Bob's Burgers: Season 1 - Treze reviews pelo preço de uma.

segunda-feira, dezembro 10, 2012


“Vocês são meus filhos e eu os amo, mas vocês são terríveis no que fazem e eu devo dizer que os demitiria, se pudesse.” Belcher, Bob.

A frase acima define bem toda a temporada. Bob tenta a todo custo fazer o negócio da família ir pra frente, e se pra isso acontecer, ele tiver que usar mão de obra infantil e não qualificada, tudo bem. Afinal, ele não tem escolha mesmo.

É interessante ver como a dinâmica da família funciona. Os pais pensam que comandam e tem o controle da situação, mas no fim acabam sendo muito influenciados pelas atitudes dos filhos, o que é bom, digo muito bom! Porque, não sei se você, pessoa que esta me deixando tomar alguns importantes minutos de sua vida, já teve a oportunidade de assistir, mas as crianças são todo o recheio e cobertura desse grande bolo que a animação é. Sem elas, certamente não haveria série, cada uma com suas particularidades bem definidas, com seus sonhos e personalidade distintas, fazem com que consigamos nos identificar muito e torcer para que tudo dê certo no fim, e posso dizer que isso não chega a ser algo muito comum, pelo menos não pra mim, quando assisto à outros desenhos.

Não tem como não sentir familiaridade com eles . Gene com sua sinceridade infantil e sua atitude de “não ligo, vamos nos divertir”; Tina com seus conflitos adolescentes, dividida entre sonhos quase eróticos e sua obsessão absurda por cavalos; Louise, que é toda badass e quase maquiavélica, mas no fundo só quer chamar atenção e ser amada... E os pais? Bob é um pouco carrancudo, mas ama a família e se dispões a fazer absolutamente QUALQUER coisa para vê-los bem, Linda sempre disposta a ajudar e apoiar a todos com uma expressão de animação e boa vontade... Sério, há vezes em que vejo a mim ou amigos e familiares retratados na tela.

Como na maioria das animações, em Bob’s B. os episódios não seguem uma ordem restrita, assim, assistir a season finale antes da premiere não faz muita diferença. Abaixo seguem reviews de toda a primeira temporada. Tentei faze-los pequenos e de rápida leitura. Acho que dá pra ter uma ideia bacana do que se trata cada episódio e até curtir :D

Season 1

De modo geral, em todas as temporadas, a série segue aquela base de episódios onde a familia está trabalhando no restaurante, até que...

...Se espalha um boato (que foi crido por Louise na escola) de que a carne que eles usavam nos hambúrgueres vinha direto do crematório ao lado e assim, um inspetor de saúde vem visitá-los para investigar se tudo procede. O problema é que o inspetor é um ex-namorado de Linda e ainda é ressentido por tê-la perdido. Claro que isso pesa muito contra o restaurante, que acaba sendo interditado, mas também pudera! Em menos de cinco minutos o cara já tinha encontrado irregularidades pra encher todo um caderno! Mesmo com vários contratempos e situações (como um morto que vai parar no meio do restaurante) eles conseguem faturar algum dinheiro, pois uma denúncia de venda de carne humana não chega a ser um problema quando se têm um ônibus cheio de 25 pessoas dispostas a pagar caro para “tentar algo novo”. No fim, claro, tudo fica esclarecido, mas é só por enquanto. O inspetor, que a essa altura já pode ser tachado como um dos vilões, voltará algumas vezes pra dificultar o vida de Bob. Menções honrosas à Tina e sua virilha que coça.[1x01: Human Flesh].
Minha virilha está coçando

Tina, pare!

...Os pais de Linda vêm para uma visita e ninguém além da própria, gosta muito deles. Assim, enquanto “consertava” o sótão, Bob descobre que pode fingir que está preso dentro da parede (sim, é isso mesmo. Existe uma parte “oculta” dentro da casa) e então, se esconder dos sogros até que eles vão embora. Isso gera espaço para monólogos e situações hilárias, até que Bob fica preso de verdade e acaba tendo alucinações sobre aranhas, luzes noturnas e idas ao banheiro. A coisa do lado de fora também não parece boa, principalmente com as crianças não conseguindo dormir devidos aos sons guturais emitidos pelos avós durante uma noite ardente de amor idoso, o que lhes causa muitos problemas na escola. No final das contas, Bob é resgatado à força pela sogra, que o trás de volta pra realidade. Ela ainda ajuda a resolver uma situação com o conselheiro estudantil (que veio investigar o motivos dos problemas escolares). [1x02: Crawl Space]

...Enquanto Bob comemora o preparo de seu 100.000ª hambúrguer, aparece um cineasta querendo fazer um documentário sobre como comer carne pode ser cruel. Para isso, ele leva um boi (que ele jura ser uma vaca) com uma peruca loira pra tentar sensibilizar Bob e os clientes. Tina jura que o boi/vaca se comunicar através do único jeito que conhece, defecando e fica obcecada com isso (o que é um prato cheio pra Louise aprontar com a irmã). Por incrível que pareça, a publicidade que antes era negativa, acaba atraindo mais gente para o restaurante [1x03: Sacred Cow]

Veja! É um coração, um cocô em forma de coração.

Eu vou guardar.

...Tina decide fazer capoeira com um professor chamado Jairo. A partir dai, as coisas saem de controle, pois ela deixa de cumprir com suas obrigações no restaurante para passar mais horas na aula com o professor, que a essa altura, já era o novo amor de sua vida. No fim, tudo se resolve, mesmo que isso signifique nunca mencionar que Bob teve um pequeno problema intestinal (ele se cag*u mesmo) enquanto tentava lutar com Jairo. [1x04: Sexy Dance Fighting]

...Linda, que é apaixonada por musicais, decide que eles devem fazer um no restaurante, relutantemente Bob aceita. O espetáculo seria uma história de suspense e mistério, mas um assaltante de verdade aparece armado e enquanto faz “uma limpa” nos fregueses, canta e participa do show, que andava mal das pernas. [1x05: Hamburger Dinner Theater]

...Tina completará 13 anos e acha que precisa desesperadamente de uma festa, para enfim, nela ter seu primeiro beijo com Jimmie Jr, que é filho do dono da pizzaria em frente. Para realizar o sonho da filha mais velha, Bob se vê forçado a trabalhar de taxista durante a madrugada, onde boa parte dos clientes são travestis, os quais Bob faz amizade e acabam ajudando na festa. [1x06: Sheesh! Cab, Bob?]


...Um feriado prolongado se aproxima e Linda resolve transformar a casa em uma espécie de pensão, do tipo cama e café da manhã. Como não há quartos desocupados, eles se veem obrigados a desapropriar as crianças de suas camas e reservá-las aos hospedes: um estranho entomologista (que nada mais é do que um cara que estuda insetos) e um casal aparentemente normal, mas que na verdade curte sadomasoquismo. Tudo corria bem (mentira, na verdade todo o projeto de Linda estava um fiasco, só ela não via isso) até que mais um hóspede chega e pega o quarto de Louise, que faz o que for preciso pra ter sua privacidade de volta (mesmo que isso implique em encher a cara de alguém de insetos ou até causar um ataque de pânico em alguém com pessoas fantasiadas de animais). [1x07: Bed and Breakfast]

...A irmã de Linda que é muito frágil e (acredito eu) seja mentalmente instável, decide pintar e expor suas “obras” no restaurante. Parece uma boa ideia, só que não. Os quadros são de lindos animais, digo... Lindos animais de costas, digo...  Lindos animais de costas com os ânus a mostra. Sim! É isso mesmo. Logo de cara, Bob não curte a ideia, mas tudo muda quando uma senhora que é conselheira de arte e dona de uma loja na mesma rua, decide que os quadros são impróprios e que deveriam ser removidos. Bob meio que entra numa guerra em prol da liberdade de expor o que quiser, mesmo que isso implique nos ânus de sua cunhada (opa!). Por fim, Linda acaba pintando calcinhas rosa nos traseiros dos bichos; a irmã dela quase tem um ataque de nervos, mas melhora logo, assim que pinta mais um pouco de bem, vocês sabem o quê. Ps. Sim, pesquisei no google se ânus tem plural, e olha só, não têm. [1x08: Art Crawl]

O ânus é a janela do traseiro.

...Gene vira fã de uma série de filmes de faroeste que Bob também curte, intitulado Banjo. Louise fica com ciúmes do pai, e tenta se divertir com Tina e a mãe, mas não dá muito certo. Pronto, fim.
Não, na verdade tem mais. Mas é que esse episódio não chega nem perto do nível de humor dos outros, o que salva é a Tina e seu grupo de resoluções pacíficas de conflito (mas pode pular esse episódio, ninguém ficará sabendo) [1x09: Spaghetti Western and Meatballs]

...O senhorio do imóvel vem cobrar o aluguel e talvez, renovar o contrato. Digo “talvez” porque como o Bob nunca paga o aluguel em dia, Mr. Fischoeder, que é extremamente excêntrico (do tipo que usa terno branco, tapa olho e ama bigodes alheios) pode não renovar com Bob, caso ele não prove que o seu negócio é promissor e pague o aluguel até o fim da semana. Assim, o imóvel seria cedido a Jimmy Pesto, que é dono da bem sucedida (e maior concorrente de Bob), Jimmy Pesto’s Pizzeria. Com isso em mente, os Belcher ficam decididos a conseguir reaver os seus clientes perdidos pra o concorrente e ainda levantar muito dinheiro em poucos dias; para isso, eles apelam até pra voodoo (na verdade isso é mais coisas das crianças). Como é de esperar, eles não levantam a grana a tempo, mas mesmo assim provam que são bons no que fazem e conseguem manter o lugar. [1x10 - Burger War]

...O restaurante fica enfestado por um mofo, possivelmente tóxico, e por isso precisa ficar fechado por um fim de semana. Mort, vizinho e dono do crematório, oferece-lhes hospedagem e assim, todos vão “passar férias” na sua casa que é mobiliada com coisas em que pessoas morreram enquanto usavam. Linda se anima com a possibilidade de uma segunda lua de mel (que na verdade, seria a primeira, já que eles nunca tiveram uma), mas Bob só pensa em usar suas calças confortáveis e trabalhar no seu modelo de brinquedo do ônibus do filme Velocidade Máxima (não o culpo, esse também é o meu filme favorito). Mesmo assim, ela o convence a ir num encontro duplo com Mort e uma mulher que ele tinha encontrado na internet, que também é dona de um crematório. Por fim, Bob acaba bêbado e indo “descansar” em um caixão e quase é carbonizado pelos próprios filhos, que pensaram estar livrando o mundo de um morto vivo. [1x11: Weekend at Mort's]


...Chega o Lobsterfest, um dia especial em que todos na cidade saem às ruas para celebrar e comer lagosta, o que é muito ruim pros negócios da família, já que o que eles vendem mesmo é fast-food. Mas dessa vez, quando tudo parecia ir de mal a pior para Bob, uma tempestade se abate sobre a cidade, cancelando assim toda a festa. Contrariando Linda, Bob decide ficar aberto porque acredita que dessa forma, ele conseguirá muitos fregueses (lógico, durante uma tempestade, tudo o que todos querem e precisam é mesmo comer hambúrguer e tomar cerveja). Mas por incrível que pareça, dá certo! O lugar lota, e eles fazem uma espécie de Bob’s day, o único problema, é que o povo fica bêbado, destrói o local e acaba saindo sem pagar. No dia seguinte, o festival da lagosta acontece e Bob vê a bagunça e o tamanho do prejuízo, daí se revolta e bem... Pra resolver o problema, (quero dizer, se vingar e estragar o festival) ele acaba caindo num balde gigante de manteiga, mas não é muito efetivo, depois de quase ser linchado pelo lance da manteiga, a festa acontece de qualquer forma e ele precisa aprender com seus erros.[1x12 – Lobsterfest]

 ...Bob decide levar a todos a um jogo de baseball para que conheçam um jogador que é seu ídolo há anos (mas que na verdade é muito mau caráter). Lá, durante o “show do intervalo” Gene descobre o mundo da corrida de mascotes e fica fascinado, decidindo assim participar com sua roupa de hambúrguer. Com a ajuda de Louise, Bob conhece seu ídolo, Gene entra na corrida e Tina que estava completamente apaixonada por todos jogadores passa a ser assistente do time. Com toda uma lição de moral, o episódio se desenvolve discutindo se vale apena ou não trapacear pra ganhar. Como é uma série familiar, é logico que a conclusão final pende pro lado dos bons costumes e todos aprendem uma lição, incluindo nós; a de que Bob’s Burgers também pode ser educativo! [1x13 (Season Finale):Torpedo]


Felizmente, nos foi apresentada uma temporada muito consistente, com qualidade de roteiro, animação e piadas nos momentos certos. Claro, houve um ou outro deslize, talvez uma piada que não tenha funcionado ou um plot sem muito senso de realidade, mas chega a ser cruel e estúpido deixar que esses “deslizes” gerem uma crítica negativa. Bob’s. B certamente é uma ótima pedida para aqueles dias em que se está de mau humor e precisando de uma carga extra de risos.

Bem, vamos apenas dizer que o AA foi uma perda de tempo. 

Bom, por hoje é tudo pessoal. Semana que vem tem review especial da season 2 no mesmo esquema dessa. Espero que tenham gostado, mas se não curtiram, acharam chato, odiaram, enfim... Já sabem, xinguem muito no twitter #Brinks, deixa um comentário que a gente tenta melhorar!









Talvez Você Curta

0 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe