Smash 1x09/10: Hell On Earth/Understudy

quinta-feira, abril 12, 2012


Bipolaridade é o que define Smash hoje em dia.

Não estava com muita vontade de assistir aos ultimos episódios de Smash, simplesmente porque o oitavo episódio foi muito broxante em alguns sentidos e acabaram fazendo algumas das mesmas coisas no nono também.

Primeiro, quero deixar bem claro que não tenho nada contra Ivy e seu drama de ser um anjo caído, mas vamos ser sinceros, todo o plot está um pouco desnecessário. Pelo menos Smash já tinha mostrado que ela havia se tornado um pouco dependente dos remedinhos e ainda ficava vendo coisas, mas em que mundo ela aceitaria ter uma noite de BFFs com Karen? Em nenhum mundo, mesmo dopada daquele jeito.

O que me leva a reclamar de Karen... Não queria, mas enfim. Essa tentativa de sempre tentar agradar ou até mesmo proteger Ivy é irritante. A morena mostrou que é loira, já que não entende que a rival não curte ela nem um pouco. Dai que no décimo episódio acaba sendo o contrário, o que não faz nenhum sentido ainda, já que mesmo Ivy falando que vai 'ficar boazinha pra conseguir voltar ao show', nada vai adiantar ser boazinha com Karen, já que a loira-morena não tem nenhum poder naquela bagaça. Estou pressentindo que as duas virarão BFFs em um futuro próximo e sinceramente, não aprovo.

Uma coisa que eu adorei no nono episódio foi que o namorado de Tom, sabe-se lá o nome, é um GAY REPUBLICANO. Ri muito disso, gente. Todos os republicanos ficam fazendo bullying contra os gays, mas o moço decide continuar com sua ideologia política.

Aliás, o sexo entre os dois é horrível, mas o que foi mais ofensivo para Tom foi descobrir que o namorado é republicano. O pior mesmo é ele fingindo que iria na boa para o evento, sendo que estava morrendo de vontade de receber qualquer tipo de ligação para ir embora. Aliás, não gostei mesmo quando vi Tom deixando o republicano para trás, excluindo ele e só falando com o gay homofóbico. Fiquei também com um aperto no meu coração quando percebi que não iria acontecer mais nada entre os dois. Sem contar que negar é muito feio, Tom.
Gostei mais das apresentações desse último episódio -até porque, foram poucas - mas aquela apresentação da Karen e da Ivy na Times Square foi muita vergonha alheira. Gostei de ver Ivy cantando Breakaway, da Kellytah Clarkson, mesmo que não tenha sido a canção inteira.

A maior barra no momento na vida de Julia, é o marido não retornar as ligações. Mas gente, é claro que ele NÃO vai fazer isso. Ela não entende até hoje que não foi aceitável dar uns pegas com o Boy Magia Bipolar-Michael e pelo jeito também não entende que o casamento dela realmente acabou. Na verdade, no nono episódio, achei que ela deixou ele ir embora muito fácil. Pelo menos assim as pessoas entendem que ações tem consequências e honestidade é sempre a melhor solução para qualquer coisa.

Como alguém é tão burro à ponto de achar que só porque aparece no final das conversas, todo mundo vai te contar os bafões? Ellis, cresça. Aliás, ele precisa mesmo é ir pra Wikipedia e descobrir o que é ser um PRODUTOR, já que claramente ele acha que é só fazer teste de sofá com os assistentes alheiros.

Eileen, por exemplo, mostrou que não entende nada o que a filha fala, já que Mini-Meryl Streep esteve na série semana passada, reclamando sobre o negócio, dai a Bruxa-Rata faz a mesma coisa DE NOVO. Pelo menos no outro episódio ela conseguiu um grande investidor – na cama, também - e provavelmente veremos os dois fazendo uma parceria para produzirem musicais sobre martinis e como tacar fogo nas coisas logo logo.

Agora faz muito mais sentido Dev, o namorado de Karen, ter um caso com a mulher lá. O relacionamento dos dois é muito bonitinho, mas só bastou colocarem Derek no meio que tudo desmoronou. Super suspeito e nonsense porém, ele pedindo pra Karen perguntar se ele largaria tudo por ela, sendo que até dois episódios atrás, ele estava até divulgado fotos do pavão do rival para conseguir o emprego.


P.S: Super apoio Karen como Marylin e foi lindo ela deixando Derek sem palavras, mas tadinha, foi totalmente ofuscada quando Kill Bill chegou na sala.

P.S: Julia precisou passar pela super barra da separação para conseguir arrumar um título para o musical. Pelo menos a separação fez a criatividade da ruivinha aparecer novamente.

P.S: O marido de Julia deu um soco super merecido no Bipolar-Michael, e olha que ele estava merecendo muito aquilo, por ser tão bipolar.

P.S: #Bombshell

Talvez Você Curta

2 comentários

  1. Serio q vc achou desnecessário o plot de Ivy chapada? E a Karen é sonsa e boazinha gnt... me irrita tb, e muito mas a personagem é essencialmente assim.

    Meo, como a Eillen deixa o Ellis meter akele nariz de viado dele em tudo q eh assunto? pqp... Pelo menos gostei dos gritos q ela deu nele mandando ele atender o telefone, e até ir buscar café pra ela! Já que é essa a função dele... ATÉ PARECE, ele entra na sala dela e pergunta com qm ela estava falando ao telefone, OI?


    Bruxa-Rata foi sensacional!! kkkkk Eu tinha medo de ver esse filme da sessão da tarde, até me escondia em baixo das cobertas pra não ver ela careca ;x

    Como Dev e seu plot político é meio avulso, acredito eu que ele existe apenas para sair da série aceitando o emprego em D.C.... faz algum sentido?

    O que eu mais gostei nesse epi, e alias em quase todos foi Derek! kkk Tb adorei ele de boca aberta com Karen.

    ResponderExcluir
  2. Super não apoio Karen como Marilyn, mil vezes a Ivy, mas sei lá, ainda não terminei a sério, vou ver oque vai aconteceu do ep 10 para frente kkkk..

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe