The Good Wife 3x18/3x19/3x20

quinta-feira, abril 19, 2012




3x18: Gloves Come Off

A galeria de personagens recorrentes em The Good Wife seria capaz de salvar até o mais sem graça dos episódios e assim foi em Gloves Come Off. Trazer Canning mais uma vez para série e não apenas como o advogado adversário, mas também como parte essencial da trama de Alicia envolvendo a compra da casa. Graças a isso tivemos um excelente conflito, que mostrou a protagonista percebendo que a lealdade é algo supervalorizado por ela e criando coragem para colocar Diane contra a parede para que conseguisse um salário maior. Como essa bem notou, todas as pessoas mudam.

A amizade entre Alicia e Kalinda também voltou a receber alguma atenção. Desde que a investigadora salvou Grace, a relação das duas havia melhorado mas estava longe de ser a mesma de temporadas passadas. Agora, por se perceber na mesma posição que Kalinda depois da conversa que teve com Tammy, a ex-namorada de Will, ela se revela mais preparada para entendê-la.

3x19: Blue Ribbon Panel

A idéia de colocar Alicia em um ambiente desconhecido, burocrático e dominado por homens é excelente e sua execução tão boa quanto. Assim, em um grupo dominado pelas aparências, pela vontade de parecer — apenas parecer — imparcial, ‘Eu acho que eu sou a mulher’, diz Alicia e houve como resposta ‘Eu sou o negro’ é uma excelente demonstração da importância das aparências naquele grupo.

Dessa forma, a medida que as coisas para de acontecer como o esperado, o clima de disputa, principalmente entre Alicia e Mike Kresteva, cresce até o ponto que uma situação que parecia sem importância pode ter implicações políticas para Peter.

O ponto negativo infelizmente vem de uma trama que era boa até aqui: a briga pela posição de Will como sócio. A solução pareceu repentina, terminando de uma maneira infeliz com uma solução boba e abrupta.

3x20: Pants on Fire

Estamos de volta em clima de campanha eleitoral e, além disso revemos a manipuladora profissional Jackie Florrick. Essa foi a parte boa, infelizmente o caso da semana foi insosso, com o drama adolescente sem graça, investigação burocrática e cenas de tribunal que parecem ter sido feitas no piloto automático.

Então, se mantendo ao que foi bom, ver Alicia enfrentando a fria realidade de um mundo ao qual sempre foi alheia, o das campanhas eleitorais, mostra um lado mais ingênuo da personagem que, embora conviva constantemente com traições e armações — ela é uma advogada afinal —, ainda se surpreende quando Mike mente descaradamente para ela, mesmo estando apenas os dois na sala.

É bom ver que, embora Alicia tenha evoluído nesses três anos, a mudança não foi abrupta. Em um episódio ela força Diane a lhe dar um aumento (algo impensável em outras temporadas) para logo em seguida se surpreender com as mentiras de um adversário do marido. Ela mudou, mas ainda não foi tomada pelo cinismo do mundo que a cerca. Isso é demonstrado também pela decisão dela ao apoiar Peter apenas por um impulso vingativo contra o adversário dele, e não por causa de uma estratégia friamente calculada.

Falando de cinismo, foi bom ver Eli por um instante sem a sua mascara de auto-controle, no momento em que ele recebe a noticia em que vai ter de abandonar a candidatura da ex-esposa. Embora ele encontre uma racionalização para justificar o abandono da campanha (ele era apenas um consultor), é notório que, embora ele não deseje largar a candidatura de Vanessa, sua ambição no fim sempre fala mais alto.

O concorrente de Peter, Mike, se mostra um personagem com potencial para criar uma boa trama para quarta temporada, afinal já surgiu deixando claro que não tem medo de jogar sujo para conseguir o que deseja.

A trama envolvendo Jackie, e sua tentativa de afastar Alicia dos filhos, embora parece paralela a esses acontecimentos, é essencial já que é graças a ela que, ironicamente, Peter e Alicia se aproximam mais.

Talvez Você Curta

2 comentários

  1. #TheBadWife!

    Realmente!

    Esse episódio foi múltiplos BOOOMS na cara da sociedade!

    Primeiro, e antes de tudo, tenho que ressaltar a trilha sonora, a cada momento mais novela da série, onde tínhamos Alicia confrontando Chandler ou Jackie, tínhamos uma música cretina nos revelando o real tom da cena, toda a sua ironia...

    Não houve uma cena em que não desce para sentir a cretinice desses que viraram os vilões da série. Jackie foi histórica com aquele olhar após o Peter expressar sua preocupação nesse infarto claramente manjado. O 'Eu te perdôo' dela mostrou que ela vai manipular a situação. Fucking Bitch.

    Já Chandler dominou o blót político, claro que Eli sempre chama a atenção, mesmo com uma participação pequena. Toda a cretinice do personagem foi aos extremos de um personagem filho da puta que nem Canning consegue se igualar mais. Agora acho estranho o fato dele ter aparecido episódio anterior e de repente já ser um grande candidato, pois o Peter pelo menos sabemos que tem uma história política.

    Agora vem uma coisa que me preocupa, The Good Wife a três temporadas é um procedural jurídico, agora, esse episódio a parte jurídica foi o plot mais ínfimo. Foi tudo baseado na parte política e pessoal da Alicia. Eu tenho um receio que a série vai perder essa substância, e tenho medo pois é isso que faz envolver outros grandes atores e atrizes. Claro que eu ADORO a pegada política e acho foda o jogo de manipulação, mas o judiciário sempre nos traz grandes histórias e personagens! Se conseguirem equilibrar como fizeram na época da Wendy Scott-Cow acho que vai ficar legal, e acho que seria muito legal vê-la novamente também.

    No mais, esse episódio já garantiu, como todos os outros 19, a indicação no Golden Globe para nossa Julianna =D
    E aguardo com grande ansiedade mais participações do Chandler, e tenho certeza que virão, pois o cara foi ótimo! E agora que Alícia está menos ingênua com o mundo veremos um mundo mais agressivo com ela...

    Valeu \o/

    ResponderExcluir
  2. Só eu quero que Alicia fique com o Will??
    Oo

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe