do Jones", embora acredite que as coisas ainda vão encontrar um denominador comum.
    Nimoy de cera! Ótima sacada! Só precisam da mão e Walter deu show mesmo, de cérebro revigorado não tem pra ninguém. Acho que enfim vamos descobrir o que o Belly queria tanto esconder, porque nunca engoli muito bem que Walter quis se desfazer de pedacinhos do cérebro.
    Pelo que entendi, o agente empurrou o Peter e ficou no lugar dele, fizeram aquele suspense sem mostrar pra parecer que estavam tirando Belly.
    Será que Gene ta no âmbar tb?? OMG!!! Coitada!!!!
    "Branco n° 0" lol

    ResponderExcluir
  7. Tem ainda aquela frase do September, ele viu todos os possíveis futuros e em não há nenhum em que ela sobreviva.

    ResponderExcluir
  8. Nikki, o Bell explica, na 2ª SF, que o Walter pediu pra se desfazer das memórias que o tornariam uma pessoa que ele não queria ser, e agora o Simon injetou essas memórias para ativar as recentes e acabou ativando as que ele não queria... isso que é cérebro "revigorado", acho que nos próximos episódios veremos um Dr. Bishop bem diferente do que estamos acostumados.

    ResponderExcluir
  9. Eu sei, Gab, mas veja só: o que ele não lembra não pode fazer mal. Depois de extraída a memória, o Belly poderia dizer qualquer coisa, não?

    ResponderExcluir
  10. Leozito de boa, acho que você não entendeu esse episódio de Fringe (salvo, é claro que a continuação dele depende da 5º temporada).

    ResponderExcluir
  11. Devo confessar q amo Fringe.
    Terminei o episódio e fui postar no face da Camila Barbieri dizendo q não sabia o q pensar ou como me sentir em relação ao mesmo até pq não consegui fazer uma conexão direta entre a trama q vinha sendo trabalhada nesta temporada (com foco principal no Jones) e esse episódio.
    Concordo com vc em relação ao fechamento da trama, quando chegou na metade do episódio eu olhei pra ver quanto tempo faltava pra terminar (evento q quase nunca acontece comigo em fringe) e senti uma sensação de desconforto.
    Quanto a Etta ficou mais do q óbvio quem era ela, até pq ela era a única q conseguia esconder os pensamentos dos observadores (presentinho da Liv, claro).
    Não odiei o episódio, mas tbm não amei!!!

    ResponderExcluir
  12. Realmente foi mto ruim =(. A única coisa boa foi rever o Henry Ian Cusick e a atuação do John Noble. Fiquei com a impressão que foi um filler ultra desnecessário. A Etta ser filha deles foi tão óbvio que só isso já fez desanimar do episódio logo no começo. Talvez se a atriz fosse mais parecida com a Olívia no jeito de lidar com a situação ao invés do "emocional" seria mais interessante. Os episódios 19 são diferentes mas importantes pra história e como a série provavelmente vá ser renovada pra uma última temporada com 13 episódios msm, acho que em algum momento na 5ª temp eles continuem a história do futuro.
    Bom, pelo menos o ep 20 vai ter ação entre as duas realidades pra compensar o/

    ResponderExcluir
  13. Bem eu achei que foi muito bom.

    As referencias citadas, tbm achei parecido com o episódio de Dollhouse, porém tbm acho Fringe parecida com Dr Who aquele dirigivel vc n acha? entre outras coisas como os universos paralelos, mas n importa pelo menos para mim nunca importou eu amo Fringe e achei interessante se houver uma quinta tempo ela ser assim.

    Uma coisa que sempre me deixa com raiva sobre fringe é a unica coisa, ninguém sente nd em fringe são todos metamorfos, pior ainda: O Peter e todo mundo foi congelado, cade o desespero WALTER? Cade a Olivia merda ela morreu? Peter vc sente alguma coisa, vc deixou sua filha e se congelou em amber? O cara ta la e fala para menina q tudo vai dar certo, eu penso assim pow minha filha cade minha filha se passaram 20 anos, é a primeira coisa q eu faria seria procurar por ela, fringe sempre quer responder as coisas com amor, porém nunca mostra amor por ninguém realmente, só coloca palavras vazias na boca dos personagens, como foi nos episódios passados com o Walter de cupido da Olivia e do Peter, fora isso eu amo toda ficção cientifica dentro de fringe. Eu realmente gostei do episódio, pelas partes tecnicas e efeitos, e o que eles propuseram.

    Ps: Achei a atriz q fez a filha da Olivia muito boa atriz :)

    ResponderExcluir
  14. Também lembrei disso...Parece q ela não tava lá no ambar, o q não entendi é q o Walter falou q o Bell tinha alguma coisa a ver com algo q aconteceu com a Olivia, q ele não poderia perdoá-lo, ainda tem muita coisa pra ser explicada e acontecer!!

    ResponderExcluir
  15. Realmente vc não entendeu nada mesmo... não vou tentar explicar pq o comentarista "profissional" é vc, mas qsua review foi um piti de menina mimada, ah! isso foi... kkkkkkk

    ResponderExcluir
  16. Muita gente sempre fala dos dirigiveis de Doctor Who com Fringe, mas na verdade, no genero Steampunk eles são bem utilizados, então sequer vejo muita ligação... E como eu falei, não vou dizer que "copiou" de Dollhouse porque seria ingenuidade, mas lembrou muito e talvez os roteiristas podem até ter se inspirado...

    ResponderExcluir
  17. Boa ehauaehuuae, acho q ele n entendeu a historia e falou mal do q ele entendeu sómente.

    ResponderExcluir
  18. Leo, vê de novo o episodio. Não vou dizer que você não entendeu, odeio quem diz isso, mas sinceramente esse episodio entrou fácil para o meu top 3 de episódios. Tenho certeza que nos próximos três, apesar de não voltar a 2036, teremos varias ações do presente que repercutirão no futuro de 2036. Fringe fez uma finale que foi ao futuro e que muita gente aplaudiu de pé, não entendo por que Leters of Transit foi tão criticado por você.

    Vê de novo, com olhos de quem quer entender e não de quem quer um desfecho imediato. Leia de novo seu texto, por que alguém que diz "não suporto quando do nada, vem um episódio, se situando no futuro, onde os personagens estão diferentes, a trama está completamente mudada e você tem que realmente prestar atenção extra, redobrada e ver cuidadosamente cada detalhe, pois se você piscar pode rapidamente ficar perdido em tudo." só pode estar renegando a essência de séries como Fringe, que por vocação tem que nos surpreender a cada episodio.

    Posso estar enganado como acho que você se enganou, mas a reta final de temporada de Fringe pode ser algo de estourar os miolos.

    ResponderExcluir
  19. Diego, olha como eu disse quando vier a continuação eu posso simplesmente amar o episódio, como aconteceu com Dollhouse, mas por enquanto realmente não consegui, acho que isso vem de mim mesmo, como eu falei esse episódio vai ser adorado por muitas pessoas. porém eu não me encaixo no grupo...

    E na verdade eu vejo todo episódio que eu faço review no minimo duas vezes e ai sim faço a review, neste episódio de Fringe no caso vi duas, uma com legenda em ingles, e depois com a legenda em português! mas olha eu realmente acho que nesta temporada não teremos nada que influencie neste futuro, se tiver serão coisas pequenas e que sem esse episódio passariam facilmente despercebidas. Acho que isso foi de certa forma um portão de entrada para uma possivel 5ª temporada, já que provavelmente devem encerrar a Trama do Mr. Jones nesta temporada, e dar um close em várias coisas, caso seja cancelada,

    Qunado a "eu não entender" na verdade nem ligo hahahaha! Pode muito bem ser que eu não tinha entendido, vai saber! Mas acho que não foi o não entender, mas eu simplesmente não consegui me conectar ao que eles tentaram passar... Como falei até estava achando razoavel o episódio até a metade, mas quando chegou ao final, simplesmente desisti de tentar gostar do episódio...

    ResponderExcluir
  20. Eu AMEI o episódio, quando tava acabando achei que tinha travado alguma coisa, não acreditei, e não parei ra ver o tempo uma vez sequer.
    A impressão que me deu nesse seu desapontamento todo é que vc tava vendo esse ep como um season finale sem resuloções.. mas ainda faltam 3 (três!)!

    ResponderExcluir
  21. Concordo quase que absolutamente com o Leo.
    Não gostei tanto do episódio.
    O episódio 20 não vai se passar em 2036 não?
    Se não, vou ficar com mais raiva ainda.
    Lançar esse tanto de "misterios" e tal para depois não concluir é foda.

    Fiquei torcendo pra Nimoy aparecer descongelado. Me decepcionei em ver só a mão dele. ^^

    ResponderExcluir
  22. Cara vc não entendeu o episódio. Ponto.

    ResponderExcluir
  23. Diego, jurava que tinha ja te respondido anteriormente! Acho que o comentário não foi :S

    Então, eu posso não ter mesmo entendido o episódio, mas realmente acho que eu não consegui me conectar ao que ele tentou passar, o que gerou grande desgosto e desgaste emocional da minha parte. Ainda mais pelo fato de que a história não será continuada (aoenas em uma 5ª temporada)

    Realmente acho que serão pouquissimas as referencias a este futuro, e que grande parte delas passará totalmente despercebida, e que sem o episódio seriam futilmente deixadas de lado. Para mim este episódio foi como um portão de entrada para a nova temporada, já que se eles fecharem totalmente a trama do Jones neste temporada, na 5ª podem começar a abordar os Observers..

    Como falei esse episódio inteiro para mim foi um pulo do tubarão, já que descaracterizaram totalmente os Observers, criaram uma trama nada empolgante e até que previsivel em alguns momentos, tudo para tentar tirar baratos choques e "uau" do telespectador.

    Como eu disse eu tenho certeza de que os ultimos três episódios serão fantasticos, mas esse simplesmente não deu, mas eu admito que estou amando ver em foruns várias pessoas achando que os proximos episódios continuaram em 2036 kkkkkkk

    ResponderExcluir
  24. A única coisa que admirei nessa review foi admitir que não gostou de um episódio que 99% dos fãs gostaram. Corajoso. Mas em nenhum ponto concordo com o que está escrito aí, e duvido que você mude de opinião se a gente entrar em discussões saUdáveis (olha a ortografia, rapaz!).

    ResponderExcluir
  25. KKKK Flavia brigado, que sambada linda na minha face que o Word nem corrigiu isso!

    ResponderExcluir
  26. Ok, entendi o por que desse review.

    Você concorda que esse episodio é a resposta que faltava para mostrar o que são os observadores. Ainda bem que mostraram que os observadores são nossos descendentes, bizarros é verdade, e removeram por completo aquela aura de seres sobrenaturais que só diminuem relevância de qualquer historia.

    Vai ter muita gente irritada com o retorno ao presente na próxima semana, mas mau posso esperar que isso aconteça, já que quero saber como chegaremos até 2036. Não vejo como 2036 seja evitado, a mesmo que September interfira de novo. Acho que DRJ vai ter algum sucesso e que Belly terá envolvimento nessa situação, como ficou entendido no final de Leters of Transit. Isso tem tudo para explodir a cavidade encefálica de muitos Fringistas.

    Estou ansioso.

    ResponderExcluir
  27. Henry era o filho do Peter cm a Bolivia, mas cm a timeline mudou, ele foi apagado....

    ResponderExcluir
  28. Não é? O Word está cada vez mais imprestável! Teve vez que a palavra nem fazia sentido e ele dizia que estava tudo certo... Ai, ai. Enfim, de nada! (E cuidado ao sair na rua. Você sabe como esses fãs de Fringe são perigosos, são quase uns Fidelistas. :P)

    ResponderExcluir
  29. Gente, este episódio tem nexo não só em relação a esta temporada, mas em tudo que vem acontecendo desde o começo.. digamos que este episódio nos apresentou como tudo irá ficar graças a todas as coisas que aconteceram anteriormente, o que já dá a dica de que é um terremoto que vai detonar com tudo no final desta temporada.. se olharem a próxima promo alguns abalos sísmicos já começam a acontecer, ou seja tem muita coisa pior ainda por vir.

    O que acontece é que eu entendi o que o Léo pensou, em questão de este episódio parecer totalmente deslocado da trama que vinha sendo seguida, e ele entendeu corretamente, pq realmente está deslocado da parte onde estamos acompanhando. O episódio serviu pra mostrar que eles já tem tudo planejado pra história futura de fringe, e o que a série vai fazer agora é ligar a parte da história aonde estamos até o desfecho que a gente viu neste episódio.

    Ou seja, eu achei genial, tanto pra prender o publico pelo resto da temporada quanto para mostrar que eles tem tudo em mente caso ocorra a 5ª temporada, para dizer que eles não improvisariam alguma coisa qualquer pra fechar a série, para dizer que eles seriam épicos em terminar Fringe com chave de ouro. Mas é claro que este salto no tempo de um episódio para o outro poderia deixar alguns chateados pelo corte de fatos que só serão mostrados depois. Eu gostei, achei que caiu bem. xD

    ResponderExcluir
  30. Está no meu Top 3 dos episódios de Fringe, eu ainda estou em cacos e as possibilidades são tantas que chego a ficar com medo, o que nos espera Fringe? Realmente me sinto assim, como que jogado e sem rumo ( Parecido com Walter e o seu LSD), sentir-me assim à deriva é uma sensação boa demais.............Sinto pelo os que não gostaram do episódio, ele foi sensacional.............não quero explicar, não quero filosofar e por enquanto nem entender Fringe, só quero me perder e deliciar-me com essa FANTÁSTICA SÉRIE!

    ResponderExcluir
  31. Leo, coragem hein?? rsrs detonar um dos melhores episódio de Fringe não é pra qualquer um... kkk
    Falando sério agora, e dando minha opinião pessoal, acho que o problema maior não foi o epi em si, mas o fato de terem "jogado" um episódio sem dar uma introdução a ele, ou seja, não sabemos como chegamos ali, o que aconteceu com os personagem que conhecemos, como os observers se transformaram nos monstros que vimos etc...e o pior não saberemos o que vem depois, pq semana que vem voltamos ao "nosso tempo"....e provavelmente os episódios finais também serão no nosso tempo e não em 2036...
    Confesso que fiquei sem folego com esse epi (literalmente falando) pq ele abriu tantas possibilidades, me fez pensar em tantas teorias pra explicar o que vi...e ele me deixou com o "gostinho de quero mais" - sabe aquele episódio de 40 min. que parece ter tido 10? este foi um....
    Se fosse fim de temporada e tivéssemos a certeza de uma quinta temporada, acho que você veria este epi com outros olhos......

    Bom, parabéns pela review corajosa....

    E eu espero que tenhamos uma quinta ( sonhando pra quem sabe uma sexta) temporada, e que você possa nas reviews da quinta lembrar deste epi e dizer o quanto os caras de Fringe são fodasticos kkkkkkk

    ResponderExcluir
  32. Concordo em parte com a review. Também não gostei muito do episódio.
    Acho que destruiram a mitologia dos Observadores - Ficamos com a impressão de que são um bando de fanfarrões, isso sim ; Acabou-se a aura de mistério, NECESSÁRIA (Nem tudo precisa de respostas)
    O episódio anterior deveria ter alguma introdução para este - Tive a impressão de que gravaram os episódios, não sabiam como posicionar este na sequencia e jogaram ele em qualquer ponto.
    Particularmente achei a maquiagem do Broyles muito falsa - Gente de pele negra não fica enrugado daquela forma ... principalmente levando em consideração que é uma pessoa que fica basicamente no escritório, e não sob o sol escaldante do Equador.
    Foi bom ver nossas queridas máquinas de escrever quanticas & Leonard Nimoy.
    E mais uma vez John Noble salvou com sua atuação BRILHANTE.
    Mas isso não salvou o episódio de ser médio, após tanta propaganda.
    P.S : Eu não sabia que o Cortexiphan alterava o DNA dos testes, a ponto de se tornar uma característica passada de pai para filho.

    ResponderExcluir
  33. Legal que quem diz que entendeu não sabe explicar nada, né?

    ResponderExcluir
  34. Não gostei do episódio, a Etta ser filha da Olivia com o Peter já era previsível. Mas e a Olívia, não ficou no ambar como os outros ? E terminou sem pé nem cabeça...espero sinceramente que os próximos episódios sejam melhores, porque amo Fringe e odiaria que a temporada acabasse tão sem graça como foi este episódio.

    ResponderExcluir
  35. a ideia do episódio foi bacana. o desenrolar ao longo da 5a temporada, uma verdadeira BOSTA!

    ResponderExcluir

Fala aí, seuslindos!

Disqus for Seriadores Anônimos

Subscribe