(fdp) 1x04: O Time do Juiz

domingo, setembro 16, 2012

Onde se ganha o pão, não existe "seu time".
Com uma dinâmica bem ágil, (fdp) explora a sua trama da semana de modo com que os seus trinta minutos do episódio aparentam metade do propósito. Digo que esta é uma de suas qualidades levando em consideração que não nos precupamos em lutar contra o sono e muito menos a ceder ao um simples bocejo. Porém, em contrapartida esta mesma qualidade pode em episódios como este apresentar o efeito inverso da questão.

Veja que minha visão pode ser um tanto quanto contraditória, mas se levarmos ao pé da letra que personagens secundários (e interessantes) da série estão até aqui sendo pouco explorados, tudo pode fazer certo sentido. Juarez é a peça chave de (fdp) assim como seus sonhos e fantasias, mas isso nã significa que o padrão - caso os produtores já tenham definido um - tenha que ser único até o fim.

A partida de futebol que compreensivelmente ganha destaque na trama parece oscilar a cada episódio. Em "O time do juiz" ironicamente acompanhamos o time de árbitros serem "intimados" a apitar o jogo entre Juventus e Recreativo em uma partida da segunda divisão. Com isso alguns desafios surgem colocando em dúvida a honestidade de nossos personagens.

Como torcedor enrustido do Juventus, Juarez tem que lidar com toda a pressão deste fundamental jogo para o time. Facilitar a vitória do time significa colocar em perigo sua carreira visto que muitos descobriram qual seu time do coração. Por outro lado, a perda do Juventus levaria o time ao rebaixamento, encarando as piadas de uma terceira divisão.

Na tentativa de salvar o amigo, aquele mesmo personagem que roubou a cena no episódio passado tenta ao seu modo resolver o constrangimento da situação. Serjão que conquista a vaga de árbitro principal do jogo, ao contrário de seu amigo não hesita em facilitar a vida do Recreativo levando o time a vitória. O motivo? O time conta com um jogador com quem Serjão teve um envolvimento no passado.

Usar do humor como atributo para resolver suas história parece ter se firmado como uma das principais características da série. Assim como utilizar o gênero em textos e em participações especiais a cada episódio. A atriz e apresentadora Chris Couto foi a convidada da semana dando vida a Gilda Marques, uma comentarista que narra uma novela a cada comentário. A intenção faz sentido a proposta do show e em alguns momentos a personagem até conseguiu ser um tanto engraçada.

Por outro lado a tentativa de lançar ao público um belo drama familiar é falha. Neste ponto Manu se entregou totalmente a Rui e aos joguinhos do advogado. Todo o ciume de Juarez e suas atitudes na tentativa de estar presente na vida de seu filho perdem sua consistência quando batido de frente com Manuela, personagem que a cada semana consegue ser mais irritante possível.

@cavalcanteartur

Talvez Você Curta

0 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe