Weeds 8x07: Unfreeze

quarta-feira, agosto 15, 2012


Uma pausa na história para acompanharmos o primeiro dia de trabalho dos Botwin.

Até sua prisão e a debandada de sua prole para a Dinamarca, Nancy era basicamente a única provedora da família, mas agora os tempos mudaram. Há despesas hospitalares a serem pagas e mais bocas a serem alimentadas de modo que já estava na hora de todo mundo ali mexer suas bundas preguiçosas, arregaçarem as mangas e colaborarem com pelo menos a conta de telefone.

Como foi dito da review anterior, Nancy descolou um serviço para ela e Silas em uma fábrica e distribuidora de maconha sintética. De início ela não havia se adaptado muito bem com os protocolos, formalidades e burocracia de vender o mesmo produto com o qual ela lidava de maneira ilegal, agora legalmente, já que morder o canudo da sua bebida gelada com a cabeça meio torta não funciona muito bem com as recepcionistas de hospital como funcionava com os homens de meia-idade em Agrestic. E quando nem mesmo muffins e gentileza geram resultado, sobra apenas agressividade e é justamente isso o que Nancy usa para obter êxito no seu primeiro dia de trabalho. Isso e transar com o chefe no estacionamento.

No departamento de “agricultura” dessa empresa, Silas tem um primeiro dia mais ameno com colegas de trabalho que variam entre o tipo muito-feliz-e-estranho e bastante-irritável-e-estranho. Na hora do almoço ele conhece uma garota que afirma conhecê-lo de algum lugar, porém nada sabemos sobre ela além do fato de que ela namora o cara que pertence ao segundo tipo dos novos colegas de trabalho. Enquanto fugia de Esteban, Silas finge que entra para a faculdade, conhece uma garota e acaba tendo que roubar o carro dela para continuar fugindo com a família, estão lembrados? Meu palpite, sem o menor embasamento além do “eu acho” – nem olhei no IMDB nem nada, juro! –, é que essa garota possa ser de lá.

Shane acabou de se formar policial, mas (para o desprezo de sua sogra) ainda não pode ser designado para nenhum distrito por conta da idade e acaba sendo contratado por um senhor que, pela cara, boa gente não é. Outro pequeno segmento do episódio foi o fim da fundação filantrópica fantasma de Doug logo quando, ironicamente, todos os demais já garantiram seu salário no fim do mês.

 E por último e mais importante, Andy agora é professor de uns pirralhos em uma escola judia e já é trolado com menos de cinco minutos de aula. Mas quando você pensa que as coisas irão continuar assim e que ele terá que aturar aqueles pentelhos desgraçados para comprar o leite de seu filho, DIGO-TE NÃO! Ele aplica a psicologia para pequenos trolls usando um discurso foda que, ao mesmo tempo, contém ensinamentos bíblicos e a clara mensagem de quem é que manda naquela sala, conquistando o respeito dos pivetes judeus. Simplesmente sensacional.

Só essa última parte já vale o episódio, mas ele foi bem batuta de um modo geral. Discordam? Têm outra teoria sobre quem é a garota misteriosa e provável interesse romântico do Silas? Sejam legais como o amigo Pseudo Intelectual e comentem a série comigo, só marcar uma reação já está valendo e custa só um clique. Se inspirem nos personagens de Weeds e mexam seus traseiros gordos. Custa nada, vai.

Talvez Você Curta

1 comentários

  1. Eu adorei esse episódio filler. Me agradou bastante. Se a série tivesse apresentado uns fillers assim entre a quarta e quinta temporada...

    E eu estou adorando essa fase mais madura do Andy. Espero que ele continue com a Jill. Aliás, estou até me preparando pra ver uns filmes com a Jennifer Jason Leigh. Estou adorando ela.

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe