Nashville 1x10: I'm Sorry for You, My Friend

sábado, janeiro 19, 2013


Aprendendo a ser adulto.

Nashville fez mais um episódio dinâmico e bacana e essa é a linha que deve ser seguida mesmo. Uma série que expõe os bafões das celebridades dessa forma só tem como agradar, principalmente a um público (eu) que gosta disso, de ver como a vida delas é tão ou mais complicada que a nossa.  

A fuga de Juliette no episódio anterior parece ter se resolvido rapidamente. Apesar de Sean ser um fofo e funcionar muito bem com Juliette, aquele casamento não acabaria bem. Por mais que eu fosse gostar de Juliette enfrentando a sogra megaevil, essa é a resolução natural da coisa. Juliette queria o divórcio, enquanto Sean queria anulação. Mesmo que os dois tenham bons argumentos, Sean é quem mais se saiu prejudicado, emocionalmente.  Juliette não fez mais do que a obrigação dela ao compreender isso e aceitar a anulação, afinal foi ela quem o pediu em casamento e ela que o abandonou no altar.

Para Rayna, tudo continua tranquilo. Tanto que ela até tem seus momentos de diva sobre os guitarristas que “não conseguem acompanha-la”. Acho que isso foi só uma desculpa para ter Liam mais perto, fazendo meu ship “Rayam” funcionar desde já. Ou ele vai se envolver com Juliette e substituir o papel de Deacon entre as duas? Eu gosto de Deacon, mas Rayna e Liam também se saem bem juntos e seria um casal mais animador, mesmo quando ela tenta presenteá-lo com botas de cowboy, afinal, TUDO A VER com o estilo dele.

Tem ainda a barra de Deacon com a banda. Estava tudo bem até que Cy, aquele típico amigo que atira para todos os lados, principalmente no que diz respeito às mulheres da sua vida, resolve agarrar Scarlett. É lógico que Deacon não se segurou e partiu pra cima do cara, assinando sua saída da banda com um orgulho másculo. É fácil adivinhar o que acontece agora: Deacon volta para Rayna e ela fica com três machos a sua disposição. Um beijo pras recalcadas. ;*

Scarlett e Gunnar não tiveram muito tempo para sua tensão sexual e eu adorei isso. Scarlett porque estava ocupada demais sendo estuprada (não chegou a esse ponto, ok?) e Gunnar com seu irmão da condicional, que não só penhora o violão do rapaz pra comprar arma, mas ainda é o Ben de Jane by Design. Como não amar?

Avery aprendeu que a velha (não lembro o nome dela, perdão) é só mais uma mercenária querendo o dinheiro que ele ainda vai conseguir. Situação totalmente inversa a habitual, quando os mercenários são os jovens. Pra mim, o que acontece com Avery pouco importa, mas isso já é melhor do que vê-lo atazanar Scarlett.

O episódio se encerra trazendo Peggy de volta só pra insinuar que ela teve mesmo um caso com Ted, com aquela troca lasciva de olhares. Outro plot que eu quero mais é que cause dor a Rayna acabe, de preferência com Peggy se revelando uma psicopata e matando Ted e a si mesma. #SonhoMeu.

Talvez Você Curta

1 comentários

  1. Também, shipo Rayam. Acho Liam o personagem mais bonito e
    interessante de Nashville atualmente. Não quero que ele se envolva com
    Juliette. A trama de Avery continua irrelevante. Quero muito mais
    Scarlett e Gunnar. "Outro plot que eu quero mais é que cause dor a Rayna
    acabe, de preferência com Peggy se revelando uma psicopata e matando
    Ted e a si mesma. #SonhoMeu" - Faço das suas, minhas palavras.

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe