American Horror Story 2x01: Welcome to Briarcliff

quinta-feira, outubro 18, 2012


Que Deus abençoe o corpinho ungido e sensual de Jessica Lange.

American Horror Story foi um dos hits do verão ano passado, a série criada por Ryan Murphy e Brad Falchuk volta para sua segunda temporada – OPA!! – Acontece que não é temporadas, mas sim minissérie! Sim, AHS decidiu ser uma minissérie, e não uma série como anunciado inicialmente, então assim fica confuso se estamos na segunda temporada, ou na segunda parte, ou em outra série Diferente já que ela foi anunciada como “American Horror Story: Asylum”, confesso que essas coisas da TV americana me deixam muito confuso, não bastava a ABC Family com seus calendários loucos agora temos isso? Enfim, ara não ficar ainda mais confuso e perdido do que já, normalmente, sou, decido que AHS é uma série, disfarçada de Minissérie apenas para ganhar prêmios e estamos na segunda temporada. Todos concordam?

A segunda temporada dessa série que aqueceu nossos coração (e outras partes de nosso corpo) ano passado volta prometendo muita mais sensualidade do que ano passado. Afinal, temos Freiras, Padres, Cientistas Malucos, Alienígenas, Ninfomaníacas, Evan Peters e muito mais, tudo isso para satisfazer os desejos sexuais das mentes mais obscuras do planeta: obviamente as de Titia Murphy e Falchuk. E como se não bastasse tudo isso, as vadias ainda conseguiram participação de Adam Levine, do Maroon 5 (She Wiiiiilll Be Loved) e (THIS IS) The Voice.

Claro que a estreia não passou despercebida, afinal, foram no mínimo 50 teasers de 15 segundos liberados diariamente desde que a temporada estrou em produção, seis meses atrás. Exageros a parte, esperava bastante da volta de AHS, ok nem tanto assim, quase me esqueci de “comprar” meu episódio no iTunes. Mas ainda assim fui lá, feliz e contente ver o episódio, porque tem Zachzinho, e onde Zachzinho está, eu estou também... Claro, tirando o fato que de ZACHARY QUINTO NÃO APARECEU NA PORRA DO EPISÓDIO! Somente eu fiquei revoltadíssimo com isso? O nome dele ser o primeiro a aparecer na abertura também contribuiu para o fator “Raiva do Demônio From Hell Level 8”.

Porém, nem ter sido enganado por Ryan Murphy me fez gostar menos desse episódio. Foi tudo o que eu esperava que fosse: Muito ruim! Mas mesmo  sendo ruim, foi bom, já que AHS tem esse ar trash, mas não totalmente trash, um trash psicológico semi- escatológico que mesmo ruim te faz querer continuar assistindo e vendo mais... Algumas pessoas chamas isso de Gulty Pleasure, outras de Nicki Minaj.

Verdade seja dita, não achei uma trama chata, foi tudo muito interessante e intrigante. Começando pela de Evan Peters, o psicopata fofinho da temporada passada volta sendo não apenas (novamente) um psicopata, mas como também sendo ABUSADO por alienígenas! Podem até ter achado que ninguém veria esta cena que pode chegar a ser um dos marcos televisivos, onde temos um jovem sendo abusado sexualmente por uma raça alienígena não identificada. Se você piscou e perdeu, a prova está aqui:


Chocado? Eu também, mas ficarei mais chocado, contudo se no final de tudo, Evan Peters ser realmente o Bloody Face, este inclusive me lembra um pouco Leatherface, não? Com toda a coisa de mascara de peles e tals. Mas para esse cargo aposto mais em DuVall, não sei porque, mas sinto que ela poderia ser a verdadeira candidata a este cargo. Falando em Duvall fiquei triste pela pouca presença que ela teve no episódio, sou fã da atriz e tudo o que ela fez no episódio foi chorar e dar uns pegas na Sarah Paulson, essa coisa linda que volta para nos fazer feliz e desta vez com muito mais destaque como Lana Winters, a repórter Lésbica que acaba se tornando inimiga de Jessicazinha Lange e é presa no hospício no qual toda a trama da série se passa.

Na verdade tudo começa quando Kit Walker/Evan Peters/ Bloody Face chega ao Hospício onde a série se passa, após ter sido sequestrado e abusado pelos ETs (Katy Perry mandou beijos), tudo isso depois de supostamente ter matado a esposa, Cadie de Skins US - Depois disso vamos voltar a fingir que essa série nunca aconteceu – e que não deve voltar a não ser nos flashbacks em branco onde Kit se lembra dos ETs.

Ok, uma pequena pausa para falar com o quanto fiquei surpreso com isso. De verdade, tinha a mínima noção de ideia de que iriamos ter ETs! MALDITOS ETS! Na série! De verdade, fiquei totalmente chocado e entusiasmado com isso, inicialmente achei que era apenas o personagem estando realmente louco, mas quando o Cientista maluco retirou o chip que virou uma aranha e saiu aranhando por ai. Como isso vai se desenrolar, não sei, e sequer consigo pensar em como isso pode ser desenvolvido. Isso é Ryam Murphy fodendo com a sua mente desde Nip/Tuck...

Mas Lana e Kit não são os únicos pacientes do Hospício, temos a LINDA Chloë Sevigny que mesmo sem a benga balançando consegue sensualizar muito como uma ninfomaníaca que já nos anos 60 aderiu à moda lançada em 2012 por Avril Lavigne. A personagem é bem interessante e se for tão desequilibrada, louca e imprevisível como se mostrou nesse primeiro episódio, posso gostar mais dela. Outro residente do Hospicio é um homem qualquer que taca cocô na cara dos outros. É, esta é a coisa mais interessante que posso dizer sobre ele. Também tem uma mocinha bonitinha e ET (mas não de extraterreste) que fica amiguinha de Kit, mas no final ela deve ser uma louca assassina desequilibrada e com dupla personalidade e síndrome de borderline, ou talvez ela seja boazinha mesmo, temos que esperar para saber.

E claro, que não cometeria o pecado de sequer pensar em terminar esta review sem falar da musa, da bela, da sensual, inteligente, divertida, foda, sexy, gostosa, linda, e tudo o que há de bom: Jessica Lange! Anteriormente disse que American Horror Story era uma série para satisfazer os desejos sexuais de Ryan Murphy, mas não é apenas para isso, é também para conseguir quinhentos prêmios para essa poota da Jessica Lange! Foi inacreditável, essa quenga foi indicada em TODAS as categorias de drama/minissérie que vi e ganhou várias delas, e agora com o formato de minissérie, sem duvidas ela ganhará mais.

Dessa vez ela vem toda trabalhada no preto, como Irmã Jude, diretora (ou alguma outra coisa assim) do Hospício, vem toda megaevil, mas na verdade combate o megaevil da série, o Cientista Maluco, ainda por cima aterroriza freiras inocentes e puras e diva esfregando seu lindo corpinho da face de Joseph Fiennes com sua camisola vermelho sedução. As cenas dos dois foram super bem feitas e intrigantes, porque me parece que o padre sabe da paixonitezinha dela, mas quer se aproveitar da “moça” de outra forma.

E claro que o highlight do episódio foi ver Adam Levine tendo o braço destroçado por algum monstro estranho! Também fiquei surpreso por ver ele fazendo um personagem nos dias atuais, já que em uma das fotos promocionais ele se encontrava junto dos outros personagens no hospício, mas já que tivemos Alienigenas transexuais da Transilvânia Transexual, porque não podemos dar um Time Warp e levar um personagem para o passado, certo? Afinal, sinto que nesta temporada tudo pode acontecer! E se não der certo, basta dizer ser a imaginação de um personagem qualquer, estamos em um hospício no fim das contas!

E com um episódio incrível – mesmo sem Zachary Quinto – American Horror Story volta, sensualizando muito, e mostrando que ainda tem muita força e poder para traumatizar com situações escatologicamente ofensivas e divertidas.

Talvez Você Curta

12 comentários

  1. Todas as series do Ryan Murphy são feitas pra mim. Naum consigo naum gostar de nenhuma. Talvez por ser meio pervertido e meio louco como ele. Curti muito o episodio.

    ResponderExcluir
  2. Review hilária. Vo ler sempre aqui pqp kkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  3. não vi a primeira temporada de AHS, e não tenho tempo agora de ver, será que vou perder muita coisa se começar a acompanhar a partir desta "segunda temporada"?

    ResponderExcluir
  4. Três coisa eu aprendi com esse episódio de AHS:

    1) NUNCA, em hipótese alguma, vá xeretar um manicômio a noite ou de dia!!!!

    2) EVITE, ser gay no anos 60!!

    3) Se vc estiver num corredor masculino de um hospício e um louco disser 'vem cá que eu fiz uma bagunça', NÃO VÁ, porque pode dar merda (às vezes literalmente)!!!

    PS: Parabéns Clea DuVall, depois de passar anos conhecida por fazer personagens instáveis, vem Ryan Murphy e dá a ela o personagem mais equilibrado de toda a série. OU SERÁ QUE NÃO?!!!

    ResponderExcluir
  5. Lara, de jeito nenhum, cada temporada tem uma trama separada, essa tem nada a ver com a primeira e tals, apenas alguns atores, mas a história é totalmente diferente, pode começar a ver sem medo!

    ResponderExcluir
  6. Eu amei AHS, desde a primeira temporada...mas aliens? really? perdi um pouco do tesão...

    ResponderExcluir
  7. PFVR, FOTOSSÍNTESES DESSA TEMPORADA!

    ResponderExcluir
  8. Isso que o Leo Gravena disse.

    Massssss recomendo mto vc dar uma olhada na 1a temporada. MTO boa!

    ResponderExcluir
  9. Blz então, vou seguir vendo a 2ª temp. e quanto tiver tempo dou uma olhada na 1ª. Valeu Leo!! e a propósito... ótima review!!

    ResponderExcluir
  10. Valeu AnaMaria, quando tiver tempo volto pra primeira temporada.

    ResponderExcluir
  11. AHS é um dos horror melhor que eu vi, eu gosto de jogar muito com o terror psicológico. Eu prometo que vou apanhar com as temporadas. Em 2016 um filme foi lançado um bom filme chamado Ressurreição/Risen, o protagonista é Joseph Fiennes, eu recomendo. O filme fala de Jesus como um homem julgado por um soldado do Império Romano (Não é um típico filme da bíblia), e acabar com a possibilidade de humano e celestial sendo deixada em aberto. Espero que gostem.

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe