30 Rock 7x01/02: The Beginning of the End/Governor Dunston

quinta-feira, outubro 18, 2012



30 Rock de volta para sua última temporada de nonsenses.


Precisaram ser finalizados para que 30 Rock começasse bem sua temporada. Depois de alguns anos instáveis, os dois primeiros episódios de 30 Rock mostraram o que a série tem de melhor para oferecer e ainda conseguimos presenciar um desenvolvimento de personagem que ninguém via acontecendo.

A Premiere foi muito boa. Para começar, a storyline do Jack de afundar a NBC é a melhor de todos os tempos. Finalmente passamos daquele momento de fazer sofás e brigar com a filha do dono, Jack quer atacar a NBC por dentro para conseguir se livrar da Kabletown. Adoro que Liz Lemon achava que esse plano já estava em andamento desde o início da série deles, porque realmente, a NBC anda se perdendo bastante nessa última década.

O mais irritante, porém, continua sendo Hazel. Ela serve como um ótimo alívio cômico, mas não consegue segurar um plot sozinha, nem mesmo com Tracy no meio. Kenneth é aquele que deveria sempre ter um plot melhor, porque até hoje é o personagem mais desvalorizado da série inteira.

Tanto Liz quanto Jack estão crescendo. No primeiro episódio, Jack comentou que precisava logo fazer sua carreira melhorar, uma vez que até hoje não é CEO de nada. Ou seja, o tempo está se esgotando e precisam correr para conseguir se suceder na vida, da mesma forma que Liz precisa ficar grávida antes de seus óvulos congelarem para sempre.

Mas o destaque do episódio mesmo foi para J.Mo, que obviamente é a única pessoa que pode ser sua madrinha. Não havia dúvidas de que Liz seria convidada, mas até a melhor amiga de Jenna não aguenta as extravagâncias da loira. É tão normal ver Jenna alterada que, quando ela finalmente surta, senti que estava vendo um filme de terror.

O segundo episódio trouxe as participações super especiais de Matthew Broderick, que voltou por alguns segundos, Bryan Cranston como o novo papai de Kenneth e Catherine O’Hara e claro, o sempre incrível James Marsden, como Criss.

Logo de cara, sabia que daria muitas risadas com Liz sendo pressionada a transar. Vendo-a ficar brava por ter transado sem estar ovulando foi bem divertido. E claro que todo esse plot e essa necessária organização por Liz Lemon gerou a cena mais genial da série em muito tempo: como sensualizar dentro de uma loja de materiais de escritórios, rolando até a referência óbvia à Ghost, só que bem mais divertida.

O episódio em si também trouxe grande desenvolvimento para Jack e Liz, que tiveram que decidir entre sua vida pessoal e sua preferência política. Perceba que os dois não estavam querendo dar o braço a torcer, mas os dois acabaram entrando em um acordo. O mais legal foi que Jack fez algo bonito para a amiga, deixando-a exibir os sketches do novo concorrente à vice-presidente para deixar Liz conseguir continuar sua organização e consequentemente, continuar suas sessões de love making com Criss.  

Talvez Você Curta

0 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe