One Tree Hill 9x12:Anyone Who Had a Heart

segunda-feira, abril 02, 2012


 Queimando arrependimentos e transformando tudo em final feliz.

Parece mentira.  Semana que vem veremos o último episódio de One Tree Hill e é inevitável sentir arrepios quando penso nisso. O clima de nostalgia é total e está tomando conta de mim e da própria série, que aproveitou o momento para resolver algumas antigas pendências e fazer uma espécie de auto-homenagem, por meio da trama envolvendo Julian.
Logo no começo, voltamos a encontrar uma antiga característica da série, que são as recorrentes piadas e comparações com Dawson’s Creek. Mark Schwahn sempre fez questão de tirar onda desse sucesso teen e acabou seguindo alguns caminhos parecidos. Julian é nosso Dawson e está pronto para transformar o livro de Lucas em série de TV.
O bacana mesmo foi ver que a série se explicou, mostrou que One Tree Hill nunca quis ser uma série adolescente como as outras e fez uma merecida menção ao poder de Brooke, a coadjuvante da protagonista que roubou a cena e se transformou numa das personagens mais amadas pelos fãs.
Brooke nos conquistou aos poucos e jamais será esquecida. Ela e Haley, para mim, são especiais. Sophia Bush e Bethany Joy Galeotti merecem nosso respeito e nosso amor, porque seguraram as pontas quando os prognósticos eram de que a saída de Lucas e Peyton destruiria a série. Três anos depois, cá estamos nós, aproveitando os momentos finais do nono ano da série que soube se reinventar como poucas.
Fiquei muito feliz por Brooke ganhar sua tão sonhada família e pela lembrança da garota por trás da porta vermelha. Ela só queria ser amada e conseguiu. Nós amamos Brooke e estamos satisfeitos porque seus pais finalmente notaram a filha que têm.
Outra coisa muito boa foi a lembrança do Burning Boat Festival, que aparece logo no comecinho da primeira temporada e nunca mais foi mencionado. Na época, tudo era tensão entre Lucas e Nathan, e Haley nem fazia ideia de estava sendo usada para atingir seu melhor amigo. Infelizmente, ficamos sem Nathan mais um episódio. E sem Jamie. E Chris Keller. Uma pena, porque eles apareceram menos do que eu gostaria até aqui.
Fiquei questionando se houve algum salto temporal ou se a magreza de Mouth é cara de pau mesmo. De qualquer forma, ri muito dessa situação, porque ninguém emagreceria tão rápido. Pelo menos não alguém que desconheça a dieta de Adaminha, mas essa referência, só quem viu Battlestar Galactica vai entender.
Adorei que Skills virou apresentador de TV e teve a chance de queimar os pecados ao se livrar do CD de Lindsay Lohan. Boa lembrança também dos momentos áureos na TRIC, quando todas as encrencas se desenrolavam ali.  Nada melhor do que Chase virar dono do lugar, mesmo que eu ache que a atual dona seja Peyton e não Karen. Talvez eu esteja lembrando errado, mas fica a dúvida, caso mais alguém também compartilhe da impressão.
Muito lindos os momentos em família de Clay, Quinn e Logan. Estava mais do que na hora de sair um pedido de casamento dali e o anel do lanterna verde selou a união de forma perfeita. Será que teremos Series Finale com direito a casamento? Não sei e só quero descobrir na hora. Minha única certeza é a de que semana que vem, a essa hora, eu terei chorado meu estoque de lágrimas e sentirei saudades de eternas de One Tree Hill.

P.S* Episódio sob direção de Sophia Bush. Essa linda!
P.S*Chase não está mais namorando MULHERES. Confere, Arnaldo?
P.S*Chuck é troll até queimando as memórias do pai, tentando promover um foguetório na cidade.
P.S* Um episódio até One Tree Hill.

Talvez Você Curta

0 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe