Grimm 2x08-10: The Other Side/La Llorona/The Hour of Death

sábado, novembro 10, 2012




Perseguindo loucamente Juliette.


2x08: The Other Side
Não dá pra saber o que Grimm quer. Às vezes, dá para achar que a série acabou de iniciar sua segunda temporada, e que ainda está exibindo seu quinto episódio, uma vez que as coisas simplesmente quase não acontecem na série. Estamos no oitavo episódio e um drama que aconteceu logo no começo ainda nem começou a andar direito, mas pelo menos já sabemos quem vai ganhar o prêmio Perseguidor do Ano.

Capitão todo maroto, dando carona para Juliette e se aproveitando da casa vazia para olhar a nova amada tomando banho. Achava mesmo que iria sair mais daquela cena, mas a única coisa que aconteceu foi ele trincando um porta-retratos. Mas Capitão está certo em tentar arrancar seu coração de uma vez por todas, porque é uma super barra se apaixonar por amantes de gatos. Da mesma forma, queria que tudo isso tivesse começado a acontecer um pouco antes na série, mas sinto que o arco principal começará a dar uma sacudida agora que Adalabitch está se encontrando com o outro príncipe da família Real.

Falando nisso, descobrimos que Capitão é bastardo e é só metade realeza. Isso faz todo o sentido, ou seja, explica por que ele está se escondendo em Portland. E provavelmente ele não quer ver ninguém mexendo com Nick porque ele deve ter muita raiva de toda sua família e quer se vingar se tornando BFF de um Grimm.

Felizmente, Nick está bem mais confiante sobre sua natureza, perceba que logo o primeiro wesen que apareceu ele já o identificou sem ao menos precisar de um livro. Até chegar o segundo claro, que nos traz ao caso da semana: filinho mutante e mamãe que não sabe quando contar isso. Passar dezesseis anos sem avisar para o filho que ele é um serial killer é uma quebra de código tremenda.

Hank está começando a dar indícios de que vai participar para cima de Nick por causa de seus antepassados, mas Grimm precisa desenvolver esse plot de maneira que não se torne algo cansativo e sem necessidade.

Falando em desnecessário, perceba que o plot do amor louco que o Capitão sente por Julliette parece muito com o amor louco que Hank teve na primeira temporada por causa de Adalabitch. Ou seja, a poção polissuco que ele tomou é o equivalante os cookies de sangue que Adalabitch preparou com tanto cuidado para nosso querido detetive. O interessante seria se Capitão realmente perdesse o fio da meada, porque dessa forma, finalmente veríamos alguma ação entre ele e Nick, brigando pela mesma garota.

P.S: Devo confessar, porém, que foi extremamente óbvio que o menino era o assassino, principalmente depois da descoberta do relógio. Poderiam ter colocado essa pista a menos para tornar o caso mais interessante e menos previsível.

2x09: La Llorona
O primeiro episódio de Halloween da série não poderia ter sido melhor. Legal ter colocado uma fantasma no meio da brincadeira, mesmo que não tenhamos certeza disso até ano que vem. Ou melhor, até nunca.

Foi um episódio bem estruturado, mesmo que a resolução tenha sido ridícula (sério que era só aparecer no meio dos ‘braços’ dos rios que encontrava as crianças?), sem contar que se Nick e Hank soubessem pelo menos um pouco de espanhol já teriam chegado à essa conclusão bem mais cedo do episódio, mas precisaram de Juliette durante todo o tempo. Muito irritante também que SÓ UMA PESSOA conseguir falar espanhol em um país onde uma parcela considerável de pessoas são falantes dessa língua.

E por mais que não tivemos um desenvolvimento na trama inicial, deu a entender que Juliette iria escolher Nick entre seus dois pretendentes. Mas o melhor mesmo foi a médium (ou algo do tipo) chegando na casa do pai espanhol e já denunciando que sabia que havia raptado o filho e ainda já conhecia praticamente TODA a história de vida de Juliette.

2x10: The Hour of Death
O Capitão realmente é muito safado. Além de usar o comportamento de Nick como desculpa para se aproximar de Juliette, quando finalmente se encontra com a ruiva, fica passando a mãozona, e se brincar, se não tivesse uma mesa no meio, ele já tinha subido em cima dela. Por mais que seja divertido esse plot de perseguição, os dois já fizeram de Nick um corno e isso não é legal.

Alguém que com certeza não aceitaria Nick como corno seria o interno loiro que acha que é um Grimm, sendo que na verdade é um Wesen. Não há duvidas de que o loirinho, que antes era um super fã de Nick, sendo o maior perseguidor do mundo, tem muitos problemas pessoais, como por exemplo, o fato dele não ser um Grimm e querer matar os wesens, sendo que ele é um. Estava apreensivo porque em todas as mortes, achava que ele tentaria incriminar Nick, já que, convenhamos, ele era o suspeito mais fácil.

Claro que tinha parecido que Nick havia feito aquilo com o primeiro wesen, mas Hank nem deu muita bola, mesmo que, não é a primeira vez que Nick perde a cabeça envolvendo as criaturas. Por mais que seja legal o detetive finalmente aceitando seu lado Grimm, o que não é aceitável é ele se tornar uma pessoa que não pensa antes de fazer as coisas, principalmente se ele está tentando manter um relacionamento saudável com os wesens do bem.

Falando em wesens, todos que Nick conhece sabiam sobre o símbolo do Grimm, menos o próprio, que é um Grimm. Seria bem interessante se esse tipo antigo de Grimm, os que obviamente também não devem acreditar em casamento do mesmo sexo, existem até hoje. Eles são os Grimms malvados e com certeza dariam uma boa remexida na trama, que até esse episódio, estava bastante calma.

Talvez Você Curta

0 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe