Cougar Town 4x05/06: Runnin' Down a Dream/Restless

quinta-feira, fevereiro 14, 2013



Não tá fácil pra ninguém, muito menos pra Grayson Ellis.


Depois que Tom foi promovido a membro oficial da panela Cul de Sac, todo o sofrimento até então vivido pelo careca se derramou sobre o G-man. Em Runnin’ Down a Dream, a crise existencial de Jules pela infelicidade na profissão de corretora sobrou pro marido. Primeiro, nada de sexo matinal. E bem, isso já deveria significar muito sofrimento para o coitado.

Enquanto as coisas não pioravam para o lado de Grayson, todo mundo começava a se envolver na crise. Ellie estava enfrentando o drama de ser dona de casa e babá do próprio monstrinho (aka Stan) enquanto a verdadeira babá aproveitava as férias no velório da mãe. Andy também não estava muito contente com seu trabalho chato e ficou cheio de recalque pela alegria de Laurie e Travis, os únicos realmente realizados com seus trabalhos artísticos.

Como é típico de Cougar Town, palavras novas foram criadas. Guarde no vocabulário:
Furk: s.m. Ato de se divertir no trabalho; um trabalho divertido. Do inglês fun (diversão) e work (trabalho).
Surk: s.m. Um trabalho chato. Do inglês suck (ruim, não prazeroso) e work (trabalho).

Além disso, tivemos uma frase de efeito de Laurie para refletir: “Trabalho é como sexo, você não deve fazer a menos que queira”. Pois é, o episódio foi de cunho filosófico e sociológico (e eis que a autora dessa resenha recebe uma chuva de processos de filósofos e sociólogos por tal afirmação) e levantou questões sérias para fazer a audiência pensar. Seu trabalho é furk ou surk

Entre as melhores cenas, estão as que envolviam os esforços de Andy em provar que Laurie e Travis não eram tão poderosos assim em seus respectivos trabalhos. No fim, o careca deu uma boa lição de moral na dupla e ganhou um presente “premiado” de Laurie e um quadro com um retrato dele e Bobby – uma das poucas doses de bromance desse quinto episódio.

Como Andy estava ocupado com a dupla de babacas da arte, Ellie e Bobby acabaram se aliando no novo empreendimento do loiro. O clima do episódio anterior permaneceu entre os dois e reforçou meu gosto por esse triângulo amoroso. O legal do Bobby’s Burger, pra não mencionar a menção subliminar ao concorrente do McDonald’s, foi o absurdo: Bobby roubava os hambúrgueres de um restaurante próximo e vendia em seu trailer de condições péssimas. (A cena dele aquecendo os sanduíches embaixo do braço foi de chorar). Poderia ser um negócio malsucedido, mas Ellie mostrou seus talentos como Burger’s Bitch, maltratou E fidelizou a clientela. Até Tom estava lá – o que não quer dizer muita coisa.

Nesse meio tempo, Jules se afogava mais na depressão de não estar feliz com seu emprego. E de novo, sobrou pra Grayson, que se viu obrigado a dar uma vaga para a esposa em seu bar. Claro que o lance não deu certo, mas foi só um passo para que G-man soltasse os cachorros e no fim tudo se ajeitasse. 

No fim das contas, Bobby e Ellie ficaram sem o trampo ilegal, mas conseguiram salvar Jules com bons conselhos. A Sra. Cobb (Ellis na carteira de motorista) acabou vendendo uma casa para um casal bem pé no saco e o capítulo terminou em comemoração regada a champanhe (!?!?!?)

As lições de vida transmitidas em tom de comédia foram a graça do episódio. No mais, dois pontos a destacar: o jogo (sucessor de Penny Can?) Stranger’s Touch, que quase resultou na morte de Grayson, e a afirmação marcante de Travis sobre Jules: “Eu acho que você seria uma prostituta maravilhosa. Ai meu Deus, não acredito que disse isso!”. Ops, um terceiro ponto: o stand-up comedy fail de Andy. É, nem todo mundo nasceu pras artes.

E como já disse, não está fácil para Grayson. Depois de sofrer com a crise de Jules (com mais uma, a propósito), o barman começou o sexto episódio dessa temporada arrasando (só que não) em um jogo de hóquei com patins (algo assim) quando levou uma bolada na cara. Tudo estava bem, porque Jules havia prometido amá-lo não importava o que acontecesse com o rosto dele até que... bem, ela viu o estrago.

Mas, como foi difícil fazer esses dois ficarem juntos e a produção provavelmente não vai se dar ao trabalho de separá-los tão cedo, o máximo que aconteceu depois que a boca de Grayson ficou destruída foi: a) ele e Jules trocaram beijos na boca por high-five b) Jules ficou com insônia c) a crise de insônia virou um problema para todos.

Restless foi um episódio de Valentine’s Day e, mesmo com todos os problemas, o amor estava no ar. Ou o sexo, de qualquer maneira. Ellie teve o pesadelo de descobrir que os cupons de sexo que havia dado para Andy nos Valentine’s Day anteriores não tinham sido perdidos, o que significava vários favores sexuais durante a comemoração. Depois de Andy usar 4 cupons, Ellie já estava adotando medidas desesperadas como se esconder na casa de Laurie. (as duas estavam praticamente bffs nesse episódio)

Bobby era o São Valentim encarnado e estava cheio de amor pra dar pros homens da turma. Por isso, Andy ganhou um suéter cor de rosa bastante másculo (cof cof) e Grayson, o livro de dicas sobre como lidar com Jules. O mais lindo: Grayson surtando do nada com o uso do livro e devolvendo-o para Bobby dizendo que não precisava de conselhos do ex-marido de Jules sobre como lidar com o relacionamento com ela, já que Bobby nem mesmo tinha conseguido fazer dar certo, e Travis defendendo o pai e explicando pra Grayson que o livro tinha sido escrito depois da separação, para o caso de Bobby ter uma segunda chance. Tem que ser muito homem e muito nobre para dar um presente desses pro amigo que roubou essa chance, não?

Laurie ajudou na reconciliação de Ellie e Andy – e com o jogo “coisas que a Ellie jamais diria”, a malvada mais boazinha do mundo soltou várias declarações lindas de Valentine’s Day! Jules e Grayson ficaram bem (e Jules voltou a dormir) graças às dicas de Bobby, Tom passou todo o episódio aparecendo só na janela de Jules e Travis poderia ter pego a gatinha pra quem preparou um cenário galáctico com chroma key, mas Jules atrapalhou tudo.

Foi um episódio temático pra fazer o telespectador soltar vários “own”. Dos momentos engraçados, vale destacar o sonambulismo de Jules depois de tomar a pílula pra dormir. A dancinha da “gaiola do tomate” (eu entendi certo!?) foi clássica. 

Pra fechar bem, a curiosa animação em bloco de papel da posição sexual favorita de Jules. Esperavam algo a la Kama Sutra, né? Bem, gosto não se discute.

E dá-lhe vinho pra comemorar o Valentine’s Day, pois como já afirmei, não está fácil pra ninguém. 



PS: Semana passada o título ficou com Donny, que pagou com a vida, parece. Nessa semana, a as roteiristas aproveitaram para deixar um recado: rapazes, nós mulheres queremos presentes no Valentine’s Day, mas nada de lingerie, porque esse presente acaba sendo pra vocês. Bom, eu não recusaria lingerie. Mas isso não vem ao caso.

Talvez Você Curta

0 comentários

Fala aí, seuslindos!

Disqus for Seriadores Anônimos

Subscribe