Grey’s Anatomy 9x03: Love The One You’re With

sábado, outubro 20, 2012



Seria April Kepner a nova Ângela Bismarck?


Apesar da queda do avião ainda ser pauta no Seattle Grace, podemos dizer que aos poucos o desastre vai sendo deixado para trás e, assim, Greys pode voltar a ser a série que era antes do ocorrido. Explorando ainda as consequências da temporada passada, a série consegue entregar um bom episódio, equilibrando muito bem todas as tramas e dando destaque para a maravilhosa Sara Ramirez, que vem roubando a temporada para si.  Quando foi mesmo que a Caliie ficou tão legal? É engraçado lembrar que todo mundo torcia o nariz para a Dra. Torres quando ela começou a se envolver com George, mas aos poucos ela foi ganhando força, até se tornar uma das melhores personagens da série. Se a cada dia gosto mais de Callie, que consegue ser forte, determinada, dramática, sexy, engraçada e carismática ao mesmo tempo, o fenômeno acontece ao contrário com Arizona, que, por incrível que pareça consegue ficar mais chata a cada episódio. Se na temporada passada ela não incomodou muito por ter destaques pontuais na série, todo o drama da perda da perna vem rendendo bons momentos para a série mas aumentando ainda mais a minha falta de empatia com a personagem. Vai demorar muito para ela sair da série e ir treinar para as paraolimpíadas. Arizona vem sendo egoísta sem entender que sua mulher também está passando por tudo aquilo junto com ela e que às vezes decisões difíceis precisam ser tomadas. É curioso perceber que Callie vem exercendo o papel de mãe de Arizona sem se importar em fazer o papel de vilã quando necessário. Coitada, a filha dela tinha 3 pais e de repente é ela quem tem duas filhas e ninguém para ajudá-la.

Apesar da obviedade do desfecho, todo o plot do acordo foi muito bem trabalhado. Só eu gostaria de ver a boa esposa defendo Meredith e seus amigos no tribunal? Mesmo gostando de tudo, eu não consigo aceitar muito o fato de alguém não fazer o acordo, uma vez que claramente se trata de muito dinheiro, sem dizer que é óbvio que a companhia aérea iria trabalhar para descobrir as razões do acidente e evitá-los no futuro independentemente de uma ação judicial. O ponto forte desta trama se dá ao fato do roteiro relacionar a responsabilidade do desastre com a profissão de médico, sem vilanizar os responsáveis e aceitando que erros acontecem em todas as profissões.

Aos poucos, Cristina começa a enxergar as vantagens do seu novo emprego e aprendendo técnicas novas com alguns dinossauros da cirurgia. A pergunta que fica é quanto tempo vai levar para que ela jogue tudo para o alto e volte para Seattle, uma vez que a gente sabe que em algum momento isto vai ocorrer. Yang também começa a aceitar que o seu casamento com Owen acabou e que eles não podem agir como se isto não tivesse acontecido. Arrisco prever um romance dela com o seu chefe antes de sua decisão de voltar para o seu antigo emprego e marido também. O isolamento de Cristina dos outros personagens, por mais que seja combatido com o Skype, a longo prazo pode enfraquecê-la, o que me dá ainda mais certeza que sua volta é essencial para o bom aproveitamento da personagem, que vem sendo o destaque dramático há muitas temporadas.

Os novos internos continuam avulsos e com pouco carisma, vai ser difícil acharmos uma nova Lexie em Jo, já o Smash, de Friday Night Lights, (eu não faço a mínima ideia de qual o nome dele) continua a ser um mero figurante. Jo pode até ter potencial, mas fico um pouco receoso ao perceber que ela provavelmente se envolverá com o Karev. O cara realmente precisa de uma história de verdade para chamar de sua, já que ele ainda não superou o abandono de Izzie e merece um pouco mais de destaque. Shonda adora brincar com o personagem, fazendo-o oscilar de forma coerente entre bad boy e bom moço, o que me agrada bastante. Ri muito da Callie concluindo que dormir com o Karev não traz nada de bom para ninguém e que depois que fez isso passou a preferir as mulheres.

A Dra. Bailey continua sendo uma idiota completa, que agora fica implicando com a folga dos novos atendentes. O momento em que ela saiu colando post it por aí até foi engraçadinho, mas não vejo a hora que ela morra ou volte a ser a Bailey de antes. Apesar disto, o desfecho da história foi realmente muito bom com o Chief sendo Mestre dos Magos mais uma vez e explicando para ela o que estava ocorrendo em sua vida.

O retorno de April me soou um pouco confuso, já que eu não consegui entender o que ela é dentro do hospital (ainda residente ou atendente?) e muito menos qual a especialização da moça. Em alguns momentos, fiquei com a impressão de que nem os roteiristas sabem e que não conseguem fundamentar a volta de uma médica que já foi demitida duas vezes e tem em seu currículo a criação de porcos. Mas quem está ligando para isto, quando a menina me fala de “revirginazação” através de rezas brabas ao Jesus Justin Timbarlake? Gente, será que a April vai pegar umas dicas de cirurgia de reconstituição do hímen com a Ângela Bismarck? Rachei de rir com este plot. Shonda sua cara de pau, não acredito na capacidade de inventar um plot tão ridículo e vendê-lo com tanta naturalidade como se fosse normal. O bom é que em matéria de cretinice Shonda mandou bem e conseguiu transformar a peregrinação espiritual de April em algo cômico. Me sinto um babaca ao me importar com a personagem e com o seu relacionamento com o Avery depois de coisas como esta, mas realmente gostei dessa caralhada toda e torço pelo casal.

Em resumo, “Love The One You’re With” consegue ser um bom episódio e mostra a força da série no caminho rumo à redenção, mas este caminho ainda é longo para que Grey’s Anatomy volte a ser tão elogiada como na temporada passada.

Talvez Você Curta

1 comentários

  1. Não consegui achar bom. Um episódio que dá importância ao casinho ridículo de Avery e Kepner não pode ser bom. Além disso, teve essa interna nova que eu já odeio aparecendo demais, e teve a Cristina começando a se adaptar naquele novo hospital mala. Ela tem que voltar pra Seattle já, pra dividir o posto de medusa com a Mer. E também me incomoda demais o fato da Kepner, que já cometeu um erro médico fatal, perdeu nos exames de especialização, e foi demitida duas vezes, aparecer como atendente (ela tava de scrub azul escuro). Se eu fosse paciente num hospital desses ia começar a pedir o certificado de boards dos médicos. Deus me defenda de ser atendida pela April! A única coisa boa foi a Callie, que está cada dia mais legal. E como a Sara Ramirez está linda! Quando ela aparece, a tela se enche. Se eu curtisse a fruta, ela seria top, kkkkkkkkkkkkk!

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe