The Mob Doctor 1x03: Protect and Serve

quinta-feira, outubro 04, 2012


Escolhas são difíceis. E, às vezes, nós escolhemos a opção errada. E então vem o arrependimento e nos faz querer voltar atrás.
Senti mais um leve avanço essa semana em The Mob Doctor. O ritmo segue suavemente, os dramas estão sendo mais trabalhados. Vimos alguns detalhes um pouco previsíveis, mais ainda assim interessantes. Estou aprendendo a ver através das entrelinhas da série e o resultado está sendo bom.

A tática de associar o passado ao presente parece que será mantida e, como eu gosto de flashbacks e acho a pequena Grace uma fofa, estou aprovando esse formato. Dessa vez adentramos ainda mais na infância turbulenta de Grace, com seríssimas brigas dos pais, que a fazem pensar em fugir de casa.

Até agora, tudo se resume às escolhas. Grace fala muito com Nate sobre suas escolhas, o que chega a ser um pouco irônico, já que, no pilot, ela tem a chance de escolher entre sair da cidade e se livrar de Constantine ou ficar e ser a doutora da máfia. Ela escolhe a segunda opção, porque obviamente o problema estaria resolvido e a série acabaria se fosse o contrário.

Falando em escolhas, não posso deixar de mencionar Nate. Parece até mal de nome. Esse menino, que pode muito bem ser comparado ao Archibald (#GossipGirlFeelings) é uma anta. Ele usou a estratégia “Eles querem te matar, junte-se a eles” e começou a trabalhar pra Constantine e até foi batizado na vida criminal por Franco, ateando fogo num carro e se achando o badass. Ainda levou um presentinho do novo papai (se não biológico) pra mãe cujo nome finalmente gravei: Daniella. Essa mulher consegue ser tão inteligente quanto o filho ao acreditar que tudo bem ele ser um mafioso, tá seguindo os passos do papai e ainda diz que não quer que ele siga. Ou ela não tem controle nenhum sobre Nate ou não faz ideia da merda em que ele se enfiou, o que eu duvido.

No arco principal, Dra. Devlin precisa cuidar de um policial corrupto e descobre que ele causou o acidente da família a quem ela atendia, ocasionando a morte de uma garotinha. A ética da doutora mais uma vez é testada. Ela deveria deixar impune tal sujeito? Escolhas, escolhas, escolhas…

No mesmo cenário, vimos também como Grace pode ser influente no que diz respeito a Brett. No pilot ela o persuadiu a mentir para o pai do paciente. Agora, no entanto, ela nem precisou dizer nada. Brett resolve desobedecer uma ordem superior por conta própria. Isso mostra como o dilema da protagonista não atinge só a ela.

Tivemos algumas boas revelações, como eu disse no começo, e um ótimo twist. Não é uma supressa que Daniella apanhava do marido ou que Grace e Franco namoraram, mas me surpreendeu muito o fato de Constantine possuir um coração; ele mostra isso quando dá um esporro no policial por ter causado a morte da garotinha. E o twist é o seguinte: MORETTI IS ALIVE! Sim, minha gente. E não é só isso. Franco ainda está com o antigo patrão e se mostra um agente duplo. Resta saber se sua lealdade a Moretti é maior que seus sentimentos por Grace. Esse plot pode se tornar algo muito bom, então meus dedos já estão torcidos.

Estou feliz por The Mob Doctor e realmente espero que a audiência melhore. Não me canso de elogiar Jordana Spiro que mais parece várias personagens ao mesmo tempo. Uma hora está lamentando a morte do paciente, outra cuidando de bandido, recebendo marmita da mãe, vendo um carro explodir, dando conselhos ao irmão e seduzindo Brett a “dar uma pausa” (metáfora para “uma rapidinha”), mostrando que até leito de hospital quebra o galho nas horas picantes.

P.S. 1: Constantine: There’s only one way to know when the fight’s over.
            Nate: When they put the other guy in the ground?
            Constantine: No. When they put you in the ground.

P.S. 2: Conflito Grace versus Olivia evoluindo \o/

P.S. 3: Semana que vem a coisa vai tá boa, pelo que eu vi no promo.

  


Talvez Você Curta

0 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe