Doctor Who 7x05 (Mid-Season Finale): The Angels Take Manhattan

quarta-feira, outubro 03, 2012

Raggedy man...GOODBYE!

Sem palavras. É quase impossível não ter nostalgia nesse episódio. Lembrando de tudo o que Amy e Rory passaram, a pequena Amelia Pond esperando 12 anos pelo Doctor, o simples enfermeiro Rory que virou centurion, carregando a Pandorica com Amy dentro, o eterno episódio The Girl Who Waited, meu Deus são tantos momentos, que vou te falar, os Ponds foram incríveis, amadureceram demais, assim como as atuações de Karen Gillan, Arthur Darvill e claro, Matt Smith. Não ver esses três nomes nas aberturas seguintes vai ser difícil lidar.
Bye Bye Ponds, A Despedida dos Ponds ou Blink 2.0, todas as expectativas. Seria melhor "The Angels Take Ponds". Essa mid-season finale foi assim: fantástico, misterioso, excepcional, emocionante, brilhante, enfim. O roteiro foi tudo isso, muito mais do que eu imaginava. Sinceramente, eu não sei se sou a pessoa certa pra escrever essa review, medo com as palavras, SEM PALAVRAS, mas vou tentar.

O episódio mais esperado do ano tinha que ter Weeping Angels, right? Já falei aqui antes que odeio os Daleks, pois além de serem insuportáveis, aparecem em quase todas as temporadas. Já os Anjos Lamentadores, só no Blink, The Time of Angels, Flesh and Stone e um  pouco no The God Complex. Olha se realmente eles aparecessem em todas as temporadas, não seria incomodo nenhum, todo episódio dos anjos são incríveis, misteriosos e proporcionam um pouco de terror, afinal são os inimigos do Doctor que mais nos deixam com corações acelerados.

No final de Blink, o Doctor (Tennant) fala pra gente desconfiar de todas as estátuas e não piscar. Todas elas podem ser anjos. E realmente nesse 7x05, todas as estátuas e monumentos eram anjos, até a Estátua da Liberdade, o que achei incrivelmente AWESOME, principalmente ela parada ali na altura do prédio com boca e dentes afiados. A mitologia dos weeping angels foi um pouco mais complexa, envolvendo várias teorias sobre tempos e paradóxos, afinal eles tomaram Nova York inteira, estavam bem mais assustadores que em Blink. Fiquei arrepiado com os bebês anjos, sinceramente. E COMO AQUELE DIABO CONSEGUIU APAGAR A VELA?

Rory desde o ínicio da season 5 era muito bobão e só foi tornar-se importante em Amy's Choice. Quase todo mundo enjoou do casal por causa da quantidade de drama e mimimi, principalmente na Season 6. Amy e Rory foram bem emotivos, causaram brigas, tiveram lindos momentos.

Acredito que o ponto de The Angels Take Manhattan foi o assassinato à Rory, a única coisa que podia levar Amy ao desespero, e querendo morrer junto, afinal, até onde vai o amor? Se você ama a pessoa de verdade, vai até o fim, CQC (hehe). No final Amy escolhe Rory, depois de tudo. A garota que esperou pelo Doctor, foi a mesma que não conseguiu ver seu amor indo embora. Esse gran finale foi mais que perfeito. Só achei estranho ele parar pra olhar aquela lápide uns 2 metros depois dela, como se o ator tivesse esquecido o que tinha que fazer. Como foi possível ainda ter sobrevivido um anjo depois daquele paradóxo? Tinha que ter mais um demônio pra infernizar né? E PORQUE O DIABO DO RORY OLHOU A LÁPIDE?

A história do livro de Melody Pond foi incrivel. Pareceu aquele velho diário que River Song escreveu sobre o futuro. Preciso falar que tava com saudades? Acho que não. Temo o dia da despedida de River. "Todos sabem" que ela morre no 4x09- Forest of Dead (spoilers? Problema de quem não acompanhou do início, BOOM). Mas quero chegar naquele diálogo, vai ser a cena mas bonita do mundo, até mais que esse dos Ponds. Enfim, O LIVRINHO...Idéia muito inteligente, de acordo com a leitura aconteceria de verdade, só podia ser o Muffucked. Pior era o capítulo final, Amelia's Last Farewell.

A tortura mesmo foi o Doctor lendo o epílogo escrito por Amy. Steven Moffat parece que fechou a história de Amelia Pond perfeitamente, com flashback de The Eleventh Hour, quem não fica emocionado? Não sei vocês, mas ficou meio confuso o pedido de Amy, dizendo para alimentar aquela garotinha ruiva linda de morrer, com grandes aventuras, sendo que assim ele poderia reencontrar com Amy (e Rory) e reviver tudo de novo, afinal às vezes, o tempo pode ser reescrito. Porém, ficaria repetido (ou não) e infelizmente não há mais tempo para os Ponds na série.

Não sei se a River é forte demais, ou esse é o jeito dela de encarar o luto da morte de seus pais. Mas ela está certa, Amy está certa, o Doctor não pode ficar sozinho. River ao lado dele será ótimo nos próximos episódios. E além disso, Jenna-Louise Coleman retornará como..hum, a ressureição de Oswin? Sei lá, ancestral dela, prima, tia, sei lá, uma nova personagem, mas de fato, seu rosto será de Oswin, a linda garota transformada em Dalek que por um bom tempo fez os Daleks esqueceram do Doctor. Well, Doctor Who?

See you whovians. And Goodbye, Ponds.
Nos vemos no especial de natal intitulado "The Snowman".

Nota do Episódio: 10

E Mais:
- Citei o 4x09 pois queria reviver a despedida da River Song. Ela disse que antes de ter parado na biblioteca, o Doctor do futuro olhou pra ela e chorou. Agora não sei se esta cena está por vir, ou só depois de muito tempo e com a regeneração para o 12th Doctor. Esse sim será um episódio inesquecível.

@ipcs_

Talvez Você Curta

11 comentários

  1. Acho que a gente não viu o mesmo episódio, pois não é possível vc não ter visto os furos na história....senso crítico faz bem, experimenta da próxima vez...

    ResponderExcluir
  2. Sabe, eu aprendi que séries não são complexas. Elas foram feitas para nos divertir. FIcar olhando só os furos, os erros, aquilo que a gente não concorda, pra mim, não é diversão. A partir do momento que eu vir um episódio de qualquer serie que seja, e eu ficar olhando apenas seus defeitos, eu paro de assistir. Nada 'artificial' pode ser 100%perfeito, mas eles fazem o melhor que podem... Ah, e a review é feita de acordo com a opinião de quem a escreveu... Se essa é a opinião dele, faz bem respeitar, experimenta da próxima vez....

    ResponderExcluir
  3. Julia, Doctor Who é uma série infantil. Apesar de ter 50 anos na bagagem, a abordagem sempre foi essa. Além do mais, nenhuma série será perfeita do início ao fim. Considero DW uma das melhores ficções científicas da TV atual e não exigo um nível de complexidade enorme, levando em conta também as limitações técnicas da BBC. É isso que me diverte e me emociona. Tente isso! Outra coisa: se todo mundo tivesse a mesma opinião, o mundo seria chato. Itamy, parabéns. Sua review está ótima! Também não saberia o que escrever sobre este episódio. Foi um soco no estômago!

    ResponderExcluir
  4. ops: 50 anos a serem completados em 2013...

    ResponderExcluir
  5. furo na história vi sim mas eu não queria criticar negativamente esse lindo episódio. That's all. =]

    ResponderExcluir
  6. Oi Pryh, obrigado msmo! Doctor Who é com certeza um amor de série. Obrigado por sua opinião ;]

    ResponderExcluir
  7. Concordo em todas as palavras. Obrigado Rayssa ;D

    ResponderExcluir
  8. Nossa é só uma série infantil e blábláblá.... por que se incomodar tanto se alguém a critica???

    ResponderExcluir
  9. Eu amei desde a primeira vez que me foi apresentada a serie doctor e sinto muito n poder assistir pois na tv cultura noa passa + desde 2011 aqui em cuiaba♥♡

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe