Mad Men 5x12: Commissions and Fees

terça-feira, junho 05, 2012


O que é felicidade?

Sim, Mad Men foi direto à ferida da sociedade moderna. 

Não contente de ter nos brindado com excelentes episódios e com as mais variadas temáticas, agora Matthew Weiner, agora nos traz uma temática que foge a capacidade humana, a felicidade. 

Por mais que nos achemos felizes, sempre estamos em busca de mais, de superação, de sobressair a qualquer expectativa, independente do sentido em que falemos. 

Como Don mesmo disse: “Você fica faminto, mesmo que tenha acabado de comer”. 

Essa frase simplifica muito do que tem a ser dito, uma vez que o ser humano nada mais é do que uma máquina consumista. 

Filosofias à parte... 


Sou presunçoso suficiente para dizer que o episódio não me agradou, não que tenha sido ruim, pelo contrário foi bom, mas com a sequência de excelentes episódios que Mad Men demonstrou até agora, me pareceu falta de conteúdo apoiar-se em um personagem sem carisma nenhum como Lane. 

Claro que a era de se esperar isso, tendo em vista a despedida do personagem da série. 

Coisa que para mim era para ter acontecido faz tempo nessa temporada, com plots que não saiam do lugar e muito menos nos animavam a querer assisti-lo. 

Pessoalmente não sentirei falta do inglês. 

Em sua despedida fora tão patético quanto sua participação na temporada, exceto, é claro, pela tentativa frustrada de suicidar-se no carro, que apesar de novo não dava a partida de jeito nenhum, e mesmo assim Lane não perdera a pose de Gentleman que o acompanhou por toda sua passagem por Mad Men. 

Exceto quando se tratava de Joan e umas doses de uísque que o deixavam pra lá de desinibido. 

Suspeitei, desde que o momento que Don descobriu a tramoia de Lane, que este não passava do episódio ou no máximo da temporada. 

E estava certo, o pobre inglês enforcou-se em seu escritório, depois da falha tentativa de suicídio no carro, mas em vez de escrever uma carta de suicida escrevera a carta de demissão, chegou até ser poético, senão macabro pelo menos para Don. 

Já este pareceu estar querendo voltar à velha forma. 

Quando Don vê algo que ele quer, e ele vê pessoas que querem tanto quanto ele. 

“Se você tem apenas 50 por cento do mercado na maioria dos produtos que vende. Não seria melhor ter 100 por cento?” 

Por uma fração de segundos, Don Draper foi o Don Draper que conhecíamos das quatro primeiras temporadas, um cara que sempre teve problemas, tanto profissionais quanto pessoais, mas sempre saiu bem na hora de fazer um heroico discurso de vendas. 

É tão deslumbrante que é fácil se perder no que ele está dizendo, que, fundamentalmente, chega a ser um pouco assustador. 


Interessante também foi acompanhar as mulheres da vida de Don, e quando falo isso digo Megan/Sally/Betty. 

Esse trio realmente tem a capacidade de enlouquecer Don, mas dessa vez ele estava muito ocupado para se incomodar com elas. 

E se não bastassem as três, ainda tivemos o retorno do “creepy” Glen, agora com um bigodinho, mais “creepy” impossível, anos se passaram e o garoto não mudou em nada, seja por seus “awkward moments” ou pelos comentários desnecessários. 

E Fatty Betty, desculpem não consigo resistir, usando mais uma vez sua filha para tentar “ferir”, mesmo que tenha que usar momentos pessoais de sua. E nada como bons conselhos maternos: “Agora você é uma mulher e já pode ter filhos”. 

Motherhood you’re doing right! 

Agora é esperar e ver o que nos aguarda a season finale.

Alguns pontos a serem ressaltados:
  • Peggy que ficou desaparecida neste, nada mais normal já que saiu de SCDP, mas definitivamente fez falta.
  • Está na hora de Cooper participar mais do que ficar só lendo jornal o dia inteiro, pois suas participações e insight são sempre bem-vindos.
  • O que deu em Roger que de repente é homens dos contatos?
  • Joan como sócia, simplesmente owesome....

Talvez Você Curta

1 comentários

  1. Depois de todo um episódio tenso.. achei o final foi bem singelo e bonito!
    Episódio tenso porque, por mais que o Lane nunca tenha sido um personagem carismático, sua saída na série não deixa de ser sombria.. (suicídio ainda é uma das coisas mais chocantes que existe..)
    Adorei o comentário do Roger sobre o Don estar com sangue nos lábios! O Roger está com umas sacadas ótimas nessa temporada! (E o Cooper, nem precisa falar..sempre que ele abre a boca vem algo divertido ou interessante!)
    Achei muito bonito o final com a conversa do Don com o Glen, e o Don se vendo num momento péssimo e sem saídas vê que ainda pode dar alguma felicidade a alguém (que pensa estar tão ruim quanto ele!) e deixa Glen dirigir o carro dele..
    A música do final - como sempre - se encaixando perfeitamente na cena e com um final leve depois de um episódio tão tenso...

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe