Dexter 7x10: 'The Dark... Whatever'

quinta-feira, dezembro 06, 2012

Não viaja senhor Dexter Morgan.

Simplesmente não encontro respostas para o nível de apego pessoal a este episódio que apesar de ter nos apresentados informações importantes, não soube na maioria de seu tempo me prender. Depois do incrível episódio passado, onde demos adeus precocemente ao personagem mais inteligente e intrigante da temporada, Dexter nos apresentou novas figuras que não conseguiram provar carisma algum em tão pouco tempo. Muito pra tão pouco.

O desenvolvimento do personagem Dexter durante seis temporadas, evoluindo a cada ano, neste ciclo foi de certo modo desconstruido se levarmos em quanta quais as suas fieis características até então. Compreendo a necessidade e até onde os produtores levaram esta fase do personagem a partir do momento em que teriam que diluir todo o processo da descoberta de Deb, porém acredito que passou-se da hora de retrocederem nos trazendo o antigo Dexter de volta. Me pergunto se a idéia dos produtores seria justamente finalizar a série da forma como estamos. 

A idéia de trazer a tona o pai de Hannah poderia ter sido melhor aproveitada durante o decorrer da temporada se não fosse pela brilhante idéia (só que não) de mais uma vez estacionarmos no clichê. A participação de Clint foi tão sem graça que doeu (ironicamente) meu coração ao término do episódio. Pior do que acreditar que Hannah jamais descobrirá que foi Dexter quem matou seu velho, é fingir que não suspeitamos de que tudo não passou de uma armação da bela moça.

Depois da bagunça de exterminarem a máfia ucraniana e finalizarem infelizmente a trama de Isaak, tudo o que eu não precisava era de um "fantasma" como tampa buraco com um desenvolvimento precário como foi visto. Seria muito mais fácil terem estendido a participação do incrível Minotauro, possibilitando um episódio importante como este, mais perfeito. Leia-se claro: Sem os efeitos cômicos do ônibus em chamas.

Entende-se então que LaGuerta será a grande responsável pelos acontecimentos finais desta temporada. A personagem que foi arrastada até aqui, deverá agora assumir seu tão aguardado posto, nos rendendo (se Deus quiser) grandes momentos nesta reta finais da história de Dexter. Gosto da sua ligação com Matthews, principalmente pelo apego dele com o nosso serial killer. Insisto em acreditar que Matthews sabe sobre a identidade de Dexter e está apenas se divertindo com o jogo de LaGuerta. A dinâmica entre o trio promete...e muito!

Dentre todo o processo deste episódio, tivemos um breve diálogo onde foi simplesmente apagado o alter ego Dark Passenger. Não concordei com a idéia gerada pelo roteiro, uma vez que Dexter apesar de todas as circunstâncias possui de certa forma um apreço heróico. Sendo que todo grande herói é sustentado por sua identidade secreta, me incomodo até onde estão levando a história do personagem.  

Foram então seis temporadas a favor do personagem versus uma em que tudo é simplesmente desconsiderado. Dark Passenger pra muitos é visto como o álibi de Dexter, que agora caminha nú com sua própria consciência e suas responsabilidades. A cada episódio mais preocupado fico com essa conclusão final mesmo que faltando ainda um ano. Torço para que uma cartada extra seja utilizada salvando então um dos personagens mais incríveis da televisão. Oremos.

Talvez Você Curta

2 comentários

  1. Se eu não estou enganado, dá a entender num diálogo entre Dexter e Hannah que ela sabe que ele o matou. Mas apesar disso continuo achando que ela arquitetou a morte do pai e não é tão "inocente" quanto demonstra.

    ResponderExcluir
  2. Concordo e espero que seja isso mesmo.

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe