Cougar Town 4x07 - Flirting with Time

domingo, fevereiro 24, 2013



Já parou para pensar em como os integrantes da Cul de Sac se conheceram? Meet cute!


O melhor episódio da quarta temporada de Cougar Town: é assim que definiria Flirting with time. Trazendo mais “cougarismos” (terminologias inventadas pelos personagens da série) e um roteiro que trabalhou presente e passado, o capítulo não deixou faltar a ausência de nexo intencional da comédia.

O gatilho para a onda de flashbacks rolou logo no começo, com Ellie mostrando para Jules que uma relação marido-submisso esposa-dominadora é algo que se conquista com o tempo. Claro que a protagonista teimosa não quis acreditar e tentou fazer Grayson correr para ampara-la. Er... não deu.
Antes da máquina do tempo ser ativada, veio a motivação principal para o assunto. Grayson está finalmente tentando vender a casa em que morava antes (de pensar que ele relutou tanto em morar com Jules!), mas os amigos (e vizinhos) não estão colaborando muito. Afinal de contas, o que será do grupo se aparecer outro Tom na vizinhança? 

Já foi de rolar de rir a sabotagem à venda quase garantida, com Ellie e Andy de roupão no meio da rua, Bobby fazendo a louca e andando com seu veículo peculiar pela rua, Jules sendo ela mesma, só um pouco mais insana. O casal pretendente a novos vizinhos desistiu de morar perto daquele bando de loucos (que não são corinthianos) e todos – menos Grayson – puderam comemorar. Aproveitando o ensejo, Jules começou a contar sobre quando ela e Bobby tinham comprado a casa dela, que na época estava sendo vendida por Ellie e Andy. 

Era uma vez... um casal Cobb hippie. Ellie, uma sóbria advogada vestida em trajes sociais, tentou a todo custo evitar que a dupla de esquisitões se tornasse vizinha. Mas, Andy caiu nos braços de Bobby – LITERALMENTE – e o bromance nasceu, a casa foi vendida e Jules, depois de ser chamada de carente pela sra. Torres, ganhou um novo objetivo de vida: ser amada por Ellie (a “girl lawyer”).

Durante esse flashback, acabou sendo revelado que Travis e Laurie também já haviam se conhecido naquela época. Grayson estava inconformado com a teoria de Cobb-pai e Cobb-filho sobre todas as pessoas terem um meet cute – cougarismo para “um momento mágico quando você conhece alguém que será seu futuro amor ” – já que ele achava que não tinha passado por isso. O meet cute de Travis e Laurie não poderia ter sido mais romântico, com a loira toda sexy e ~molhadinha~ num chafariz, se pegando de tapa com outra garota e de repente avistando o jovem filho de Jules. Amor à primeira vista! (da parte de Travis, claro).

Nessa brincadeira de desenterrar o passado, Jules deu com a língua nos dentes e revelou o segredo de estado de Ellie. Sabe o que falei no começo sobre uma relação marido-submisso esposa-dominadora ser conquistada com o tempo? Acontece que (pasmemos) Ellie quem idolatrava Andy, e ele a enrolou para casar. Não fosse Jules, era possível que a advogada nunca tivesse virado Sra. Torres oficialmente. (o título poderia até mesmo ser de Bobby).

Outro segredo revelado foi sobre a experiência gay de Travis com Erin, que de mulher só tinha o nome e os cabelos longos. O pobre rapaz beijou o colega jurando que era uma menina – e só Jules sabia da verdade. E Ellie. E depois, todo mundo, menos Travis. Isto é... até o final do episódio.

Intercalado a essas histórias do baú, estava o conflito de Laurie com a volta de Wade do Afeganistão. O namorado deixou de ser virtual, os dois estavam colocando o carnal em dia, mas Wade estava muito mais empolgado em tornar o lance sério do que Laurie. Nada como Andy Torres para atuar como conselheiro amoroso e dar umas boas dicas à loira.

Outras pessoas, porém, estavam bem com o presente e o passado. Foi com satisfação que Bobby contou sobre seu meet cute com o T-dog, uma cena digna de A dama e o vagabundo, em que T-dog era o vagabundo e Bobby, a dama. A cena mais romântica de Flirting with time, disparado!

O roteiro não deixou escapar nada, nem mesmo a origem de Penny can! Tudo começou com um passeio feliz de Bobby (versão mullet) e Andy em que viram um malabarista de rua com uma latinha para que as pessoas dessem dinheiro pela performance. Bobby arriscou: “acha que consigo acertar essa moeda naquela lata?”. Ele conseguiu. E nasceu Penny toss (falado com voz grossa)! É, o jogo evoluiu para Penny can (falado com voz fina) posteriormente – e foi substituído por Stranger’s Touch, será?

Um detalhe também não faltou no flashback, isto é, a versão Tom com cabelos. Ou com peruca. Enfim, tão bizarro quanto careca.

O final da história sobre a amizade de Jules e Ellie foi todo lindo, com Andy pedindo a advogada em casamento após a influência de Jules, e as duas comemorando com o vinho que Jules havia arranjado na tentativa de ser amigável com a vizinha. A revelação bombástica: Jules não era fã de vinho e foi só então que se tornou uma viciada.  

De volta ao presente, Ellie fez A declaração de amor a Andy. A cada semana, a malvada perde um pouco da pose de Tiger bitch e se mostra mais doce que açúcar! Ownnn define.

Laurie e Wade também ficaram bem, e parece que Travis vai ter que esperar mais um pouco a vez.

No clima de amor no ar, o toque final do flashback: o meet cute de Grayson e Jules, que ele não lembrava ter acontecido. O “vinho da amizade” tinha sido dado por ele. Para não falar do cliché adorável dos dois se esbarrando na rua com pacotes de compras e derrubando tudo. Ownnn² para essa cena.

Depois de tanto romantismo, o episódio tinha que encerrar com estilo. Assim, fechou com o reencontro de Travis e Erin. Definindo de modo breve a reação do coitado Travis: FUUUUUU.

Capítulo impecável, apenas.

Talvez Você Curta

0 comentários

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe