Grey's Anatomy 9x13: Bad Blood

domingo, fevereiro 03, 2013



Big Brother is watching you.


Mais um ótimo episódio de Grey´s Anatomy, mas desta vez as coisas foram um pouco diferentes. Ao invés da irregularidade das últimas semanas, em que momentos muito bons salvaram momentos de uma certa vergonha alheia, "Bad Blood" foi um episódio bem mais redondinho, sem grandes dramas e com todas as tramas conseguindo ser eficientes. Afinal de contas, nesta nova era comandada pela analista financeira mega evil, eficiência é a palavra de ordem no Seattle Grace Mercy West of Death.

Linha de produção, otimização do tempo, eficiência, padronização, controle, vigilância. Parece que, além de ter quer aguentar estas palavras nos assombrando no trabalho, agora temos que nos acostumar a ouví-las em Grey's Anatomy. Tudo faz parte do plano da Dra. Cahill, que, mesmo ao se comover voltando a praticar a medicina de fato, vem cortando os gastos sem dó nenhum para conseguir vender o hospital e assim salvá-lo da falência. Toda esta história de venda aliada ao esforço de Derek para manter o pronto socorro aberto dá ainda mais força para a teoria de que ele e Meredith com a ajuda dos outros indenizados pela queda do avião vão fazer uma vaquinha e assumir o controle do hospital. Se a série for mesmo por este caminho, acredito que teríamos plots muito interessantes, principalmente se a série se encerrar em sua décima temporada.

Ver Derek usando toda a sua lábia e seu jeitinho, chegando até a desistir de sua privilegiada vaga no estacionamento, foi muito interessante, ainda mais contraposto à falta de habilidade de se comunicar de April. Só achei que April ganharia mais destaque e conseguiria deixar os números de lado para realmente falar com os médicos. A trama da menina frustrada também foi ok, tendo seu ápice quando Callie acaba tão desolada quanto a menina e sai pelo hospital espalhando o pessimismo. Enquanto isto, uma trama que parecia boba e inútil ganhou graça quando a Dra. Bailey parou de se preocupar em puxar o saco do professor e acalmou Meredith dizendo que tudo estava ótimo com o seu bebê, que estava apenas chutando. Alguns podem achar que, como médica, Meredith teria a obrigação de saber que era apenas o bebê chutando, mas acredito que seja muito diferente sentir os chutes na própria barriga. A neura dela é justificada pela sua dificuldade de engravidar e esta história promete levar a personagem a muitos riscos ainda. Quem já não imaginou um final de temporada com o nascimento e com a mãe e a cirança correndo risco de vida? Espero que Shonda inove e nos surpreenda com novas ideias.

O maior destaque ficou por conta de Cristina e Leah tendo que conviver com a vigilância do Big Brother e ainda lidar com um paciente que precisa de uma transfusão de sangue mas não pode fazê-la por ser Testemunha de Jeová. É ótimo ver Cristina tão madura e segura em seu trabalho, fazendo de tudo para salvar o paciente sem ultrapassar os limites. Ao mesmo tempo, a reação de Leah é muito compreensível e acabei me identificando com a personagem. É muito difícil para mim respeitar a decisão de uma família que prefere acreditar num milagre ao invés de garantir a sobrevivência de um filho, mas não estamos aqui para discutir religião e sim o desenvolvimento da série. Acho muito positivo o destaque para Leah, que vinha sendo a interna que a gente menos conhecia, principalmente porque ela acabou demonstrando um grande potencial para o futuro da série.

E vocês, gostaram do episódio?    

Talvez Você Curta

2 comentários

  1. Um bom episódio!


    Achei que a Dra. Megaevil iria se sensibilizar ainda mais depois daquele abraço da esposa do paciente que ela salvou. Mas como os maus são maus mesmo, e o capitalismo ta aí né minha gente..... o plano maligno será vender. Tomara que a trama da "vaquinha" dos novos milionários não se estenda muito!


    Só fiquei triste com o esteriótipo das Testemunhas de Jeová. Faço parte dessa religião (com muito orgulho e plena consciência) e a questão do sangue é uma rotina. Não vou ficar explicando aqui, pq não é o caso, mas várias coisas colocadas não são verdade.


    Não esperamos milagres divinos e nem achamos que existe hoje em dia cura por meio de orações! Por favor né! Claro que fatores psicológicos influem diretamente em um tratamento.... um paciente deprimido demora mais a se recuperar e isso é científico! Mas não era esse o caso.
    Não fazemos "rodas de oração".
    Somos a favor de procedimentos médicos modernos (transfusão é usado desde o Egito antigo. Oi? Não inventaram nada mais moderno desde lá? Sim, existe sim!.... é que sangue é o mais fácil.... e o mais arriscado e invasivo e acessível etc.... mas não faz dele a melhor opção). Transfusão não garante a vida de ninguém, remédios e procedimentos/tratamentos modernos sim..... Yang disse "mesmo com a transfusão ele não sobreviveria".
    Temos uma comissão de médicos e advogados com um cadastro imenso de hospitais e médicos que operam (e até preferem) sem sangue. Qq coisa poderia ter sido transportado pra outro hospital (fazemos isso sempre) e se não fosse possível o hospital abriria o centro cirúrgico (e seus recursos) para os médicos cadastrados (esse é um dos protocolos que a Yang comenta). Isso hoje em dia nem é mais um tabu..... Erro da Shonda .....


    E também não nos vestimos daquele jeito! Meu cartão de crédito é a prova de que somos todas trabalhadas na maquiagem (love you MAC!) e no salto alto! rsssssss. Gastar tanto pra não ser retratada pelo menos com um gloss e um scarpim é o fim! kkkkkkkk


    Mas como é um episódio de ficção e não um documentário (tenho certeza que outros grupos também devem ter se sentido não representados durante todos esses anos de GA) tá valendo....


    Enfim, independente disso (achei até que seria pior), o plot serviu pra mostrar a maturidade da Yang que deu um SHOW nesse episódio! E mostrar que não devem deixar essas crianças sozinhas por aí. Qse que a estagiária garante mais um processo pro hospital! (Sim somos garantidas e respaldadas por lei!)


    E cadê a Zola gente? Aquela fofura nunca mais né?

    ResponderExcluir
  2. Valeu por dividir sua experiência. É mto legal ver outros lados que a gente não conhece. Mesmo com tudo que vc explicou acredito que uma família que passa por uma situação dessa deve viver um dilema complicado, por isso acredito que a minha reação seria a mesma de Leah, mas tenho que respeitar a crença alheia. A gente vê todo episódio os médicos fazendo de td para salvar um paciente e é legal ver situações em que eles se sentem impotentes. A Yang com certeza deu show lidando muito bem e mostrando muita maturidade e segurança.

    Também sinto falta da Zola.

    Bjos.

    ResponderExcluir

Comenta, gente, é nosso sarálio!

Subscribe