Parenthood 4x04/05: The Talk/There's Something I Need to Tell You

sexta-feira, outubro 12, 2012


Parenthood, aquela série que simplesmente não para de melhorar.

Comecei a acompanhar Parenthood quando ela estreiou, em janeiro ou fevereiro de 2010. Havia dois motivos: Lauren Graham e Peter Krause. Desnecessário dizer que eles fizeram parte de duas séries que amo de paixão e considero as melhores até hoje, Gilmore Girls e Six Feet Under. Logo no piloto, fiquei totalmente encantado com a família inteira, sem nenhuma exceção, o que significa uma só coisa: essa delícia vai continuar recebendo meus elogios até o final. Esses dois últimos episódios foram simplesmente deliciosos e emocionantes, então vamos lá comentar.

Os melhores dramas sempre acontecem com Jasmine e Crosby, por serem recém-casados e pelo último estar aprendendo ainda como se comportar como um pai, sem contar que ele ainda está descobrindo tudo o que esse papel demanda. Tudo é sempre tão realista. Há coisas que Jabbar vai passar e Crosby não vai poder se conectar, por não ser negro, por exemplo. É triste, porque todo pai sente que sua única função é proteger seu filho, mas há algumas coisas que não dá para controlar. Fiquei extremamente emocionado pela simplicidade e honestidade que Jasmine tratou o assunto. Foi bem tocante e foi extremamente necessário.

Só o fato de Max ter ido e falado com todas as outras crianças para conseguir as assinaturas, foi extremamente gratificante para Kristina. Não há dúvidas de que o menino está evoluindo e consegue agora lidar melhor com suas limitações. Quer ele ganhe ou não, já fez algo que está longe de sua zona de conforto e é isso que conta, no final das contas.
Porém, entendo o que Adam estava tentando fazer, não pensar no futuro porque o futuro está completamente embaçado, não há nenhuma certeza, ele não quer esperar para que a cirurgia aconteça. Kristina, por outro lado, não quer perder a luta e não vai se deixar levar por causa de sua condição.

Já tínhamos visto Julia ter sua ‘conexão’ com o novo filho, mas já estava na hora de Joel. Ele não se deu bem no baseball de primeira, mas só pelo fato de Victor ir atrás do pai para mostrar que está tentando foi demais. Pena que Julia descobriu que você não consegue ter tudo, quando quer. Pensava mesmo que ou ela seria despedida ou ela iria embora. Estava apostando mais na segunda opção porque é mais emocionante.

Gostei que Zeek finalmente encontrou seu lugar no mundo. Além do mais, Ryan provavelmente é o novo interesse romântico de Amber, que está desesperadamente precisando de uma storyline convincente. Sem contar que Zeek foi super safadinho, usando o nome do cara para colocar mais pressão no treinador colocar Victor no jogo. Simplesmente muito inteligente. Toda a cena do jogo foi simplesmente divertida e especial, todo mundo louco nas arquibancadas, e de repente só vejo Sarah tirando uma foto: indício de quem estará na cama dela na próxima noite.

Já faz alguns episódios que Hank está encantando Sarah. Adoro que ela praticamente o odiava no começo, mas Hank está fazendo de tudo para fazer Sarah cair de amor por ele: Antes, era distante, agora, até apresenta a filha para Lorelai e ainda ficam se conectando com comentários sobre The Hunger Games. O momento em que eles se beijaram porém foi bem embaraçoso, principalmente porque Hank se recusava a falar sobre isso depois. Mas, perceba que Sarah está tentando acelerar sua relação com Mark porque ela não quer lidar com seus verdadeiros sentimentos.

Continuam acertando no ritmo ao tratarem o câncer da Kristina. Vão adicionando novos e novos elementos todo momento, mas eles usam o tempo que acham necessário para ter mais impacto. A primeira coisa que pensei quando Kristina teve seu diagnóstico foi: E HADDIE?

Finalmente tivemos a resposta. Realmente é difícil conseguir se concentrar nos estudos quando sua mãe está com câncer, e o pior mesmo é a distância o sentimento de impossibilidade de não poder fazer nada por estar tão longe. Porém, mesmo Adam tentando segurar as pontas (a atuação de Peter Krause está impecável), Haddie precisa estar com sua mãe em um momento tão sensível.

Um ótimo trabalho do diretor, Jason Katims, que obviamente pensou muito para chocar ao máximo com aquela cena final. Ao focar nas reações da família do que em Kristina, fez com que o momento elevasse muito o nível para um drama. As próximas séries drama que vierem após Parenthood possuem um GIGANTE desafio: conseguir ser tão realista, emocionante e coerente igual a precedente. Digo com todo o meu conhecimento que Parenthood é um dos melhores dramas familiares que já passaram pela minha vida. Simples assim.  

Talvez Você Curta

3 comentários

  1. Antes, era distante, agora, até apresenta a filha para Lorelai .....

    ResponderExcluir
  2. Esse episódio foi lindo, aliás todos foram até agora. Que continuem assim.
    Pensava que a Haddie só iria aparecer no 6º episódio, fiquei muito feliz em vê-la. Não tem como focar nos estudos sabendo que sua mãe está com câncer e que você está longe.Falando nisso, a cena final foi ótima. Gosto que a série não enrola e que tudo acontece em seu momento.
    Bom...já que Ryan vai ser o novo interesse de Amber, tomara que de certo. Torço muito por ela.
    Amei a cena do jogo, é tão lindo ver todos reunidos, sem falar de Zeek sendo Zeek . kkkkkk

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe