Weeds 8x11: God Willing and the Creek Don’t Rise

quinta-feira, setembro 13, 2012


Episódios nº 100 são raramente decepcionantes, principalmente quando investem no fator nostalgia e ao mesmo tempo conseguem trazer algo de novo à série. Foi exatamente isso o que Weeds fez.

A primeira nostalgia foi o retorno da primeira abertura, indicando a volta dos personagens (na verdade apenas três deles) ao Agrestic que agora é Regrestic, mas que um dia também foi Majestic. As pessoas continuam as mesmas: a vizinha maluca continua maluca, Lupita continua xingando Nancy em espanhol e Conrad (sem Nancy e Heylia) arranjou outra mulher para dizê-lo o que fazer.

O motivo da visita, ao menos para Nancy e Silas, foi pegar umas sementes de MILF e propor uma parceria a Conrad em um novo negócio de maconha legal. Enquanto Nancy lida com todo o trabalho sozinha, Silas acaba topando com Megan, sua primeira namorada. Foi legal porque me fez lembrar um época que eu ainda me importava com Silas, mas no fundo eu não me importo mesmo se ele reencontrou seu grande amor e que eles irão viver juntos felizes para sempre.

Andy largou a esposa e pegou carona com a cunhada e o sobrinho a fim de rever Yeal, só que a moça não fazia ideia de quem ele era. Desolado, Andy passa o dia inteiro gritando impropérios e afugentando jovens judeus da escola. “Outro momento de idiotização supostamente cômica do personagem”, pensei e foi esperando por mais cenas assim que fui pego de surpresa por aquele final, mas vou deixar isso mais para frente.

Na costa leste, Doug está deprimido porque sua “família da vida real”, os Botwin, constantemente parte em suas jornadas particulares e o deixa como babá de uma criança mexicana que ninguém sabe onde está. Mas ei, se a vida está chata e a casa está cheia de desabrigados com distúrbios psicológicos, por que não fundar uma religião? Melhor do que Shane que passou o episódio inteiro tentando conquistar a confiança de alguém que ele já achava ter conquistado, para no fim – adivinha? – conquistá-la de vez.

De volta ao Regrestic, Nancy precisa fazer um acordo com Guillermo para poder plantar na região. Ela consegue, viva Nancy, tem piadinha sobre o que é e o que não é reboot com filmes nerds, só que não foi nada disso que fez o episódio 100 ter sido tão especial.

Eu não tenho palavras para descrever o quão sensacional foi a cena final. Todo o processo de amadurecimento de Andy culminou naquilo, a discussão, o sexo violento e o ponto final. Mas é claro que vai voltar, ele sempre volta, mas isso não tira nenhum um pouco a força do momento, pois ele e Nancy precisavam daquilo, quando ele voltar as coisas não serão mais as mesmas. Sem falar que foram as melhores interpretações de Mary-Louise Parker e Justin Kirk em muito tempo.

Agora é esperar pelo fim. Ele está próximo e parece promissor.

Talvez Você Curta

2 comentários

  1. Estava com saudades do Guilhermo! Sempre gostei do "Blanca"...

    Conrad arranjando outra mulher pra mandar nele foi engraçado. Se Nancy tivesse chegado 1 dia antes, duvido que ia rolar o casório!

    Nem me lembrava mais da surda. Who?? Desnecessário!

    Ainda não decidi se gostei da cena final.... Será que o Andy será menos capacho? Poucos episódios para conferir.

    E qria mto ver novamente a Célia (impossível) e a Helya (quem sabe?)

    ResponderExcluir
  2. "Ésta es la mujer que me robó la juventud." Valeu o episódio inteiro.

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe