American Horror Story 2x06: The Origins of Monstrosity

sexta-feira, novembro 23, 2012


Are you my Mommy?

Ok, a verdade é que eu tento levar American Horror Story a sério, eu tento assistir a série e ver um drama bem construído, atuações fantásticas, roteiro (nem tão) bem conduzido, mas ai Ryan Murphy me coloca Zachary Quinto mamando nas tetas de Sarah Paulson e como eu não posso cair na gargalhada? Ou então com Lily Rabe em camisolinha vermelha dançando Rouge loucamente? É Muito amor por essa série, porque mesmo com tudo, faz com que eu goste dela, que eu me divirta, na verdade isso é tudo o que eu peço de qualquer série que eu vejo, que me entretenha e faça com que em seus quarenta, ou vinte, minutos me esqueça do mundo e de tudo ao redor e apenas aprecie as tramas ...

E por falar em tramas, tenho que abrir a review falando dessa personagem que, verdade seja dita, venho renegando recentemente, há tantas coisas para se falar, tantos plots e coisas acontecendo que é fácil se esquecer de cenas e personagens menores, assim, Shelley foi esquecida nas profundezas do vale em algum momento... Chloe Sevigny é uma atriz fantástica e realmente convenceu na personagem, não vi Big Love ou Hit & Miss com ela, mas já vi alguns filmes e em nenhum ela esteve tão bem como ela estava aqui.

Antes costumava chama-la de “ninfomaníaca”, mas a verdade é que Shelley nunca foi uma ninfomaníaca, pelo que deixaram a entender, e pelo que consegui absolver da personagem, Shelley era uma mulher a frente de seu tempo, ela gostava de Sexo? Sim, mas não era uma viciada, além disso era possível perceber que o sexo era, em grande parte, uma arma para ela, uma estratégia e assim era possível ir notando mais de sua personalidade. E mesmo sofrendo o pão que o Diabo amassou (não duvido que Maryzinha saia pisando na comida dos loucos), ri litros quando ela aparece na escola e as criancinhas saem todas gritando, foi genial! Colocar “um monstro” ali, onde as crianças brincam inocentemente de médico e outras coisas... Mary Eunice, o que aconteceu com você?

Falando em Mary Eunice, não entendo ela... Antes achava que era mesmo o Demônio, mas agora nem tanto, não é como se ela estivesse possuída ou algo assim, mas como se ela tivesse sido “tocada” pelo diabo e isso fez com que ela se tornasse um ser maligno, vingativo, frio, cruel e tático... E é exatamente por isso que amo a personagem! Espero muito para saber como será o ápice do desenvolvido do “mal” interior dela e como isso vai afetar toda a trama, pois até agora ela apenas está interagindo com o Arden e Jude, mas espero que isso mude logo...

Falando em interação, simplesmente odiei a garotinha psicopata, a trama era boa, mas a garota era totalmente inexpressiva, por alguns minutos imaginei que fosse a menina Grace de Hawaii Five-O(a criança mais inexpressiva da tv atualmente), mas não, se bem que essa chega quase perto, basta estar com participações regulares em algum show que pode roubar fácil o cargo da Robôzinha filha do Danno. Também nem achei algo legal, interessante ou divertido ela sair por ai matando todo mundo loucamente, ok, ela é criancinha psicopata (Esther Mandou Beijos) e dai? Acho que simplesmente não fui com a cara da garotinha.

E claro, que depois das maravilhosas cenas da dancinha sensual ao som do “You Don’t Own me”, Mary Eunice ainda arranjou tempinho para sair por ai matando o caça-nazis e acabar com os planos de Sister Jude, porém ela descobriu que uma de “suas freiras” foi quem matou o “moço”, o problema é saber o que ela vai fazer quanto a isso, já que ela foi DE-MI-TI-DA, tudo por que Joseph Fiennes tem algum segredo obscuro e é cumplice do Arden em tudo, falando em Arden, a partir de agora vou chama-lo de Arden, e não mais de Cientista Maluco, pois a cada episódio o personagem vai ficando mais chatinho e não merece um apelido carinhoso, a menos que seja Nazi, mas Nazi me lembra dos bons tempos de Greys Anatomy e não quero estragar essas lembranças, então Arden será!

E enquanto tudo isso ia acontecendo em Briarcliff, Ollie e Lana simplesmente divaram em cena! Verdade seja dita, ri como nunca ri vendo AHS quando Zachary Quinto abre sensualmente a camisa de Laninha e começa a mamar nos peitos da moça, imagino como ambos devem ter ficado filmando essa cena... Mas realmente me decepcionei sobre como Ollie virou Bloodyface, quero dizer, era obvio que ele tinha Mommy Issues ali, mas simplesmente esperava algo mais traumático, pesado e “grunge” do que ser apenas abandonado pela mãe.... E o que foi a cena do cadáver? Ta certo que Zachary Quinto sem camisa é sempre muito bom, mas ele abraçando a moça tudo costurada e morta... Me pergunto como Ryan Murphy pensa nessas coisas, porque não é normal, simplesmente não é.

Mas gostei de ver como Laninha foi inteligente e apelou, chamando Ollie de “filhotinho” e oferecendo amor materno, gargalhava enquanto ela tentava segurar a mão dele entre outras coisas, dizendo sobre o amor incondicional de uma mãe por um filho e tudo o mais, admito que isso foi muito bem pensado, por essas e outras razões que amo essa série... Meu único problema agora é como irão ligar novamente Oliver e Lana a Briarcliff, afinal, isso tem que acontecer em algum ponto... Ou não...

E em 2012 a trama fica uma coisa ainda mais louca, já que do nada não eram dois impostores do Bloody Face, mas sim três e o verdadeiro Bloddy Face parece ser uma mulherzinha magrinha, e já começo a achar que talvez seja a gartinha psicopata, ou uma filhinha de de Lana e Ollie...

PS: Lembrando que semana que vem (talvez) tenhamos a visita de Frances Conroy, essa senhora linda que vai vir para alegrar ainda mais nossa vida s2

Talvez Você Curta

1 comentários

  1. Muito bom o episódio. Eu achei non sense demais a cena do Ollie abraçando o cadáver. Realmente... Ideias e ideias que me assustam.

    A história está me intrigando e me divertindo. Ela não realmente me assusta, me deixa desesperada. Mas esse episódio, pelo menos, não foi tão parecido com um pré season finale.

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe