Glee 4x11: Sadie Hawkins

domingo, janeiro 27, 2013


Se ela dança, eu danço.

A vez é das mulheres em Glee, mas mais importante, a vez é de Tina Cohen-Chang. Outrora relegada ao cargo de objeto cênico do New Directions, a nossa coreana bipolar fez por merecer o prometido espaço e, depois de liderar a única performance no grupo nas Seccionais, teve até o primeiro solo sem estar fantasiada de Rachel. Curiosamente, "Props", episódio focado em Tina com a troca de corpos, foi o mais divertido da temporada passada, e o investimento dela dessa vez não ficou muito atrás.

Responsável pelo clube das "muito jovens para ser amargas", Tina deu voz às mulheres do McKinley com a organização do baile Sadie Hawkins. Becky passou da 3ª base, Lauren Zizes superou a depressão pós-Puck com um mendigo Joe Hart e até mesmo sua devotada assistente descolou uma dança graças a Tina. Não fosse o fato de que ela estava muito menos preocupada com o poder feminino do que com a possibilidade de dar umas bitocas em Blaine, o novo amor de sua vida, teria sido tudo perfeito. Vale ressaltar, aliás, que eu não esperava nada dessa história, já que Mercedes e Kurt nos deram uma mostra de como os roteiristas desenvolvem "garota apaixonada pelo amigo gay" na 1ª temporada, mas incrivelmente, tudo funcionou muito bem, do humor que o absurdo da situação traz ao drama das cenas em que Tina experimenta rejeição após rejeição.


E se Tina e Blaine funcionam como dupla, por que não investir num triângulo amoroso pra deixar as coisas mais improváveis ainda? Lance de gênio colocar Sam para seduzir, mesmo que sem querer, o novo melhor amigo pedindo seu protetor labial emprestado, o que não é estranho porque eles são "praticamente irmãos". Se até Brittany se rendeu ao potencial cômico do rapaz e a seus lábios tão macios e horizontais, era questão de tempo até Blaine desenvolver uma paixãozinha e apreciar com olhinhos de peixe morto as geniais imitações desse ser de luz que declama "Hey, Soul Sister" e encarna o mestre Yoda com toda a naturalidade.


Sam estava possuído inclusive fora do departamento amoroso, conduzindo sua acurada investigação sobre a trapaça dos Warblers na disputa. As sequências de Hunter surtando na cafeteria após o uso de esteróides e aplicando injeções nos outros rouxinóis como se estivessem num filme de terror psicológico foram surreais de boas e só mesmo uma mente genial como a de Sam, que analisa friamente o desenvolvimento muscular facial dos concorrentes, poderia desmascarar essa conspiração. Agora, o New Directions está de volta ao páreo (mesmo que eu ache que a desqualificação dos Warblers devesse dar a vitória para os menonitas, mas vamos relevar), para o bem dos roteiristas e de Finn, que penam para pensar em "coisas diferentes que mantenham o Glee club interessante toda semana semana, sem uma competição no caminho".


New York também fez toda a diferença dessa vez e, como eu previa, Kurt conseguiu em poucos dias mostrar mais aspectos relevantes de NYADA do que Rachel em um semestre. Foi extremamente satisfatório conhecer novos cenários da faculdade, descobrir que existe vida além das aulas de dança de Cassie July e do salão oval e, claro, se deparar com o grupo de coral que é errado de tantas maneiras que pode até dar certo, os drogadíssimos Adam' Apples (Maçãs de Adão). Rachel foi muito preconceituosa ao proibir de cara que Kurt cogitasse se juntar ao clube só porque show choir na universidade significa suicídio social. É do interesse de Kurt ignorar todos os conselhos da srta. Berry e aproveitar tudo o que o novo coral, e principalmente Adam, têm a oferecer. A química dos dois funcionou muito bem, o personagem parece ter muito a acrescentar e eu espero sinceramente que a trama ganhe força, porque o núcleo está precisando de todo o reforço que puder.

E por que digo isso? Não é de hoje que bato na tecla que nem só de Rachel, Brody e Cassandra pode viver uma trama que ocupa metade da série, e os acontecimentos desse episódio provam bem o meu ponto. Se até então, estava gostando bastante de como estavam desenvolvendo esse romance, eis que Rachel voltou a tomar decisões precipitadas e que podem gerar tramas ruins no nível do casamento na temporada passada. Dizer que "as coisas acontecem rápido em New York" não justifica o fato de, após 2 episódios dando mais do que chuchu na serra para Brody (o que nem apareceu na série, fica registrado aqui a minha revolta), Rachel ache que a solução ideal para evitar futuros atrasos do rapaz seja ele morar com ela. Não faz sentido também que um cara racional como Brody vinha se mostrando já cogite se mudar para a vizinhança dela só porque Rachel estava revoltadinha porque ele se atrasou 45 minutos para comer seu hambúrguer. Ou seja, destruíram a coerência dos dois personagens numa tacada só e ainda obrigam Kurt a ficar de vela no próprio apartamento.


Mas vamos falar de coisa boa, porque é pra isso que serve o núcleo de Ohio. Que bom que Brittany resolveu se apresentar para Marley depois de tanto tempo, porque a duplinha que elas formaram é tão boa quanto Marley & Unique. Aos poucos, nossa coitadinha virgem vai ganhando amigos e histórias além da bulimia. Agora, o lance é que ela quer levar as coisas com Jake lentamente e que eles sejam exclusivos, o que significa que o jovem Puckerman terá que manter as coisas dentro das calças por mais tempo, pra colocar o assunto de maneira bem delicada e elegante. Como Kitty aparentemente abandonou o lado beata virginal (algo que eu nem sabia que era parte da personagem, já que ela disse para Marley que rompeu o  hímen com um cavalo de brinquedo) e está louca para conhecer Jake mais a fundo, o rapaz fica dividido.

É aí que entra Puck para nos salvar desse triângulo tenebroso e, de quebra, ainda nos dar um casal inesperadamente bacana de brinde. Ele, que já "provou todos os sabores de cheerio", acaba se interessando pelo novo sabor que é como whisky, quanto mais envelhecido melhor, e surpreende em cenas que deixam a líder de torcida de 40 anos muito mais humana. Claro, o fato de Kitty elogiar o roteiro de Puck, em que um piscineiro da Casa Branca é o único que pode salvar o presidente de pítons aquáticos alienígenas ajuda muito.

Quem acaba sobrando nisso tudo é Ryder, obrigado a ver todo o romance meloso de Marley e Jake de longe, mas isso não deve durar muito, porque uma nova e sorrateira personagem parece disposta a mergulhar de cabeça em busca do coração do rapaz.


Músicas do episódio:

"I Don't Know How to Love Him" - Tina (Jenna Ushkowitz)

É um pecado Jenna Ushkowitz ter essa voz e cantar tão pouco na série, simplesmente. E como geralmente não dou muito crédito para a atuação de Darren Criss, aproveito para parabenizá-lo pelas caras de "não faço a menor ideia do que está acontecendo" durante a música, enquanto todo mundo percebia apavorado o que estava por vir. O momento em que Blaine rejeita tina com um "obrigado, mas não obrigado" é de partir o coração.

"Baby Got Back" - Adam (Oliver Kieran-Jones) e as Maçãs

A canção favorita de Emma Green (fãs de "Friends" entenderão) ganha uma versão meio country, meio viagem de ácido, e o resultado é simplesmente indescritível. Os figurinos, as pessoas que estão no palco, a coreografia... É tudo caótico demais pra não chamar atenção e, ainda que tudo pareça uma grande brincadeira de mau gosto, Adam manda bem nos vocais e a música fica na cabeça.

"Tell Him" - Brittany (Heather Morris), Marley (Melissa Benoist) e as garotas do New Directions

Boa performance das meninas, com os vocais combinando direitinho, a coreografia divertida o suficiente para justificar a voltinha mágica de Brittany e tudo mais. Talvez, elas não tenham se destacado tanto quanto os garotos porque o número de abertura do baile é simplesmente ISSO AQUI.


"No Scrubs" - Artie (Kevin McHale), Blaine (Darren Criss), Ryder (Blake Jenner), Sam (Chord Overstreet) e um mendigo Joe (Samuel Larsen)

Francamente, não dá pra apontar um favorito nesse número, porque se por um lado foi ótimo ter Artie novamente liderando os vocais, Blaine, Ryder e Sam não deixaram por menos na coreô. Apenas observem e digam se é possível escolher alguém como destaque absoluto.

 
  

Está bem, acho que é sim. Blake leva a disputa pela audácia, mas os outros chegam muito perto!

"Locked Out of Heaven" - Marley (Melissa Benoist), Unique (Alex Newell) e as garotas do New Directions

Mais marcante que "Tell Him", talvez ser apresentada no baile e porque a versão da música ficou bem chiclete e porque tinha a sempre inebriante Unique Adams à frente do espetáculo.


"I Only Have Eyes For You" - Ryder (Blake Jenner)

A música não me agradou muito à primeira ouvida, mas a calmaria serviu perfeitamente para encerrar os plots do episódio, antes da comemoração das meninas pelo evento bem-sucedido. E ouvir a voz de Blake nunca é um problema – e sim, eu ilustrei a cena com outro gif de "No Scrubs" porque não tinha nenhum momento da última performance que se equiparasse a isso.

Talvez Você Curta

26 comentários

  1. Tirando Rachel e sua chatice eterna, o episódio foi muito bom... Como não amar o triângulo amoroso Tina-Blaine-Sam? Um dos plots mais canalhas, sem noção e engraçados que já vi. Já o Puck e a Kitty são o casal de jovens mais velhos da história das séries né? Gente, o que são as rugas do Mark Salling, hein? O moço tá muito acabado...

    Falando de coisa, boa, vamos falar do que foi Blake Jenner incorporando o espírito de Magic Mike? Já pode ficar ansiosa pelo próximo episódio?

    ResponderExcluir
  2. ótimo review,
    essa volta teve tantos plots sem pé nem cabeça que eu fiquei com uma séria dúvida se achava tudo um absurdo ou se queria ver tudo de novo. Morri de rir o tempo todo.
    p.s: eu tinha certeza de que você faria um gif do Blake assim no exato momento em que assisti a cena no episódio, haha.

    ResponderExcluir
  3. Adorei a review

    Não querendo jogar spoiler na cara da sociedade, mas rumour has it um/uma participante do The Glee Project está prestes a entrar em Glee, até o episódio 14. Quem está/estou ansioso?

    ResponderExcluir
  4. Mayara Bernardelidomingo, 27 janeiro, 2013

    só eu que quero o Ryder com a Marley. Eu não vou com a cara do Jake!
    Tina bipolar hahaha é bem isso mesmo!!! Se apaixonar pelo Blaine só ela. hahaha

    ResponderExcluir
  5. Sabia que você ia usar essa cena do Ryder como gif kkkkk
    Ri horrores das reações de cada um enquanto Tina cantava "I Don't Know How to Love Him",

    não sabia se prestava atenção na música ou neles kkkkk
    Rachel foi ridícula (de acordo com Camis, palavra forte) de falar aquilo pro Kurt e ainda bem que mostrou mais coisas além das aulas de Miss July.


    PS: Blaine, eu não te culpo viu!!

    ResponderExcluir
  6. Né! Mark embarangou bastante! Extamente o contrário de Cory, que está maravilhoso como nunca... <3


    E Blake já tem que ser convidado pra uma sequência de Magic Mike nooooow! Se der, também chamem Chordzinho... kkkkkkk

    ResponderExcluir
  7. eu não tou porque enfim é umas das participantes mais insuportáveis de todos os tempos e a circunstância que ela entra é super clichê...

    ResponderExcluir
  8. Eu preciso me recuperar psicologicamente da versão BIZARRA de Baby Got Back. Aliás, qualquer versão dessa música é bizarro. Sério, foi o momento WTF da temporada. Mas tia Ryan ganhou um milhão de pontos por fazer No Scrubs estilo boy band. Simplesmente amo. Tina está louca, Rachel voltou a ser a chata grudenta que acha que o mundo gira em torno dela. E eu também acho que se os Warblers forem desclassificados, a vaga tinha que ficar com aquele outro coral esquisito, já que o ND também foi...

    ResponderExcluir
  9. Alguém percebeu que a Nikku Blosnky estava na coreografia de baby got back, Nikki Blonsky que protagonizou Hairspray

    ResponderExcluir
  10. Achei uma bosta retumbante... Numa temporada que teve Turquenga, Lily Mae e Michaelzinho, escalar Ali é um ultraje! Mas né... Titia sempre tem que fazer alguma coisa pra me irritar na temporada.

    ResponderExcluir
  11. É Ale??? afe, #chatiado

    ResponderExcluir
  12. Leozio sempre samba muito , eu to achando essa temporada de glee otima, mas acho que NY nem sempre consegue ser tão interessante quanto Ohio

    ResponderExcluir
  13. Review muito boa, como sempre. Que retorno maravilhoso e engraçadíssim! Tive que ver duas vezes o episódio. Não tinha gostado muito de primeira. Algumas piadas que havia deixado passar deram o tom da coisa, aí amei de vez esse retorno. Adorei que você, Leo, resolveu ignorar alguns acontecimento de New York que, realmente, estão borings demais. Impressionante como Kurt, em apenas alguns minutos, consegue ter mais aulas em Nyada que Rachel, né? Ah, e assim como você, adorei o triângulo amoroso entre Tina-Blaine-Sam. Mas ainda sou mais Blam. E Blakezinho, né? Não tem como não amar quando ele demonstra toda sua desenvoltura no palco! Já o Puck e a Kitty são o casal de jovens mais velhos da história das séries +1

    PS: E não é que o Finn rejuvenesce a cada episódio! Acho que o Cory anda usando alguns cremes da Lea, por que só isso explica, kkkk.
    PS+: No Scrubs e Locked Out of Heaven não saem mais do repeat no meu celular!
    PS++: Precisamos fazer campanha para termos Chord e Blake em Magic Mike 2! Quem se habilita a começar?

    ResponderExcluir
  14. Retorno ótimo de Glee!!! Ep. engraçadíssimo com péssimas piadinhas de duplo sentido ( Leozio, como assim vc deixou passar o I wanna sit under Uranus...), moves like Jenner, menino Chord enlouquecido, Jenninha mostrando seu valor e muito mais.

    Já sou fã dos maçãzinhas pela ousadia e alegria e pelo pega rapaz sensacional que Adam ostenta debaixo das touquinhas roubadas da mala de Lindsay em TGP1.

    Aliás vc ficou sabendo q Baby got back causou no tuint e menino Adam foi bulinado pq eles teriam plagiado essa versão de um avulso qq aí??Japassiva q é toda amiguinha de menino Adam tava cuspindo marimbondo contra quem tava falando mal de seu amiguinho esses dias aí.

    Enfim Glee voltou com tudo e é preparar os ovários para Naked... Adoraria q Blakezinho fizesse a dancinha usando a roupinha de Tio Sam de Naked mas me contento em assistir o making of dessa delícia.

    Ótima review Leozio!!! Saudades das fotossínteses!

    ResponderExcluir
  15. O que foi o Ryder/Blake Jenner botando a tcheca pra sambar?? #ovulando Só a Marley mesmo pra escolher o Jake...

    ResponderExcluir
  16. Otimo episódio e otima review...Jenna Ushkowitz merece cada segundo que canta e me faz querer mais...

    Como já dito nos comentários..."Alguém sabe quanto tempo falta pro contrato do menino samuel terminar? Já passou da hora de encontrarem outro figurante menos vergonha alheia".. eram 8 episódios, daí esqueceram ele alí? é isso?? não avisaram pra ele que ele já podia ir embora???

    PS.: E as maças de adão gente...é menina J-Fo, de Glee Project episódio 2.zero lá? A loira, de cabelo bieber, é conhecida ou só eu tive a impressão de já ter visto ela?? Será do mesmo lugar do negro de óculos, que participou de Sing-Off???

    ResponderExcluir
  17. haha até q enfim o pov de glee tá seguindo em frente botando os ships pra explodir neh, tava um saco esse clima de ninguém quer nada e ninguém pega ninguém, glee tah voltando com tudo, agora uma dúvida não sai da minha cabeça


    COM QUEM UNIQUE FOI PRO BAILE... SEGREDOOOOOO


    outra dúvida seria, cadê q ninguém falou q o gordinho dos warbles tb aparecia direto no McKinley???????


    enfim, o epi foi digno, é bom ver Blaine e Kurt seguindo e frente, e claro, ver a Tina seguir em frente também, eu queria saber ainda o q houve com Sam e Mercedes, ficaram juntos e separaram em glee sem nenhuma explicação, mas enfim, coerência não é o forte de glee neh

    ResponderExcluir
  18. Review tão boa quanto o episódio, gostei do retorno e mal posso esperar por naked

    ResponderExcluir
  19. Reaproveitar figurante é a máxima em Glee, vide as Cheerios que vivem nos corais rivais, hahaha. Sobre Unique, acho que ela foi com diretor Figgins, porque isso sim é casal sensual!

    ResponderExcluir
  20. Ai, eu tinha certeza que Samuel só ficaria o tempo de dar o número de episódios que Damião fez pra não ficar feio e aí sumiria, mas deve ter sido o caso de esquecerem dele mesmo. Acho que deixar uma múmia barata lá pra trollar de vez em quando é mais vantajoso pros roteiristas do que colocar outro personagem pra completar os 12 do ND.


    Sem ideia se reaproveitaram gente do episódio 0 porque quase nunca me lembro desse povo que não entra mesmo no programa, mas depois da Ellis na plateia da NYADA, tudo é possível!

    ResponderExcluir
  21. Achei a piada de Uranus tão elegante e completa que nem pensei em repetir aqui, hehehe, mas todas as tiradas de Sam estavam excelentes.

    Esse povo tá muito louco porque realmente a versão de Baby Got Back é idêntica à do Jonathan Coulton, mas quem tem que resolver isso é quem cuida da parte musical da série e não quem cantou, né? (se bem que, pensando que é o Adam Anders quem faz quase tudo, talvez o menino Adam bullinado a que você se refira seja ele e não o Adam das Maçãs, agora fiquei confuso :D)

    ResponderExcluir
  22. É a própria, vamos ter que proteger nossos ouvidos!

    ResponderExcluir
  23. hahahahaha a piada era de altissimo nivel mesmo! bulinaram o ator mesmo, acho q é oliver kieran jones o nome dele, mas enfim Leo sou sua fã!!!! Adoro suas reviews! #TeamLeozio

    ResponderExcluir
  24. Sera que ninguem vai falar nada sobre o magnanimo starkid, melhor amigo e colega de quarto de Darren, Joey Richter que esteve a perfeicao em baby got back??

    ResponderExcluir
  25. Cara estava tentando saber o nome dela....pois lembrava dela de algum lugar. Achei super a interpretação deles (principalmente a dela e aquela de vestido verde/amarelo/vermelho com meião e cabelo curto espetado que num tira o sorriso da cara), bem que podiam de esteder esse grupo por toda a temporada assim como o possivel romance com Adam

    ResponderExcluir

Fala aí, seuslindos!

Disqus for Seriadores Anônimos

Subscribe